Curitiba vence e segue na vice-liderança do Super 8

Em um sábado ensolarado na capital paranaense, os Touros tiveram um belo dia de Rugby, a começar pelo quadrangular amistoso de rugby sevens feminino, disputado entre Curitiba, SPAC, Desterro e Urutau. As meninas do Desterro fizeram bonito e venceram as três partidas disputadas, enquanto o Curitiba, atual campeão brasileiro da modalidade, venceu SPAC e Urutau. No confronto entre SPAC e Urutau, a equipe paulista levou a melhor e venceu as Urutéias. A menos de um mês para a primeira etapa do Super Sevens as equipes buscam uma melhor preparação e esses amistosos servem para colocar em prática os aprendizados dos treinamentos.
 
Mais tarde, às 15h30, os Touros receberiam o SPAC em partida válida pela 5ª rodada do Super 8. As equipes masculinas de Curitiba e SPAC vinham esperando um confronto acirrado. Ambas as equipes haviam vencido na rodada anterior e por conta disso, caso o SPAC vencesse o time da casa, assumiria a segunda colocação. Já o Curitiba, buscava se consolidar após vencer fora de casa a equipe de Niterói e, vencendo mais uma, poderia abrir 6 pontos de vantagem para o terceiro colocado. Foi o que aconteceu.
 
O primeiro tempo de jogo foi muito estudado. Ambas as equipes apostavam no equilíbrio entre as fases de forwards e abertura rápida para a linha movimentar a bola. Tanto Curitiba quanto SPAC conseguiam fazer boas jogadas de contra-ataque com velocidade, oferecendo perigo ao adversário, mas sempre pecando nas finalizações. Aos 10 minutos, o fullback curitibano “Chicho”, inaugurou o placar convertendo penal que Renato Scalercio, árbitro da partida, cobrou por retenção de bola no chão.
 
Nesse momento, tanto Curitiba quanto SPAC faziam uma bela apresentação, os visitantes atacavam muito bem e perderam duas oportunidades de marcar o primeiro try da partida. Primeiro, quando seu hooker estava prestes a apoiar a bola no in-goal e foi retirado de campo pela lateral por “Mau-Mau”. Na segunda oportunidade, Boy disparou em velocidade, conseguiu contornar o ponta adversário e ao pisar para dentro acabou escorregando, ainda assim, ele se recuperou e tentou passar para seu apoio, mas acabou tendo seu passe interceptado pelo outro ponta curitibano que fazia a cobertura. Após duas chances desperdiçadas, os paulistas viram o Curitiba movimentar bem a bola de um lado para o outro do campo, mas ainda sem conseguir finalizar. O Spac aproveitou e conseguiu movimentar o placar com uma cobrança de penal, convertida por Raj, finalizando a etapa inicial.
 
O melhor estava por vir, e segundo tempo teve um começo atípico. Logo aos 10 minutos, Yan e Boy foram expulsos após confusão em um ruck. Nenhum dos dois jogadores havia recebido cartão amarelo, fato que fez a expulsão surpreender a todos. As equipes foram obrigadas a jogar com 14 e com espaço em campo e melhor preparo físico, os Touros foram impiedosos. Mesmo ficando 10 minutos sem o seu pilar por cartão amarelo aos 13 minutos, aos 17 o Curitiba anotou seu primeiro try com Michael, após jogada em velocidade pela lateral do campo, convertido por “Chicho”. Aos 19, o Curitiba avançou em mais uma boa jogada de mão, cabendo ao pilar Diogo apoiar a bola no in-goal adversário após fazer boas fases de pick and go seguido de conversão precisa de Chicho, colocando 14 pontos de vantagem.
 
Mas aos 25 minutos, o SPAC reagiu, e em um bom ataque com os forwards quebrando os tackles adversários, a linha trabalhou a bola para que João “Torosso” fizesse o primeiro try dos visitantes, mas Raj não adicionou os dois pontos. A reação dos britânicos no entanto parou aí, com uma queda no ritmo que vinha impondo até então, e o Curitiba aproveitou, com boa subida de Elias na ponta e anotar mais um try para os touros. Após marcar o try, o Curitiba perdeu novamente seu pilar, dessa vez em definitivo. Franco foi expulso por infrações reiteradas. Com 13 em campo, “Chicho” dropou próximo à linha de 22m, marcando mais três pontos e garantindo boa vantagem dos Touros. No minuto seguinte, o Curitiba anotou um belo try de contra-ataque. Michael recebeu a bola e passou para “Mussa” que chutou a bola por cima da defesa, venceu o adversário na corrida, recuperou a bola e deu o passe para que Michael, sozinho, corresse para marcar seu segundo try na partida, novamente convertido por “Chicho”.
 
O SPAC sentiu o golpe e o Curitiba aproveitou, selando a vitória apenas um minuto depois, dessa vez com Thiago furando a defesa adversária, tirar um marcador com um hand-off e apoiar o quinto try dos donos da casa na partida, não convertido. Quando tudo parecia acabado, já além do tempo regulamentar, o SPAC perdeu a posse de bola e Elias com velocidade fez o último try da partida, convertido por “Chicho” que deu números finais à partida.
 
A grande vitória deu muito ânimo para os touros enfrentarem uma sequência de 3 jogos fora de seus domínios, enfrentando Band Saracens, São José e Farrapos. A equipe curitibana está logo atrás do líder Desterro e restando duas rodadas para o fim do primeiro turno, pretende terminar a primeira metade do campeonato na liderança. Já o SPAC se distanciou dos primeiro colocados e enfrenta em casa o São José, em confronto direto para assumir a terceira colocação e permanecer na cola dos primeiros colocados.
 
 
Placar final: Curitiba (03) 46 X 08 (03) SPAC
 
 
Curitiba
Try: Michael “Ilha”(2), Elias Cardoso (2), Diogo Strapasson e Thiago Evaristo
Conversão: “Chicho” (5)
Penal: “Chicho”
Drop: “Chicho”
 
SPAC
Try: João “Torosso”
Penal: Raj
 
 
Classificação

ClubeCidade (UF)PJVED4+-7PPPCSP
DesterroFlorianópolis (SC)62141301100437198239
CuritibaCuritiba (PR)4914100472374246128
São JoséSão José dos Campos (SP)4814100471412288124
FarraposBento Gonçalves (RS)33146084532928742
PasteurSão Paulo (SP)291450927210227-17
SPACSão Paulo (SP)231450921230437-207
NiteróiNiterói (RJ)2214401033279451-172
Band SaracensSão Paulo (SP)2114301136300437-137

Vitória = 4 pontos;
Empate = 2 pontos;
Derrota = 0 pontos;
Fazer 4 ou mais tries = 1 pontos extra;
Derrota por 7 ou menos pontos de diferença = 1 ponto extra;

– Dois primeiros colocados = classificação à final


 
Artigo por Jean Bettega
Foto: Susi Baxter-Seitz

Comentários