Maringá mantém escrita e supera o Pé Vermelho

Pela sexta e última rodada da fase classificatória da Taça Tupi, o Pé Vermelho recebeu seu maior rival, os maringaenses do Hawks. A retrospectiva não era boa para os donos da casa, já que este ano, os londrinenses não haviam vencido os Hawks. E não foi diferente, os números finais foram de 22 a 38 para o time de Maringá, que assim fecharam sua participação na terceira colocação.
 
Mesmo com o grupo definido com uma rodada de antecedência, as equipes não deixaram de fazer um bom espetáculo para os presentes. Em campo, a rivalidade ficou clara, e foi possível ver um bom jogo, onde o Pé Vermelho se mostrava melhor atacando com os forwards e o Maringá com um excelente jogo de mãos com seus backs, foi o panorama do jogo. E foram os londrinenses que inauguraram o placar, com um chute de penalidade convertido por Peri. Mas a vantagem não durou muito, os Hawks conseguiram entra e anotar dois tries (Luizinho e Negão) convertidos pelo sempre pelo seu abertura, Bagé, fechando a etapa inicial em um placar favorável de 14 a 3 para o Hawks.
 
O Pé Vermelho, voltou para o tempo complementar querendo dificultar a vida dos Hawks, e logo com seis minutos, em consecutivas jogadas de pick and go, o hooker Ricardo conseguiu anotar o primeiro try, seguido de conversão por Peri, colocando a equipe da casa novamente no jogo.
 
A reação no entanto, não foi longe, e rapidamente o Maringá tomou conta da partida novamente, com dois tries em dez minutos, com Abobrão e Patcha, ampliando a vantagem para dezesseis pontos.
 
O segundo tempo teve mais emoção para os dois lados. Os londrinenses não se abateram e continuaram insistindo no jogo de avançados com muitas fases, e depois de um scrum na linha de 5m do seu campo de ataque, o Oitavo Tonhão conseguiu apoiar no ingoal adversário, chegando ao seu segundo try. Mas assim como na etapa inicial, o ataque do Hawks foi efetivo em restabelecer sua vantagem, com mais dois tries, novamente com Mazon e Márcio.
 
Ainda houve tempo para mais um try do Pé Vermelho, em boa jogada após um turn over, o ponta Gabriel Sanches superou a defesa e anotou seu try, convertido por Peri, dando números finais ao jogo.
 
Terminada a fase de grupos, os dois representantes paranaenses se despedem da Taça Tupi O Maringá chegou aos 11 pontos, distante dos 24 de Rio Branco e Wallys, que não tiveram grandes dificuldades frente os clubes do estado. O Pé Vermelho encerra sua participação com apenas um ponto, conquistado na derrota diante do Wallys, ainda no primeiro turno.
 
 

Placar final: Pé Vermelho (03) 22 X 38 (14) Maringá Hawks
 

 

Londrina
Tries: Ricardo, Tonhão,
Conversão: Peri
Penal: Peri
 

Maringá
Tries: Luizinho, Fernando Mazón (2), Abobrão, Patcha, Márcio,
Conversões: Lucas Bagé (4)

 

 

Clube Cidade (Estado) Pts J V E D 4+ 7- PP PC
Grupo A
Wallys Louveira (SP) 24 6 5 0 1 4 0 206 69
Rio Branco São Paulo (SP) 24 6 5 0 1 4 0 258 59
Maringá Hawks Maringá (PR) 11 6 2 0 4 3 0 159 251
Pé Vermelho Londrina (PR) 1 6 0 0 6 0 1 50 295
Grupo B
Niterói Niterói (RJ) 30 6 6 0 0 6 0 273 84
Poli São Paulo (SP) 21 6 4 0 2 4 1 194 118
BH Rugby Belo Horizonte (MG) 11 6 2 0 4 3 0 142 203
Guanabara Rio de Janeiro (RJ) 0 6 0 0 6 0 0 47 251
Grupo C
San Diego Porto Alegre (RS) 28 6 6 0 0 4 0 218 47
Serra Caxias do Sul (RS) 17 6 3 0 3 3 2 157 137
Charrua Porto Alegre (RS) 15 6 3 0 3 2 1 170 93
BC Rugby Balneário Camboriú (SC) 0 6 0 0 6 0 0 56 324


 

 

Artigo por Júlio Cesar Molina
Foto

Comentários