Niterói surpreende, mas é derrotado pelo São José

O início do Super 8 não poderia ser mais emocionante para os espectadores que aguardam um incrível ano olímpico. De um lado, o São José, equipe nove vezes campeã do torneio nacional e atual dona do troféu. Do outro, a recém reintegrada equipe do Niterói (mas com respeitáveis seis títulos nacionais), que após uma final de tirar o folego na Taça Tupi do ano passado, garantiu sua vaga na disputa pelo Super 8.

 

O embate clássico entre fluminenses e paulistas começou cedo, com as equipes femininas disputando um breve amistoso de seven’s. A vitória sorriu as joseenses, porém o embate foi digno de uma acirrada disputa de Super Sevens, tendo em vista que as rubro-negras mal aqueceram antes de jogo.

 

Após o embate feminino, torcida já alocada e um péssimo clima chuvoso, os atletas entraram em campo. O chute inicial foi do São José, que, como uma avalanche avançaram pouco à pouco até o primeiro try do jogo, logo aos três minutos, com Rafael Dawailibi, convertido por Rafael Morales. A partida não estava decidida e isso incentivou os fluminenses a abusarem dos contra-ataques batendo de ponta a ponta na equipe da casa. Mas o esforço ultrapassou o limite da penalidade, e isso foi agravado com um penal de frente com os postes convertido por Rafael Morales aos doze minutos. No entanto, a reviravolta não tardou a gloriar os rubro-negros que pontuaram ao reinício da partida, com uma ótima escapada pela ponta de Geudsy Abib, que anotou o primeiro try caiçara da partida, convertido por Erick Iglesias.

 

O placar encostado e o público surpreso obrigaram os joseenses a explorarem suas jogadas, mas, na defesa, pecaram em diversos momentos, e, mesmo atrás do meio de campo, Erick Iglesias, converteu dois penais para o Niterói que passou a frente no placar. A alegria dos visitantes não demorou a desaparecer com um try de Jonathan Alvarenga, que junto a conversão de Rafael Morales voltaram a tomar a ponta no placar. Mesmo com um excelente drop goal de Daniel Gregg, o Niterói permaneceu com seus 16 pontos enquanto o São José, antes do termino da primeira etapa, anotou mais um penal convertido por Rafael Morales, encerrando com 20 pontos.

 

O reinício foi marcado pela troca constante de jogadores. Todas as energias que os atletas poderiam depositar durante a partida ficaram registradas na primeira etapa. O segundo tempo ficou com dominância centrada, ambas as equipes atacavam e defendiam muito bem, e impulsionados pelos torcedores, os dois lados garantiram uma constante troca no ritmo de jogo. Porém, aos quinze minutos, Raphael Delphino, do Niterói recebeu um amarelo por segurar o adversário. A possível reviravolta no placar para o lado fluminense se transformou numa batalha para não deixar a equipe da casa ampliar o placar, e foram diversas as chances que os caipiras tiveram na segunda etapa, mas sempre terminavam pecando na hora de finalizar.

 

Já ao fim da partida, e com todos os trinta atletas em campo, a disputa se tornou uma tortura temporária, mas Rafael Morales mostrou uma clássica investida e anotou mais três pontos para os joseenses com um drop goal certeiro. Com o tempo normal já terminado e a posse de bola dos rubro-negros, foi hora de “suar frio”. Daniel Gregg comandou o contra-ataque, de mão em mão a bola alcançou das 5 de defesa às 22 adversárias, porém, a estrutura de forwards joseense recuperou a bola após um ruck mal trabalhado, e a vitória da casa se definiu com o chute de Murilo Rebolo, encerrando em São José 23 contra 16 Niterói.

 

Placar final: São José 23 x 16 Niterói
Árbitro: Mariano de Goycoechea
Local: CT Ange Guimera – São José dos Campos/SP

 

São José
Tries: Jonathan Alvarenga, Rafael Dawailibi
Conversão: Rafael Morales(2)
Penais: Rafael Morales(2)
Drop Goal: Rafael Morales

 

Niterói
Try: Geudsy Abib
Conversão: Erick Iglesias
Penais: Erick Iglesias(2)
Drop Goal: Daniel Gregg

 

Clube Cidade (UF) P J V E D 4+ -7 PP PC SP
Desterro Florianópolis (SC) 62 14 13 0 1 10 0 437 198 239
Curitiba Curitiba (PR) 49 14 10 0 4 7 2 374 246 128
São José São José dos Campos (SP) 48 14 10 0 4 7 1 412 288 124
Farrapos Bento Gonçalves (RS) 33 14 6 0 8 4 5 329 287 42
Pasteur São Paulo (SP) 29 14 5 0 9 2 7 210 227 -17
SPAC São Paulo (SP) 23 14 5 0 9 2 1 230 437 -207
Niterói Niterói (RJ) 22 14 4 0 10 3 3 279 451 -172
Band Saracens São Paulo (SP) 21 14 3 0 11 3 6 300 437 -137

Vitória = 4 pontos;
Empate = 2 pontos;
Derrota = 0 pontos;
Fazer 4 ou mais tries = 1 pontos extra;
Derrota por 7 ou menos pontos de diferença = 1 ponto extra;

– Dois primeiros colocados = classificação à final

 

Por: Cauã Ricardo
Foto: São José

Comentários