Na semana passada, a primeira parte do artigo de Flávio Santos para a coluna ‘Escola de Rugbier’, foi um sucesso. A segunda parte, na qual Flávio comenta sobre os objetivos do coaching e os valores do jogo, você confere agora!

 Clique aqui para ler a primeira parte do artigo.

 

 Quais são os objetivos do coaching organizado?

1º Que os jogadores desfrutem e se divirtam com o jogo e com tudo que o rodeia.

O mais importante do nosso esporte é que se jogue e que quem o pratica desfrute e evolua. Assim deve ser no primeiro momento das partidas, porém é fundamental que a atmosfera que rodeia as partidas seja algo agradável e divertido.

Estes são os objetivos principais e também é uma condição necessária para que o jogo siga pra frente, cresça e se desenvolva. Uma parte importante do êxito é dada devido ao entusiasmo que iremos conseguir despertar pelo jogo, caminhando corretamente, aproveitando a energia e as expectativas que o mesmo provoca.

Terminar uma temporada com um número maior de jogadores entusiasmados com o jogo do que aquele que iniciamos a temporada “ é o melhor resultado ” que podemos aspirar. Entusiasmo e frustração são as duas faces da moeda do rugby, portanto não resta dúvida sobre o que devemos aspirar.

2º Conseguir o máximo de segurança para aqueles que praticam o jogo.

O rugby é um jogo formidável para todos nós, “o melhor de todos os esportes” , mas sem sombra de dúvida tudo que o jogo tem de bom está constantemente ameaçado por uma sombra que pode inclusive ser considerada como o ponto fraco, “ o tendão de aquiles ” do jogo, que é o risco que se corre quando qualquer jogador assume jogar uma partida.

O rugby é um jogo que existe contato físico, onde se dão e recebem trombadas. Esta é a característica do jogo e se tirássemos o contato físico evitaríamos as lesões , porém o jogo sofreria uma mudança tão grande e fundamental que desapareceria, se converteria em “ outro jogo”. Não podemos evitar o contato físico e sim diminuir esses riscos a sua mínima expressão, através de dados estatísticos de acordo com sua história, e sem dúvida o coaching organizado tem neste campo enormes responsabilidades de intervir.

Em primeiro lugar explicando, difundindo e ensinando claramente o espírito e as regras que marcam este jogo. Em segundo lugar capacitando professores, treinadores e o ambiente de modo geral, de forma que possamos fabricar jogadores mais aptos a segurança do jogo e que a medida que as destrezas aumentem, diminuem as possibilidades de lesão.

Ensinar corretamente a tacklear, cair, entrar em contato, formar um ruck, um scrum, um maul é sem dúvida um passo importantíssimo no que diz respeito a prevenção das lesões.

Por último e terceiro lugar, trabalhando em conjunto com médicos do esporte, treinadores, professores de educação física, árbitros e membros dos comitês de regras, estudando e analisando o jogo e propondo medidas que sejam cada vez mais seguras no que diz respeito a segurança.

Sem dúvida é muito o que se pode fazer neste campo do jogo e por outra parte sempre é pouco aquilo que fazemos para aumentar a segurança daqueles que praticam o jogo.

 

 Como manter e melhorar os valores do jogo e sua forma de jogar?

O rugby tem uma série de características que lhe são próprias e o diferenciam de outros esportes. Sem dúvida o crescimento e o desenvolvimento do jogo deve acontecer não somente respeitando essas características e princípios que o enriquecem, como também difundindo-os e melhorando-os cada vez mais.

A verdadeira força do jogo está diretamente ligada a valores tais como: educação, respeito, limpeza, lealdade, amizade, companheirismo, entrega, ética, formação, camaradagem, relação entre aqueles que participam do jogo, “amadorismo”, etc….

Estes valores e seu conjunto alimentam o espírito. Sua transmissão e ensino são determinantes para que o jogo siga transitando o caminho que caracteriza sua filosofia própria. O rugby é sem dúvida um meio formidável para se desenvolver um indivíduo, e o coaching organizado tem neste aspecto um enorme papel a desempenhar. Por outra parte, a força do jogo, suas tradições e princípios estão ligados diretamente a formação daqueles que o praticam.

Conseguir um melhor nível do jogo, de forma que seus jogadores desenvolvam com plenitude condições de desfrutar o jogo.

Não tem dúvida que conseguir melhorar o nível de jogo aumentando o conhecimento e as destrezas com que se pratica, constituem um dos mais lindo desafios que o jogo se propõe.

O rugby é um jogo que dá lugar a um número infinito de formas, combinações e estilos, o que acrescenta um maior interesse pelo jogo. Mas independente do estilo que se queira levar adiante requer uma série de destrezas e condições que compõem o jogo sendo básicas sem as quais nenhum jogador poderá jogar eficientemente.

Conseguir a educação, a disciplina e o controle, ter uma condição física adequada, ter um domínio das destrezas de correr, apoiar, passar, chutar, tacklear, o conhecimento das técnicas que fazem parte do jogo de contato, ruck, maul, o domínio correto das técnicas do scrum, lateral e saídas são sem dúvida condições necessárias para jogar eficientemente em qualquer que seja a forma de jogo que optemos por levar adiante.

Provavelmente jogamos rugby porque nos satisfaz, e esta é possivelmente a melhor razão pela qual jogamos, porém recordemos que não há nenhuma desonra em desejar ter êxito e querer ganhar.

Todos os jogadores deveriam perseguir sua superação, cada um de acordo com as suas possibilidades alcançará graus diferentes de êxito, porém todos nós podemos alcançar altos níveis de bom comportamento e espírito desportivo.

A derrota deve ser aceita de boa vontade e a vitória com humildade. Desta forma, tudo que estou querendo dizer é que muitas vezes basta apenas rever o objetivo do jogo que forma parte das leis do Rugby Football Union aonde encontramos: “Que o objetivo do jogo é que as equipes mediante jogo leal de acordo com as leis e o espírito desportivo marquem a maior quantidade de pontos possíveis, ao portar, passar, chutar a bola, e o que marque mais pontos será o vencedor da partida”.

O coaching organizado possibilita aos jogadores um ensino (aprendizado) gradual e metódico de forma a compreender o jogo, desenvolvendo suas condições para alcançar o máximo de prazer em praticá-lo.

 

Foto por: Desde o Ingoal

Comentários