Band Saracens vence Pasteur e respira no Super 8 em jogo decidido com drop goal

Um jogo que prometia muita luta entre as duas equipes paulistas que estão em posições difíceis no Super 8: o Band Saracens  em 7º visitava o Pasteur, quinto. Os dois lados vieram de derrotas na rodada passada e por isso jogar bem e ganhar seria fundamental para que algumas preocupações pudessem ser atenuadas em meio às campanhas irregulares dessas duas grandes escolas do rugby da capital paulista. No fim, os visitantes prevaleceram, conquistando uma crucial vitória por 15 x 12.

 

As duas equipes estavam desfalcadas e o calor intenso fizeram com que o jogo fosse muito pegado nos seus primeiros minutos, com os forwards da equipe bandeirantina prevalecendo e não permitindo que os backs franceses fluíssem com seu jogo de mãos e rápido. Muitos chutes de ambos os lados até que por muita insistência o Band Saracens marcou seu primeiro try após vários pick and goals com o asa Santiago cravando. Tomas converteu e o placar foi a 7 x 0 para os visitantes, aos 24′.

 

O Pasteur continuou insistindo e não demorou muito tempo para marcar seu try, aos 34′, com o segunda linha Victor “Porpeta” Maschi, mas sem conversão, mantendo o Band na frente. As equipes mantiveram sua toada com o jogo parelho e não mudaram seus estilos de jogo, preocupados com o calor dentro e fora do campo.

 

No segundo tempo, quem teve a primeira chance foi o Band, que ampliou o placar outra vez com try de Santiago, na mesma tática, usando a força dos forwards. Com a conversão perdida, o placar se manteve com o Pasteur apenas um try convertido atrás. Com isso, os donos da casa foram para cima, forçando a passagem com sua linha e aproveitando a velocidade de seu jovem elenco. O empate veio com o arranque de Thiago Maihara, o “japonês voador”, que marcou o try, enquanto Pedro Di Pilla acertou a conversão para deixar tudo igual, 12 x 12, garantindo mais emoção e tensão ao jogo.

 

O momento decisivo veio com amarelo para o jovem Gabriel do Pasteur, em jogada desleal, desfalcando os franceses em momento decisivo. Após muitos erros de passes e escolhas equivocadas dos dois lados quem emergiu vitorioso foi o Band. No ultimo minuto, o fullback Tomas arrisco e foi feliz em um drop no meio dos paus, enterrando as chances do Pasteur e dando a vitória aos bandeirantinos. 15 x 12.

 

O trunfo não mudou a posição do Band, mas aliviou a tensão do penúltimo lugar e renovou as esperanças do time pela permanência na elite nacional. Na semana que vem, o Band Saracens vai enfrentar o Niterói em casa, em duelo direto e crucial contra o último lugar, enquanto o Pasteur vai ao encontro do SPAC, equipes que se encontram muito próximas na classificação, em outro clássico paulistano.

Placar final: Pasteur (05) 12 X 15 (12) Desterro

Pasteur

Tries: Porpeta e Maihara

Conversão: Pedro di Pilla (1)

Cartões amarelos: Gabriel O.

Band Saracens

Tries: Santiago Tavares (2)

Conversão: Tomas Burna (1)

Drop: Tomas Burna (1)

Clube Cidade (UF) P J V E D 4+ -7 PP PC SP
Desterro Florianópolis (SC) 62 14 13 0 1 10 0 437 198 239
Curitiba Curitiba (PR) 49 14 10 0 4 7 2 374 246 128
São José São José dos Campos (SP) 48 14 10 0 4 7 1 412 288 124
Farrapos Bento Gonçalves (RS) 33 14 6 0 8 4 5 329 287 42
Pasteur São Paulo (SP) 29 14 5 0 9 2 7 210 227 -17
SPAC São Paulo (SP) 23 14 5 0 9 2 1 230 437 -207
Niterói Niterói (RJ) 22 14 4 0 10 3 3 279 451 -172
Band Saracens São Paulo (SP) 21 14 3 0 11 3 6 300 437 -137

Vitória = 4 pontos;
Empate = 2 pontos;
Derrota = 0 pontos;
Fazer 4 ou mais tries = 1 pontos extra;
Derrota por 7 ou menos pontos de diferença = 1 ponto extra;

– Dois primeiros colocados = classificação à final

 

Escrito por: Márcio Duailibi

Foto: Denys Flores

Comentários