Try brasileiro de Daniel Lima, Marahão. Amistoso Internacional de Rugby - Test Match Rugby - Brasil x Portugal realizada sábado, 09/11, no Estádio Nicolau Alayon (Nacional) em São Paulo, SP. Foto: Bruno Ruas

ARTIGO COM VÍDEO – O jogo foi apertado, batalhado, mas o Brasil derrotou Portugal no quarto confronto da história entre os dois países. Placar de 26 x 24, em São Paulo, com os Lobos portugueses desperdiçando o penal da vitória no lance final. Com o triunfo, os Tupis deverão subir uma posição no Ranking Mundial, assumindo o 25º lugar.

O Estádio Nicolau Alayon, no bairro da Barra Funda, voltou a ser o palco do jogo dos Tupis, com público que não foi grande (na casa dos 786 espectadores), mas que resultou em um clima favorável aos Tupis, pela proximidade da arquibancada com o campo.

Portugal começou melhor a partida e chegou logo a seu primeiro try, com o veterano Tomás Appleton, após bela infiltração de Vidinha. Ação dos centros de qualidade.

Os Lobos tiveram maior volume de jogo nos momentos iniciais, mas o Brasil quase pontuou em seu primeiro ataque, com drop goal sem sucesso de Josh. Pouco depois, Moisés conseguiu boa infiltração e o português José Roque recebeu cartão amarelo no lance. O momento foi determinante a favor dos Tupis, com Buda cravando o try a partir de scrum.

- Continua depois da publicidade -

O jogo virou a favor do Brasil, com os Tupis impondo pressão e levando muito perigo, sobretudo com Maranhão. O scrum voltou a falar mais alto e os Tupís marcaram um try em push over do scrum, com Buda finalizando – seu segundo no duelo e com a situação piorando para os lusos, que tiveram outro cartão amarelo, para o abertura Portela.

Ainda assim, com um homem a menos, Portugal soube capitalizar quando desceu ao ataque, com o centro Appleton desferindo lindo chute cruzado para o try do artilheiro Simão Bento. O Brasil, no entanto, respondeu na mesma moeda e com plasticidade, em chute cruzado de Josh para belíssimo try de Maranhão. Intervalo em 21 x 12 para os Tupis.

O Brasil começou superior no segundo tempo, com ação em velocidade da linha até a ponta para Daniel Sancery marcar o quarto try dos Tupis e abrir frente confortável no marcador: 26 x 12.

No entanto, a resposta portuguesa veio, com os Lobos mordendo mais forte na sequência da segunda etapa. Explorando chute para o fundo do campo, Portugal chegou a novo try, com Storti voando para cravar no in-goal brasileiro. O try incendiou o jogo e Portugal marcou mais um, com Antunes dando lindo side step e ganhando da defesa brasileira na velocidade pouco depois. Try que deixava o placar em 26 x 24 de arrepiar.

Os Tupis tiveram a posse de bola no ataque e pressionaram dentro das 22, mas não souberam capitalizar em pontos. José Conde ainda recebeu cartão amarelo deixando Portugal de novo em desvantagem. Os Lobos resistiram com um jogador a menos, salvaram um try de Maranhão que parecia feito, depois do ponta brasileiro chutar para o in-goal e apostar na corrida. No fim, os visitantes conquistaram um penal crucial no meio campo, mas Portela não foi feliz no chute. Vitória brasileira, 26 x 24 suados.

Com a vitória, agora a Seleção Brasileira se prepara para o jogo do dia 20 deste mês com os Barbarians. Portugal fará visita ao Chile, fechando viagem à América do Sul.

26versus copiar24

Brasil 26 x 24 Portugal

Árbitro: Francisco González (Uruguai)

Assistentes: Gonzalo Ventoso (Uruguai) e Victor Hugo Barboza (Brasil)

Local: Estádio Nicolau Alayon (Nacional), em São Paulo

Brasil

Tries: Buda (2), Maranhão e Daniel Sancery

Conversões: Josh (3)

15 Daniel Sancery, 14 Lucas “Zé” Tranquez, 13 Felipe Sancery (c), 12 Moisés Duque, 11 Daniel “Maranhão” Lima, 10 Josh Reeves, 9 Lucas “Tanque” Duque, 8 André “Buda” Arruda, 7 Arthur Bergo, 6 Cleber “Gelado” Dias, 5 Luiz “Monstro” Vieira, 4 Matteo Dell’Acqua, 3 Wilton “Nelson” Rebolo, 2 Yan Rosetti, 1 Lucas Abud;

Suplentes: 16 Piero Pozzi, 17 Caique Silva, 18 Matheus “Blade” Rocha, 19 Gabriel Paganini, 20 Matheus Claudio, 21 Felipe Cunha, 22 Lorenzo Massari, 23 Robert Tenorio;

Portugal

Tries: Appleton, Bento, Storti e Antunes

Conversão: Portela (2)

15 Simão Bento, 14 Tomás Cabral, 13 Antonio Vidinha, 12 Tomás Appleton, 11 Raffaelle Storti, 10 Jerônimo Portela, 9 João Bello, 8 José Roque, 7 David Wallis, 6 Helano Alberto, 4 José Madeira, 5 José D’Alte, 3 Diogo Ferreira, 2 Nuno Mascarenhas, 1 Francisco Bruno;

Suplentes: 16 João Moreira, 17 José Conde, 18 Lionel Rodrigues, 19 Manuel Picão Eusébio, 20 João Granate, 21 Duarte Azevedo, 22 João Lima, 23 Dany Antunes;