Foto: Diego Gutierrez

Pela primeira vez na história o Estádio Jayme Cintra, em Jundiaí, no interior paulista, receberá os Tupis. A Seleção Brasileira irá a campo pela 4ª rodada do Americas Rugby Championship para encarar o Chile, lanterna que ainda não venceu na temporada.

Para os brasileiros estará em jogo a segunda vitória e a manutenção do sonho de alcançar o inédito 3º lugar geral na competição. Além disso, o Brasil poderá atingir seu melhor ranking na história caso vença os chilenos por mais de 15 pontos de diferença: o 23º lugar do mundo.

Clique aqui para comprar ingressos.

A história dos duelos entre Tupis e Cóndores é toda favorável aos chilenos, que só foram conhecer a primeira derrota para o Brasil em 2014, na Arena Barueri, por 24 x 16. Mas, desde então, a vantagem virou a favor do Brasil, que derrotou o Chile outras 3 vezes: em 2017, por 17 x 03 no Pacaembu, e duas vezes em 2018, por 16 x 14 pela primeira vez em Santiago e por 28 x 12 no Canindé, na maior vitória até hoje sobre os andinos. A última vitória chilena se deu em no Sul-Americano de 2017 por 15 x 10 no Chile.

- Continua depois da publicidade -

As situações das duas seleções são opostas. Apesar da derrota larga na estreia para a Argentina XV (54 x 03), o Brasil deu a volta por cima contra os norte-americanos, vencendo o Canadá por 18 x 10 em São José dos Campos e flertando com uma vitória sobre os Estados Unidos, em jogo encerrado com derrota brasileira no Texas por apenas 33 x 28. E com muita repercussão favorável mundialmente pela boa forma do scrum dos Tupis.

O Chile, por outro lado, só perdeu por placares elásticos: 71 x 08 em casa contra os EUA, 20 x 05 para o Uruguai fora de casa e 56 x 00 em visita ao Canadá.

Com tal cenário, o Brasil nunca foi tão favorito para encarar os Cóndores. Mas o técnico Rodolfo Ambrosio não quis inventar e manteve a base do XV titular que vem desempenhando bem, com apenas duas trocas. Abud foi substituído por Caique na primeira linha, ganhando um descanso, enquanto Felipe Sancery, lesionado, foi substituído pela recém chegado Lorenzo Massari, que joga na Itália (no Parabiago, da 2ª divisão). Com isso, o capitão será Arthur Bergo pela primeira vez em sua carreira.

O Chile chegou a São Paulo desgastado da viagem ao frio do Canadá e o técnico uruguaio da equipe Pablo Lemoine, velho conhecido dos brasileiro, terá um grande desafio pela frente para reerguer a equipe. Preocupados com o scrum, os chilenos colocaram no time o pilar Vittorio Lastra, do Valsugana, da primeira divisão italiana, único do grupo que atua na Europa. Na reserva estará o internacional de rugby league, o australiano Thomas Garrido. A primeira linha foi a mais modificada por Lemoine, que ainda apostou na entrada do hooker Iturra. O time é ainda bastante experimental, tendo apresentado muitas novidades para a temporada 2019 e ainda não se acertou. Mas a linha ainda conta com alguns veteranos bem conhecidos pelos Tupis, como o abertura Francisco González Moller, o centro José Ignacio Larenas e o ponta Tomás Ianiszewski.

 

versus copiar

18h00 – Brasil x Chile, em Jundiaí – ESPN AO VIVO

Árbitro: Joaquin Montes (Uruguai) / Assistentes: Victor Hugo Barbosa (Brasil) e Renato Scalércio (Brasil) / TMO: Diego Pazman (Argentina)

Histórico: 27 jogos, 21 vitórias do Chile, 4 vitórias do Brasil e 2 empates. Último jogo: Brasil 28 x 12 Chile, em 2018 (Sul-Americano);

Brasil: 15 Daniel Sancery, 14 Lucas “Zé” Tranquez, 13 Lorenzo Massari, 12 Moisés Duque, 11 Robert Tenorio, 10 Josh Reeves, 9 Lucas “Tanque” Duque, 8 André “Buda” Arruda, 7 Arthur Bergo (c), 6 Cleber “Gelado” Dias, 5 Luiz “Monstro” Vieira, 4 Matteo Dell’Acqua, 3 Jardel Vettorato, 2 Wilton “Nelson” Rebolo, 1 Caique Segura;

Suplentes: 16 Yan Rosetti, 17 João “Sininho” Talamini, 18 Pedro Bengaló, 19 Michael “Ilha” Moraes, 20 Alexandre “Texugo” Alves, 21 Douglas Rauth, 22 Stefano Giantorno, 23 Ariel Rodrigues;

Chile: 15 Christian Huerta, 14 Tomás Ianiszewski, 13 José Ignacio Larenas, 12 Vicente Ayarza, 11 Gonzalo Lara, 10 Francisco González Moller, 9 Domingo Saavedra, 8 Martín Sigren (c), 7 Thomas Orchard, 6 Eduardo Orpis, 5 4 Javier Eissmann, 3 Nicolás Ovalle, 2 Claudio Iturra, 1 Vittorio Lastra;

Suplentes: 16 Augusto Böhme, 17 Thomas Garrido, 18 Claudio Zamorano, 19 Mauricio Gómez, 20 Augusto Sarmiento, 21 Camilo Sánchez, 22 Juan Pablo Perrotta, 23 Juan Pablo Larenas;

 EquipeApelidoPJVED4+-7PPPCSP
ArgentinaArgentina XV2555005025860198
UruguaiTeros1854012012410222
Estados UnidosEagles1753024117313835
BrasilTupis952030164105-41
CanadáCanucks751041213110724
ChileCóndores150050153289-236
- Vitória = 4 pontos;
- Empate = 2 pontos;
- Derrota = 0 pontos;
- Anotar 4 ou mais tries = 1 ponto extra;
- Perder por 7 pontos ou menos de diferença = 1 pontos extra;