Clubes de 5 estados lutam pelo título do Super Sevens nesse fim de semana

A temporada de Seven-a-side chega ao fim nesse fim de semana, com a disputa do Super Sevens, apresentado pela Total. Os muitos compromissos das seleções de XV e Sevens no começo do ano alteraram todo o cronograma de disputas e culminou até mesmo na desistência de clubes do Rio Grande do Sul. Mesmo com apenas uma etapa única, a promessa é de jogos muito disputados e excelente nível técnico, com pelo menos cinco equipes no páreo pelo título e pelo cobiçado Bolsa-Atleta, para os três primeiros colocados.
 
Confira a nossa prévia! Em parênteses, a posição do clube na edição 2015.
 
Grupo A: Desterro (1o), SPAC (5o) São José (2o) e Rio Branco (-)
Grupo da Morte! O atual campeão Desterro vai ter trabalho desde a primeira rodada para manter sua coroa, com outros dois favoritos ao título no mesmo grupo. Um deles é o SPAC, que largou bem na temporada, vencendo o Qualificatório sobre o São José na grande final, com try na prorrogação. Os joseenses não tem títulos na temporada, mas contam com uma regularidade incrível (também são vice-campeões do Super Sevens e do Paulista) e com o retorno de seus jogadores da seleção como os irmãos Duque, tem tudo para brigar ponto a ponto com os rubro-verdes, que igualmente devem contar com Lucas Muller e SPAC, com Martin e Alemão reforçando o grupo.
 
O Rio Branco, outro paulista da chave, não deve fazer frente para os demais rivais, tendo ficado apenas com a última vaga no Qualificatório e caído diante do SPAC na fase de classificação. Um grupo muito equilibrado deve resultar em placares mais apertados, e o pouco saldo pode prejudicar a posição dos clubes na fase seguinte.
 
 
Grupo B: Curitiba (3o), Guanabara (-), Pasteur (6o) e Niterói (8o)
Grupo mais eclético da competição, com três estados sendo representados e clubes tradicionais medindo forças. O Curitiba, com sua tradição no Seven-a-side vem credenciado pelo título estadual e a terceira colocação na última edição, com um elenco muito entrosado e a presença de Rambo, egresso da seleção de Sevens, onde vem tendo boas participações.
 
Talvez o maior rival dos Touros seja o único clube que não disputou o Super Sevens no ano passado, o Guanabara. O clube sem dúvida foi o que melhor se preparou para a disputa, contando com patrocínio de peso desde o ano passado para montar o que se pode considerar o único time profissional do país, com jogadores vindo de diversas partes para compor o elenco. E o investimento até aqui não foi à toa, já que o Guanabara levou o estadual e o SPAC Lions, campeonato que só perde em grau de dificuldades para o Brasileiro. Pasteur e Niterói terão que contar com mais do que seu histórico de bons jogadores no formato reduzido para almejar o título, não são os favoritos, mas se chegarem entre os seis primeiros também não será uma grande surpresa.
 
 
Grupo C: Jacareí (4o), Uberlândia (10o), União Rugby Alphaville (-) e Bandeirantes Saracens (7o)
Analisando somente por suas posições na última etapa, o grupo parece bem abaixo dos demais, mas ainda assim, o favorito Jacareí não deve ter vida fácil, especialmente contra seus conterrâneos. Os Jacarés surpreenderam ao bater o São José na final do Paulista na prorrogação, um feito incrível, tendo apenas Lucas Drudi como nome mais conhecido em seu elenco. O grupo é jovem, mas experiente, tendo jogado boa parte de suas vidas juntos, o que é um diferencial, e deve fazer o time lutar pelo título.
 
União Rugby Alphaville e Band Saracens travam um duelo à parte. As equipes já se enfrentaram três vezes no ano, com uma vitória para cada lado e um empate, tornando a disputa entre eles um tira-teima imprevisível. Por outro lado, o retorno de Laurent e a estreia do sul-africano Jacobus de Wet (ex-Armstrong Dragons) dão mais força para os bandeirantinos. Completa o grupo o Uberlândia, campeão mineiro já firmado como maior representante do estado na modalidade, indo para sua segunda participação seguida, desbandando o tradicional Elói Mendes (ex-Varginha) mais uma vez. Resta saber se o clube conseguirá conter os elencos aparentemente em melhor forma e se classificar entre os oito melhores, um prognóstico difícil de se concretizar.
 
 
Sábado, 19 de março
Jogo 1: 10h – Desterro x Rio Branco
Jogo 2: 10h20 – SPAC x São José
Jogo 3: 10h40 – Curitiba x Niterói
Jogo 4: 11h – Guanabara x Pasteur
Jogo 5: 11h20 – Jacareí x Bandeirantes Saracens
Jogo 6: 11h40 – Uberlândia x URA
Jogo 7: 12h20 – Desterro x São José
Jogo 8: 12h40 – SPAC x Rio Branco
Jogo 9: 13h – Curitiba x Pasteur
Jogo 10: 13h20 – Guanabara x Niterói
Jogo 11: 13h40 – Jacareí x URA
Jogo 12: 14h – Uberlândia x Bandeirantes Saracens
Jogo 13: 14h40 – Desterro x SPAC
Jogo 14: 15h – São José x Rio Branco
Jogo 15: 15h20 – Curitiba x Guanabara
Jogo 16: 15h40 – Pasteur x Niterói
Jogo 17: 16h – Jacareí x Uberlândia
Jogo 18: 16h20 – URA x Bandeirantes Saracens
 
 
Foto por João Pires/Fotojump

Comentários