Brasil tenta mas 11º lugar fica com Quênia

O último dia de jogos do torneio masculino iniciou com disputa de 11º lugar entre Brasil x Quênia em Deodoro. O Quênia, vencedor de uma das etapas da série mundial de 7s em 2016, surpreendeu-se com as fortes seleções enviadas às Olimpíadas. Na disputa, os tupis derrotados. Sem grandes dificuldades e aproveitando as falhas defensivas, os quenianos venceram por 24 x 0.

 

O primeiro lance de jogo já contou com embaraço: os tupis deixaram a desejar na recepção de bola após o chute inicial e, na primeira oportunidade, o grande e veloz, Billy Odhiambo, marcou o try. Logo depois, no reinício, Daniel Sancery capricha na recepção e consegue grandes avanços, passando por cima da defesa somente próximo à chance de try brasileiro. Num ruck ganho, a posse de bola continuou sendo dos tupis, mas, os avanços não acontecem, já que a movimentação de defesa queniana não permitia.

 

A bola perdida e a falha de tackles dos tupis deixaram que Moisés não percebesse a velocidade pela sua cega. Fim de primeiro tempo e 12 x 0 para o Quênia.

 

O segundo tempo contou com mais oportunidades do Brasil. O espaço entre o centro e a ponta queniana facilitou que Laurent ganhasse território e avançasse na linha do try acompanhando de Stefano. Num offload não bem executado, a bola chega às mãos do apoio e vai ao solo, invalidando o try marcado por Giantoro.

 

Um dos grandes lances da partida foi o chapéu que Moisés deu, recuperando a bola e avançando rumo ao tão esperado try. Rambo, acompanhando, se adianta na linha de recepção do passe e, desta, try invalidado dos tupis por passe para frente.

 

Comentários