Curitiba vence fora de casa e segue na briga pela final do Super 8

Curitiba e Pasteur se enfrentaram nesse fim de semana em Santana do Parnaíba com objetivos distintos em mente. De um lado, os Touros precisavam da vitória e torcer por um tropeço do vice-líder São José, para se aproximar de um lugar na final. Do outro, os Galos precisavam da vitória para afastar a ameaça de Band e Niterói, na luta para fugir das últimas colocações. Em um jogo muito truncado e de poucas oportunidades, os visitantes levaram a melhor e tiveram toda rodada a seu favor.
 
 
Veja fotos da partida por HP
 
As equipes se alternaram na posse de bola desde os primeiros instantes da partida com forte trabalho defensivo dos dois lados, que manteve o jogo na intermediária e sem grandes oportunidades de abrir o placar, até que a defesa curitibana levou ao erro de Maihara no centro, que bloqueado, permitiu aos Touros chegar aos 5m, e só foi parado com um tackle alto de Ítalo, resultando no penal try assinalado pelo árbitro Mariano de Goycochea, que German “Chicho” converteu. O ponta dos Galos ainda foi excluído por 10 minutos devido a infração.
 
O try e a vantagem numérica deram gás para o Curitiba e animou uma partida sem grandes momentos até então. German novamente conseguiu uma boa subida pela direita, seguida por Gabriel “Dom” chegando muito perto do segundo try. A defesa francesa se recuperou que conteve o avanço adversário, mas a pressão seguiu com dois penais a favor dos visitantes que buscaram superar o Pasteur no scrum, mas os Galos mantiveram o controle e conseguiram reverter a posse de bola, afastando o perigo.
 
O time da casa tinha dificuldade em ganhar terreno no jogo de mãos, então apostou nos chutes em todas as seguidas penalidades cometidas pelos curitibanos, a maioria fora do alcance para tentar um chute aos postes. O problema no entanto estava no fato das jogadas não terem continuidade e com muitos erros de manuseio na finalização, anulando os esforços do Pasteur em empatar.
 
O Curitiba também se veria reduzido a 14 homens com a saída do pilar Franco por agressão, e o Pasteur tentou diminuir imediatamente, mas Pilla perdeu o chute de frente para os paus. Antes do fim do primeiro tempo, os Galos tiveram suas melhores oportunidades, primeiro com Robert dando sequência à quebra na linha de defesa de Diegão e Maschi, mas cometeu knockon ao apoiar a bola no ingoal. Logo depois, Pilla enxergou muito bem um espaço no lado cego e chutou no fundo, mas novamente Robert falhou na conclusão, fechando a etapa inicial com vantagem para o Curitiba, que ainda teria o terceira linha Douglas Alberto excluído logo após o retorno de Franco.
 
Mesmo com um homem a menos em campo, os Touros pressionaram desde o início da etapa final, e rapidamente ampliaram com try de Leozinho na ponta, complementado com os dois pontos de Chicho, mas o Pasteur seguiu tentando buscar espaços para diminuir. A partida ficou mais tensa e o Curitiba sofreu um grande revés, com mais um cartão amarelo para Yan e a expulsão de Douglas Alberto depois de confusão com Thut, que foi punido com o amarelo. A partida manteve o forte ritmo da etapa inicial, forçando as equipes a fazer alterações sobretudo nos packs mas mesmo com mais espaços no campo propiciados pelos jogadores a menos, as defesas conseguiram se sobressair, mantendo o placar inalterado a favor dos visitantes.
 
O Pasteur se veria reduzido a 14 homens mais uma vez nos dez minutos finais da partida, com a exclusão de Gabriel Lopes, mas assim, como no try do adversário, a equipe conseguiu um try na adversidade, com Ronaldo, seguido de conversão de Pilla, colocando os Galos de volta na partida.
 
Nos cinco minutos finais, o Pasteur buscou de todas as formas o empate, pressionando muito e mantendo a bola viva depois que o cronômetro zerou, com o jogo dentro dos 22m do Curitiba, mas mais uma vez o bom trabalho defensivo dos Touros se fez presente e por fim, conseguiu reverter a posse de bola que garantiu a preciosa vitória fora de casa.
 
A rodada foi perfeita para o Curitiba, que ainda viu São José e Farrapos, seus oponentes mais próximos na busca pela final, perderem. O dia não foi totalmente ruim para o Pasteur, que anotou um ponto defensivo e se manteve na sexta colocação, mas viu Band e Niterói, que conquistaram grandes vitórias nesse fim de semana, colarem na tabela de classificação. Na próxima rodada, o Pasteur enfrenta o São José, em um dos duelos de maior rivalidade da atualidade, enquanto o Curitiba encara o Niterói.
 
 
Placar final: Pasteur (00) 07 X 14 (07) Curitiba
 
Pasteur
Try: Ronaldo Santos
Conversão: Pedro di Pilla
 
Cartões amarelos: Ítalo, Thiago Thut e Gabriel Santos
 
 
Curitiba
Tries: penal try, Leonardo ZSouza
Conversões: German (2)
 
Cartões Amarelos: Franco Vallejo, Yan Machado e Douglas Alberto
Cartão Vermelho: Douglas Alberto
 
 
Classificação
 

Clube Cidade (UF) P J V E D 4+ -7 PP PC SP
Desterro Florianópolis (SC) 62 14 13 0 1 10 0 437 198 239
Curitiba Curitiba (PR) 49 14 10 0 4 7 2 374 246 128
São José São José dos Campos (SP) 48 14 10 0 4 7 1 412 288 124
Farrapos Bento Gonçalves (RS) 33 14 6 0 8 4 5 329 287 42
Pasteur São Paulo (SP) 29 14 5 0 9 2 7 210 227 -17
SPAC São Paulo (SP) 23 14 5 0 9 2 1 230 437 -207
Niterói Niterói (RJ) 22 14 4 0 10 3 3 279 451 -172
Band Saracens São Paulo (SP) 21 14 3 0 11 3 6 300 437 -137

Vitória = 4 pontos;
Empate = 2 pontos;
Derrota = 0 pontos;
Fazer 4 ou mais tries = 1 pontos extra;
Derrota por 7 ou menos pontos de diferença = 1 ponto extra;

– Dois primeiros colocados = classificação à final


 
 

Comentários