A Taça Tupi ainda guardava um último duelo pelo grupo A (aquele em que todo mundo está classificado) entre Band Saracens e o Templários. Já classificado, o Band tinha sua campanha perfeita em jogo e também tinha a chance de usar a partida para se testar para a próxima fase. O Templários precisava de um placar histórico para garantir a classificação às semis, vencer por quase 80 pontos de diferença, mas tudo que a equipe conseguiu foi passar à história pelo lado negativo, sofrendo a pior derrota da história da Taça Tupi, e a maior vitória da história bandeirantina.

Mas os minutos iniciais não deram a indicação que seria assim, mesmo com o Templários poupando jogadores para a fase final do Paulista. O Saracens abriu o placar rapidamente com Pablo em corrida pela direita, mas o Templários deixaria o seu em um maul saindo de lineout na linha de 22m que atropelou a defesa adversária, parando somente no ingoal com Maurício. A resposta foi imediata, com boa recuperação do chute de saída por Devon e pressão na defesa do Templários, que se salvou ao recuperar a posse, mas colocando o chute de alívio dentro de campo, deu todo espaço para Pablo e JP realizarem grande corrida pela direita, terminando com o try do centro bandeirantino. Will deixou o seu aproveitando cobrança rápida de penal e pegando a defesa do Templários aberta. Devon e Leandro “Cavalo” fecharam a etapa com um try cada em boas investidas pelo centro.

O segundo tempo começou na mesma nota. O Band Saracens rapidamente ampliou com JP e Gabriel Lobo, mas o Templários teve seu último momento aos 10′, com novo line seguido de maul que terminou em try. A partir desse momento, o jogo foi todo bandeirantino, que anotou novamente com Will e Leandro, JP e Erick, com mais de vinte minutos ainda na partida, demonstrando a grande superioridade técnica do time da capital.

Mesmo com o jogo controlado, o Band Saracens perderia Eduardo Alves, que sofreu um tackle alto e revidou com uma agressão, sendo expulso prontamente pelo árbitro. Mas sua expulsão aparentemente mexeu com os brios bandeirantinos, que ainda em igualdade numérica pelo amarelo dado ao inglês Greg, aplicou uma verdadeira blitz sobre o adversário, que falhou muito nos tackles e visivelmente esgotado, ofereceu pouca resistência à rápida linha adversária que apertou o passo e seguiu ampliando praticamente a cada reposição de bola. nada menos que mais sete tries não respondidos.

- Continua depois da publicidade -

O Band Saracens volta à campo pela semifinal no próximo sábado, contra o BH Rugby por um lugar na grande final. Com seu principal objetivo cumprido (a classificação para a elite nacional em 2018), o Templários se volta para o Paulista, realizando sua última partida na primeira fase contra o São Bento, tentando recuperar a liderança.

O Portal do Rugby elegeu JP como melhor jogador da partida.

Placar final: Band Saracens (36) 123 X 10 (05) Templários

Band Saracens
Tries: Pablo, JP (4), Will(2), Devon, Leandro Caetano (3), Bruno Gil, Gabriel Lobo, Erick, Laurent (3), Beto Pedroza, Edu
Conversões: Erick (14)
Cartões amarelos: Gabriel Saraiva
Cartão vermelho: Eduardo “Zinho”

Templários
Tries: Maurício, Robin
Cartões Amarelos: Greg
Cartão vermelho: Greg

 

ClubeCidade (Estado)PtsJVED4+7-PPPCSP
Grupo A
Band SaracensSão Paulo (SP)3066006042972357
Pé VermelhoLondrina (PR)1563033021518431
TempláriosSão Bernardo do Campo (SP)14621340141299-158
Rio BrancoSão Paulo (SP)460152092322-230
Grupo B
GuanabaraRio de Janeiro (RJ)2164023219995104
BH RugbyBelo Horizonte (MG)1964023014010634
NiteróiNiterói (RJ)1463032012410915
Rio RugbyRio de Janeiro (RJ)561050162211-149
Grupo C
CharruaPorto Alegre (RS)246501311327458
San DiegoPorto Alegre (RS)196402121098128
ChapecóChapecó (SC)962040187122-35
JoacaFlorianópolis (SC)661050263114-51