Niterói vence clássico do Rio diante do Guanabara

Na tarde quente deste sábado em Papucaia, o Guanabara recebeu o Niterói pela segunda rodada da Taça Tupi, no primeiro clássico fluminense do torneio. Num jogo movimentadíssimo, os rubronegros conquistaram uma importante vitória por 32 a 13 e seguem empatados com a Poli na liderança, com 100% de aproveitamento. Já o Guanabara sofreu sua segunda derrota em dois jogos.

 

As equipes que vem disputando ponto a ponto o título estadual dos últimos anos se enfrentaram pela primeira vez na Taça Tupi e, se a rivalidade local não fosse ingrediente suficiente para esse jogo, o Guanabara esperava apagar a péssima estreia contra a Poli. O jogo começou equilibrado e bem disputado nas formações. O Niterói tomava a iniciativa, atacando sempre com seu oitavo, o argentino Franco, e com abertura Daniel Gregg abusando das jogadas individuais. Os cariocas defendiam bem, buscando sempre o contra-ataque.

 

Com 10 minutos jogados, a pressão dos visitantes surtiu efeito. O Niterói avançou usando a força de seus forwards, e o asa Robert abriu o placar. O try empolgou a equipe, que logo anotou mais um. Franco furou a defesa e partiu pelo meio para fazer 10 a 0. Se com a bola na mão, Gregg fazia a diferença, com os pés não ia tão bem. O experiente abertura já havia perdido o primeiro chute, e agora errara a conversão quase de frente para os paus.

 

O jogo então volta a ter equilíbrio. O Guanabara apostando no jogo de forwards consegue bons avanços, enquanto os adversários mantêm o jogo nas mãos de seu oitavo. Os azuis finalmente pontuam num penal convertido pelo fullback Gabriel “Alemão”. No final do primeiro tempo o campeão fluminense tenta impor novamente uma pressão, mas tentativas esbarram na defesa bem postada do time da casa. A moral cresce, e o Guanabara vai para o intervalo, tomando conta da partida.

 

A segunda etapa começou a todo vapor com o ponta David “Cabelo” anotando seu try para o Guaná. O placar marcava 10 a 8. O calor não dava trégua, mas o ritmo não diminuía. Tackles duros, e belas disputas nas formações mostravam a vontade com que as equipes foram para o jogo. Aos 15 minutos, Franco mais uma vez fez a diferença. Encarou a marcação, quebrando tackles e apoiando a bola em baixo dos paus, facilitando a vida do chutador. Try convertido por Daniel Gregg.

 

O físico começou a fazer a diferença. Os times se renovaram, mas os cariocas não mantiveram o nível e o Niterói soube aproveitar marcando com o pilar Montanha, e logo em seguida com Gregg, numa bela jogada individual. O Guanabara respondeu com o scrum-half Clayton, batendo rápido um penal, e deixando a marcação pra trás. Nos últimos minutos, Gregg costura a defesa e anota mais uma vez, em try convertido pelo próprio, fechando o placar. Vitória bonificada, 32 x 13.

 

Placar final: Guanabara 13 x 32 Niterói

 

Guanabara

Tries: Cabelo e Clayton

Penais: Alemão (1)

 

Niterói

Tries: Franco (2), Gregg (2) Robert e Montanha

Conversões: Gregg (1)

 

Escrito por: Thiago Moura

Foto: Michael McKinley/Fotojump

 

Clube Cidade (Estado) Pts J V E D 4+ 7- PP PC
Grupo A
Wallys Louveira (SP) 24 6 5 0 1 4 0 206 69
Rio Branco São Paulo (SP) 24 6 5 0 1 4 0 258 59
Maringá Hawks Maringá (PR) 11 6 2 0 4 3 0 159 251
Pé Vermelho Londrina (PR) 1 6 0 0 6 0 1 50 295
Grupo B
Niterói Niterói (RJ) 30 6 6 0 0 6 0 273 84
Poli São Paulo (SP) 21 6 4 0 2 4 1 194 118
BH Rugby Belo Horizonte (MG) 11 6 2 0 4 3 0 142 203
Guanabara Rio de Janeiro (RJ) 0 6 0 0 6 0 0 47 251
Grupo C
San Diego Porto Alegre (RS) 28 6 6 0 0 4 0 218 47
Serra Caxias do Sul (RS) 17 6 3 0 3 3 2 157 137
Charrua Porto Alegre (RS) 15 6 3 0 3 2 1 170 93
BC Rugby Balneário Camboriú (SC) 0 6 0 0 6 0 0 56 324

Comentários