Desterro vence no último lance e é finalista do Super 8!

Band Saracens e Desterro se enfrentaram em momentos distintos no Super 8. Enquanto os donos da casa travam um duelo à parte para fugir do rebaixamento, os catarinenses tem uma campanha invicta e podiam chegar à final com três rodadas de antecedência. No entanto, o que se viu foi um duelo de iguais na Arena Paulista, e baixada a poeira (literalmente) o Desterro pôde celebrar a classificação antecipada em uma partida sensacional, definida no último lance.
 
 
Vejas as fotos da partida, por Daniel Venturole
 
 
A partida começou com boa subidas das equipes sempre levando perigo. Desde os primeiros instantes, se via que a partida seria intensa, com tackles precisos e fortes dos dois lados. Sem se intimidar com o status de líder dos visitantes, o Band abriu o placar em grande jogada de Joabe, que furou a linha pelo centro e ainda enganou o último homem com um dummy, chegando ao ingoal sem oposição. Tomás complementou, mas a alegria bandeirantina durou apenas um minuto, pois na reposição, o Desterro reotmou a posse e após correr a bola de um lado a outro do campo, Ige utilizou o espaço na ponta esuqerda para apoiar, com conversão de Lê para os rubro-verdes.
 
As equipes se alternavam na posse de bola, mas o Band chegava com mais perigo e neutralizava muito bem o jogo adversário. A partir de mais uma ótima ação defensiva, saiu o segundo try do time paulistano. Após um tackle duplo em Coghetto, uma tentativa de ofload foi interceptada por Tomás, que correu desde a linha de 10m do seu campo de defesa até o ingoal adversário sem marcação, apoiando debaixo dos paus, conquistando mais dois pontos fáceis.
 
As jogadas ofensivas das duas equipes passam em sua maior parte pelo centro e na base dos forwards, e esse caminho foi muito bem explorado pelos bandeirantinos, sempre com jogadores no apoio dando continuidade ao ataque. Depois de nova quebra na linha adversária, o Band seguiu nos 22m e Joabe quase teve a oportunidade de fazer o seu segundo try do dia, mas a bola não chegou. De Wet no entanto foi bem sucedido em jogada similar e não perdoou, dobrando a vantagem do time da casa.
 
Os minutos finais da etapa inicial foram disputados e exigiram muito preparo físico das equipes que mantiveram o ritmo acelerado apesar do calor ao longo do dia. O Desterro quase reduziu com um belo chute alto na ponta direita, e mesmo com seu jogador levando a melhor na recepção, ele acabou soltando a bola ao cair a um metro do ingoal. O Band respondeu depois com uma ótima corrida de JP recebendo um chute em seu campo de defesa e se livrando dos marcadores até chegar aos 5m finais, mas o scrum catarinense se recuperou e afastou o perigo. Os dois últimos ataques ficaram à cargo do Desterro, primeiro em uma linda série de offloads bem trabalhados pelo centro levou o time a 3 metros do ingoal adversário, mas a defesa bandeirantina se recuperou a tempo e evitou o pior. Com um penal a favor no minuto final, Lê optou por chutar aos postes e garantir mais três pontos, reduzindo a vantagem do Band para 11 pontos no fim do primeiro tempo.
 
O segundo tempo começou com Tomás restaurando a vantagem bandeirantina com um novo penal, mas o momento era do Desterro, que correu atrás do prejuízo e seguiu pressionando. Em sua primeira ação na partida, o experiente Grampola ziguezagueou pelo centro se livrando de marcadores e quase chegou ao try, novamente pelo centro, mas mais uma vez a defesa bandeirantina mostraria grande poder de recuperação para evitar o try.
 
Mas as ações ofensivas do Desterro finalmente dariam resultado, com Ige anotando seu segundo try do dia, na base do pick and go, um duelo de dois packs duríssimos depois de dois penais a seu favor. O empate viria três minutos depois, com Panta escapando muito bem pela esquerda, aproveitando a defesa desorganizada e empatou o jogo. O Desterro tinha as principais ações do jogo, mas o Band nivelava mantendo a defesa forte, apesar da falha no lance anterior. Tentando definir o jogo, os catarinenses se precipitaram em algumas definições que poderiam ser melhor trabalhadas. Depois de nova subida de Panta, dessa vez pela direita, mais uma série de penais foram bem defendidos pelos bandeirantinos e não permitiram a virada Ige tentou forçar pelos forwards e acabou desperdiçando o ataque.
 
O Band levou o jogo ao campo adversário com chutes no fundo e muita pressão, onde os catarinenses não cobriam com tanta eficácia, e com o jogo novamente na intermediária e um novo penal a seu favor, Tomás chamou a responsabilidade e pediu para chutar aos postes do meio de campo. A bola caprichosamente bateu na trave e entrou, colocando o Band na liderança com pouco mais de cinco minutos para o fim da partida. O
 
Os minutos finais foram dramáticos, com o Desterro buscando o resultado mais uma vez. E se a tática não estava ajudando, o clube contou com um erro crasso do adversário. Com lineout a seu favor dentro dos 22m de seu campo de defesa e pouco mais de um minuto para o fim, o half bandeirantino que havia acabado de entrar, optou por uma cobrança rápida, mesmo com todos adversários alinhados próximo à posição do lineout. Com isso, os rubro-verdes pressionaram muito e fizeram com que o Band apoiasse a bola em seu próprio ingoal. O Desterro teria um scrum nos 5m no último lance da partida. Conseguindo manter a posse de bola, o Desterro teve calma e depois de bater duas vezes, finalmente apoiou com Mário, garantindo uma vitória muito comemorada que garantiu a classificação antecipada às finais.
 
Ao Band, restou o ponto extra e a certeza de terem deixado tudo em campo, mas mais uma vez, deixado a vitória escapar. A equipe segue na penúltima posição, apenas um ponto acima do Niterói.
 
O Portal do Rugby elegeu Joabe o melhor jogador da partida.
 
 
Placar final: Band Saracens (21) 27 X 29 (10) Desterro
 
Band Saracens
Tries: Joabe, Tomás, De Wet
Conversões: Tomás (3)
Penais: Tomás (2)
 
Desterro
Tries: Ige (2), Panta, Mário Zerbetto
Conversões: Lê, Panta (2)
Penal: Lê
 
 
Classificação
 

Clube Cidade (UF) P J V E D 4+ -7 PP PC SP
Desterro Florianópolis (SC) 62 14 13 0 1 10 0 437 198 239
Curitiba Curitiba (PR) 49 14 10 0 4 7 2 374 246 128
São José São José dos Campos (SP) 48 14 10 0 4 7 1 412 288 124
Farrapos Bento Gonçalves (RS) 33 14 6 0 8 4 5 329 287 42
Pasteur São Paulo (SP) 29 14 5 0 9 2 7 210 227 -17
SPAC São Paulo (SP) 23 14 5 0 9 2 1 230 437 -207
Niterói Niterói (RJ) 22 14 4 0 10 3 3 279 451 -172
Band Saracens São Paulo (SP) 21 14 3 0 11 3 6 300 437 -137

Vitória = 4 pontos;
Empate = 2 pontos;
Derrota = 0 pontos;
Fazer 4 ou mais tries = 1 pontos extra;
Derrota por 7 ou menos pontos de diferença = 1 ponto extra;

– Dois primeiros colocados = classificação à final

Comentários