Foto: Laís Zampiere

A Seleção Brasileira encerrou seus amistosos de meio de ano com derrota em Jundiaí para a Romênia por 22 x 21, em um jogo muito bom, mas com público irrisório (cerca de 200 pessoas). O resultado provou uma grande evolução dos Tupis, que perderam em 2017 por 50 pontos para os romenos. Agora, o Brasil resistiu contra o poderoso maul dos Stejarii em momento agudos – evoluindo com relação a um ponto que era fraco no time brasileiro – e marcou o try que poderia ter garantido a vitória na bola final. Mas a conversão da virada cruelmente não entrou, negando a vitória histórica dos Tupis.

O jogo começou com a Romênia pressionando, como esperado, no jogo de contato, mas com o Brasil resistindo bem. E em seu primeiro ataque os Tupis capitalizaram com penal certeiro de Josh do meio do campo. O Brasil ganhou terreno e superou os Stejarii na força deles. Josh tentou assistência com os pés a Maranhão e, na sequência, o lateral brasileiro encaixou e Nelson finalizou no contato aos 16′ para o primeiro try.

A Romênia respondeu e acumulou dois penais no ataque, colocando ambos para a lateral, para buscar o maul, muito bem defendido pelos Tupis. Mas a pressão romena foi recompensada com Macovei marcando após scrum, aos 25′, reduzindo para 10 x 07. Os romenos seguiram no bom momento e tiveram outro penal, com lateral para maul, mas o Brasil segurou. E antes do intervalo os Tupis conseguiram preciosa vantagem com penal preciso de Josh. 13 x 07.

Os Tupis começaram o segundo tempo capitalizando com penal de Josh certeiro, mas logo os romenos voltaram a ganhar penal e apostarem no lateral. Jardel recebeu amarelo e a Romênia não perdoou, com Surugiu achando o espaço após o maul, aos 54′.

- Continua depois da publicidade -

Com apenas 2 pontos atrás, os Stejarii cresceram e conseguiram criar também com sua linha, com a bola viajando até Vlaicu, aos 64′, após uma sequência de quebras de tackle. Mas Vlaicu desperdiçou a conversão e o jogo seguiu aberto. Josh teve chance com penal, mas a bola não entrou e, aos 77′, o Brasil entregou o penal fatal, que Vlaicu converteu, abrindo 6 pontos de frente.

O Brasil foi pressão total nos minutos finais, apostando no lateral após penal. No físico os romenos não se inferiorizaram, mas o Brasil soube abrir a bola e com o tempo esgotado Zé correu na ponta para marcar o try precioso. Mas, atipicamente, Josh não foi feliz na conversão, e a vitória foi romena. 22 x 21, fechando a série de jogos da Romênia na América do Sul.

21versus copiar22

Brasil 21 x 22 Romênia, em Jundiaí

Árbitro: Damian Schneider (Argentina)

Brasil

Tries: Nelson e Zé

Conversões: Josh (1)

Penais: Josh (3)

15 Daniel Sancery, 14 De Wet Van Niekerk, 13 Felipe Sancery (c), 12 Moisés Duque, 11 Daniel “Maranhão” Lima, 10 Josh Reeves, 9 Lucas “Tanque” Duque, 8 André “Buda” Arruda, 7 Arthur Bergo, 6 Cléber “Gelado” Dias, 5 Luiz “Monstro” Vieira, 4 Matteo Dell’Acqua, 3 Jardel Vettorato, 2 Wilton Murilo “Nelson” Rebolo, 1 Lucas Abud;

Suplentes: 16 Yan Rosetti, 17 João Pedro “Sininho” Talamini, 18 Matheus “Blade” Rocha, 19 Gabriel Paganini, 20 Lucas “Bruxinho” Piero, 21 Laurent Bourda-Couhet, 22 Lucas “Zé” Tranquez, 23 Lorenzo Massari;

Romênia

Tries: Macovei, Surugiu e Vlaicu

Conversões: Vlaicu (2)

Penais: Vlaicu (1)

15 Dorin Manole, 14  Mihai Lamboiu, 13 Taylor Gontineac, 12 Florin Vlaicu, 11 Nicolas Onuţu , 10 Daniel Plai, 9 Florin Surugiu, 8 Christi Chirica, 7 Adrian Ion, 6 Mihai Macovei (c), 5 Marius Antonescu, 4 Ionut Muresan, 3 Alexandru Gordas, 2 Ovidiu Cojocaru, 1 Alexandru Savin;

Suplentes: 16 Constantin Pristavita, 17 Eugen Capatana, 18 Cosmin Manole, 19 Johan Van Heerden, 20 Marius Iftimiciuc, 21 Gabriel Rupanu, 22 Tudor Boldor, 23 Robert Neagu;