Nesse fim de semana, começa mais uma edição da Liga Nordeste, que entra em sua quarta edição, com uma equipe a menos que em 2014. O Piauí, atual campeão, é junto com o Maranhão, o único a disputar todas edições da competição desde a criação da Liga, e vem novamente como um dos favoritos na competição. Mas vale ressaltar que torneios interestaduais no Nordeste são disputados desde 2006.

Entre os participantes, a ausência mais sentida é a do Paulista/Náutico, vice-campeão em 2014. O clube dá lugar ao Talleres como representante do Pernambuco, que tenta manter a boa campanha da surpresa de 2014. O Sampaio Correa, outro time apoiado por uma tradicional agremiação do futebol local, também não disputa a competição esse ano. Em compensação, estreiam o próprio Talleres e o Asa de Arapiraca, duas equipes que também remontam a clubes de futebol.

- Continua depois da publicidade -

 

Os grupos da primeira fase da competição são os seguintes:

Grupo A – Piauí (PI), Parnaiba (PI) e Maranhão (MA)

Grupo B – Talleres (PE), Asa Branca (CE) e Potiguar (RN)

Grupo C – Asa de Arapiraca (AL), Serigy (SE) e Orixás (BA)

 

Na segunda fase, os seis melhores classificados,formarão dois grupos a partir da menor distância média geográfica entre eles, e as equipes se enfrentarão em jogos de turno único. Os dois primeiros colocados de cada grupo se enfrentam em semifinais de turno único, e posteriormente, os vencedores fazem a grande final.

Veja o regulamento da Liga Nordeste 2015! 

 

O campeão vem com tudo para se manter no topo, mas ainda luta fora de campo

Para André Magalhães, presidente do Piauí, grande desafio ainda é vencer as barreiras fora de campo e expandir suas fronteiras. “nossa maior expectativa é concretizar a equipe e o esporte no cenário estadual. Fizemos grandes jogos e conseguimos grandes resultados em 2014, mas ainda enfrentamos inúmeros problemas no dia-a-dia de treinos, principalmente quando se trata em ter um local fixo e adequado para a prática do esporte. Daremos também continuidade com a nossa proposta de ingressar no cenário nacional, seja isso por meio de amistosos ou de campeonatos, mas queremos medir força com outras equipes até para termos referência de que pontos temos que evoluir para sermos competitivos em grandes torneios.”

Mas não é por isso que o clube descuidou do preparo para os desafios dentro de campo. “Focamos na evolução e preparação física dos atletas, tendo apoio e acompanhamento nutricional para boa parte da equipe e constantemente realizando treinos específicos para cada posição. Nosso ponto forte será provavelmente a resistência física somado a uma estratégia de jogo bem definida. Tentaremos tirar o máximo de proveito de todo o investimento no físico dos atletas para buscar uma vantagem, principalmente, no segundo tempo de jogo, que é o período de melhor rendimento da nossa equipe.”

 

Potiguar volta às origens

O maior campeão do Nordeste é o Potiguar, que retorna às suas origens, depois de se tornar Alecrim e Armstrong Dragons mas segue forte e com disposição para tentar o tricampeonato. André não esconde a ansiedade em encontrar os algozes de 2013. “Ficamos felizes com a possibilidade de poder enfrentar o Potiguar esse ano. Em 2013, a derrota para o Alecrim foi um ponto de grande mudança na nossa equipe, onde conseguimos enxergar muito do que precisávamos para crescer como um time. Tanto que em 2014, a equipe entrou com um foco totalmente diferente e conquistou o título com ótimos resultados. Se houver esse confronto, vai ser o nosso grande teste para medir nossa evolução e nosso potencial, já que poderemos enfrentar uma equipe que mostrou toda sua qualidade a nível nacional.”

 

Asa Branca mira alto

Do Ceará, o Asa Branca vem com muita confiança, mesmo caindo no grupo mais duro da primeira fase. Igor Facundo, terceira linha e presidente do clube é quem diz o que esperar do clube de Fortaleza. “Não nos consideramos no grupo da morte mas sim em uma prévia do que seria uma bela final. Isso nos motiva e faz treinarmos com mais afinco. Afinal sempre ficamos no mesmo eixo Ceará-Piaui e agora temos a chance de testar nosso nível com um time totalmente novo para todos.”

“Nos preparamos para o campeonato 2015, jogando todos os campeonatos regionais e amistosos possíveis no segundo semestre de 2014, continuamos com nossos treinos, recrutamos novos jogadores e recuperamos antigos e hoje contamos com um número mínimo de trinta atletas por treino. Fechamos a parceria com uma academia e temos um espaço de musculação físico agora. A meta desse ano é a final e até então temos batido todas as que colocamos!”

 

Talleres, a surpresa argentina do Pernambuco

A associação de clubes de Rugby com futebol não é novidade, e as equipes do Nordeste foram os que adotaram essa prática com mais intensidade nos últimos anos. Além do pioneiro Galícia, tivemos o Alecrim, Sampaio Correia, Náutico e mais recentemente o Asa de Arapiraca. O que separa todas essas equipes do Talleres, representante pernambucano, desbancando o vice-campeão Paulista/Náutico, é que ele homenageia um time de futebol argentino.

Quem nos conta sobre as expectativas dos pernambucanos é Carlos Laphitz, pilar direito e um dos treinadores da equipe, ao lado do experiente Marcelo Blanco, educador da CBRu. “Estamos treinando duro e temos confiança no time, vai ser uma competição difícil, mas se colocarmos tudo que treinamos em prática, podemos chegar longe. Acredito que nosso grupo é o mais equilibrado, com o bom Asa Branca e o Potiguar, que mostrou o que sabe no Super 10 ano passado.”

 

Orixás aposta no crescimento do Rugby baiano para se fortalecer na Liga 

“As equipes do nosso grupo estão mais evoluídas do que antes, então a tendência é de termos jogos mais difíceis a cada ano”, diz André Handoff, capitão do Orixás. “Respeitamos muito nossos vizinhos de estado, por isso vamos chegar duro e só a vitória com lealdade nos interessa. Estamos treinando com um grupo mais unido talvez esse possa ser o nosso diferencial dos últimos dois anos. Talvez uma equipe menos experiente, mas com guerreiros que treinam e realizam todo tipo de sacrifício pelo clube.
“Acredito que nosso calendário completo (aproximadamente 1,5 jogos por mês em 2015) também podem nos ajudar e ser o diferencial do Nordeste XV esse ano uma vez que temos jogos bem interessantes com equipes do interior da Bahia que crescem exponencialmente, conforme pode observar das partidas da Copa Velho Chico de Rugby XV.Nossa equipe será basicamente a mesma que conseguiu o bicampeonato da Copa Velho Chico, felizmente o grupo não parou de treinar após a batalha em Vitória da Conquista, então esse título pode ser nosso, vamos trabalhar para isso.”

Veja a tabela de jogos completa!

Dia 21/março

Asa de Arapiraca X Serigy – Arapiraca

Talleres X Asa Branca – Recife

 

Dia 28/março

Piauí X Parnaíba – Teresina

 

Dia 11/abril

Maranhão X Piauí – São Luís

Potiguar X Talleres – Natal

Serigy X Orixás – Cícero Dantas

 

Dia 16/maio

Parnaíba X Maranhão – Parnaíba

Asa Branca X Potiguar – Fortaleza

Orixás X Asa de Arapiraca – Camaçari

 

Dia 13/junho

1a rodada da 2a fase

 

Dia 11/julho

2a rodada da 2a fase

 

Dia 15/agosto

3a rodada da 2a fase

 

Dia 26/setembro

Semifinais

 

Dia 07/novembro

FINAL