Foto: Fotojump/World Rugby

ARTIGO COM VÍDEOS – A Seleção Brasileira M20 conheceu sua segunda rodada no Troféu Mundial M20 (World Rugby U20s Trophy) ao ser superada na noite de sábado pelo Quênia em São José dos Campos. A derrota foi doída, saindo com um penal já com o tempo esgotado bem batido pelos quenianos. Agora, o Brasil tenta escapar do último posto do Grupo A na próxima quarta-feira ao encarar o Uruguai.

O Brasil começou superior e logo no início já fez uso de um forte maul para dar o cartão de visitas aos africanos. Em questão de 5 minutos o jogo de contato brasileiro encaixou e o asa Rafael marcou o primeiro try do duelo.

A superioridade brasileira foi clara no breakdown, com o Brasil acumulando mais posse de bola e impondo domínio físico. Aos 12′, o lateral brasileiro encaixou com Naassom servindo com categoria Leo Neymar no lado fechado, para disparar e marcar outro try dos Curumins. Mas o Quênia entrou no jogo e, aos 17′, Masinza rompeu para o primeiro try dos visitantes. O Brasil pecou na reta final do duelo, cedendo penais em sequência, com Coulson acertando 2 de 3 e deixando o marcador em Quênia 13 x 10.

- Continua depois da publicidade -

O segundo tempo começou complicado para o Brasil, com try queniano, de Okwach. Coulson ainda puniu o momento instável dos Curumins com mais um penal preciso, mas aos 55′ o Brasil conseguiu criar e Dudu cruzou o in-goal, deixando os Curumins de novo no páreo.

A pressão brasileira foi intensa no quarto final de jogo e Henrique rompeu para o try da virada aos 69′. Mas a diferença ainda era curta e o Brasil impôs mais pressão na reta final, mas não soube finalizar o try da vitória. Por fim, já com o tempo esgotado, os Curumins entregaram um fatal penal para o Quênia e Coulson deu a vitória aos africanos, 26 x 24.

 

24versus copiar26

Brasil 24 x 26 Quênia

Árbitro: Gonzalo Ventoso (Uruguai) / Assistentes: Frank Méndez (Chile) e Matías Esteban (Uruguai)

Brasil

Tries: Rafael, Neymar, Dudu e Henrique Pedro

Conversões: Spago (3)

Penais: Spago (1)

15 Carlos Eduardo “Dudu” Proença, 14 Vicent Ramiro, 13 Gabriel Zurca, 12 Joel Santos, 11 Murillo Bonesso, 10 Lucas “Spaguinho” Spago, 9 Felipe Cunha, 8 Ádrio Luiz de Melo (c), 7 Rafael dos Santos, 6 Henrique Pedro da Silva, 5 Fillippo Bugno, 4 Samoel Bertan, 3 Henrique “Caminhoneiro” Ribeiro, 2 Leonardo “Neymar” da Silva, 1 Naasson Porto;

Suplentes: 16 Felipe Quevedo, 17 Marcos de Melo, 18 Gabriel Henrique Oliveira, 19 Weslley Barbosa, 20 Matheus “Acerola” de Oliveira, 21 Alisson Kalkmann, 22 Guylherme Rangel, 23 Carlos Rafael, 24 João Victor Furst, 25 Geronimo Olivares;

Quênia

Tries: Masinza e Okwach

Conversões: Coulson (2)

Penais: Coulson (4)

15 Matoka Matoka, 14 Geofrey Okwach, 13 James McGreevy, 12 John Okoth, 11 Timothy Omela, 10 Dominic Coulson, 9 Samuel Asati, 8 George Kyriazi, 7 Brian Amaitsa, 6 Samuel Were, 5 Hibrahim Ayoo, 4 Emanuel Silungi, 3 Ian Masheti, 2 Bonface Ochieng (c), 1 Andrew Siminyu;

Suplentes: 16 Wilfred Waswa, 17 Ian Njenga, 18 Collins Obure, 19 Rotuk Rahedi, 20 Frank Aduda, 21 Sheldon Kahi, 22 Barry Robinson, 23 Owain Ashley, 24 Michele Brighetti;

 

Demonstração de força de Portugal contra o Canadá

Portugal obteve sua segunda vitória na competição com uma verdadeira demonstração de força contra o bom time do Canadá. Nada menos que 49 x 21, com a mesma receita de sua vitória anterior: após primeiro tempo parelho, atropelo na segunda etapa.

Os lusos inauguraram o placar com penal chutado por Portela, mas o scrum-half e capitão Percillier explorou espaço após ruck e cravou o primeiro try canadense. Portugal não tardou a responder com Storti acelerando. O momento bom foi aproveitado por Portugal e o segundo try veio rápido, com Rodrigo Bento, no contato, mas o Canadá ainda respirou com try de Zuliani, levando o jogo ao intervalo em vantagem ibérica por 17 x 14.

Os portugueses começaram a segunda etapa com Portela chutando penal, para aliviar a pressão, e logo abriram frente com try de Storti, de novo, após linda jogada do scrum-half Félix. O Canadá ainda tinha intensidade e Davis deu o troco com o terceiro try vermelho, mas o restante do jogo foi de superioridade lusitana, com Portugal mostrando uma intensidade de início a fim muito superior. António Cunha fez novo try português no contato e, após chute bloqueado, Rodrigo Marta disparou para o try que nocauteou os norte-americanos. Portela ainda chutou penal preciso e no fim Afra Rosa marcou o try derradeiro dos europeus. Portugal 49 x 21, números finais.

 

49versus copiar21

Portugal 49 x 21 Canadá

Árbitro: Luke Rogan (EUA) / Assistentes: Damian Schneider (Argentina) e Frank Méndez (Chile)

Portugal

Tries: Storti (2), Bento, Cunha, Marta e Afra Rosa

Conversões: Portela (5)

Penais: Portela (2)

15 Simão Bento, 14 Raffelle Storti, 13 Rodrigo Marta, 12 José do Carmo, 11 Francisco Salgado, 10 Jerónimo Portela, 9 Joaquim Félix, 8 José Roque (c), 7 Manuel Pinto, 6 Manuel Maia, 5 Martim Belo, 4 Helano Alberto, 3 Duarte Conde, 2 Rodrigo Bento, 1 David Costa;

Suplentes: 16 Márcio Pinheiro, 17 António Cunha, 18 Federico Simões, 19 André Gouveia, 20 José Madeira, 21 Sebastião Silva, 22 Pedro Lucas, 23 Tomás Lamboglia, 24 João Vieira, 25 José Santos, 26 Francisco Afra Rosa;

Canadá

Tries: Percillier, Zuliani e Davis

Conversões: Percillier (3)

15 Thomas Isherwood, 14 David Richard, 13 Gabriel Casey, 12 Quinn Ngawati, 11 Jarvis Dashkewytch, 10 Brock Webster, 9 Will Percillier (c), 8 Nick Carson, 7 Will Matthews, 6 Quentin James, 5 Tyler Duguid, 4 Frank Carson, 3 Tyler Rowland, 2 Michael McCarthy, 1 Stefan Zuliani;

Suplentes: 16 Jared Augustin, 17 Josh Tweed, 18 Guerschom Mukendi, 19 Reid Davis, 20 Avery Oitomen, 21 Siaki Vikilani, 22 Jack Carson, 23 Lockie Kratz, 24 David Carson, 25 Mason Flesch, 26 Antoine de la Fontaine;

 

 SeleçaoPtsJVED4+7-PPPCSP
Grupo A
Japão153300301508961
Uruguai113201301466779
Quênia531021071135-64
Brasil230031158134-76
Grupo B
Portugal103200201084860
Tonga10320020903753
Canadá731022112410123
Hong Kong130031065201-136