Niterói vence e confirma classificação às semifinais da Taça Tupi

No último sábado, o Niterói recebeu a Poli no campo da Universidade Federal Fluminense, em partida decisiva que valia a classificação para as semifinais da Taça Tupi. O atual campeão fluminense, além de defender sua invencibilidade na competição, queria confirmar sua passagem a próxima fase. Já os visitantes Politécnicos queriam surpreender e devolver a derrota sofrida no primeiro confronto em São Paulo (Poli 26 X 32 Niterói), e garantir a vaga às semifinais da competição. As duas equipes proporcionaram mais um confronto empolgante e de alto nível para os torcedores presentes.
 
A partida iniciou com muita intensidade e em alta velocidade. A Poli sabia que o caminho mais curto para a classificação seria a vitória e tratou de buscá-la, fazendo muita pressão nos primeiros 15 minutos da partida, jogando sempre no campo de defesa do Niterói que se defendia bravamente e segurava o ímpeto dos visitantes.
 
As duas equipes mediam forças em disputas de formações fixas e lines; passados os 15 minutos iniciais, a Poli começou a cometer erros nas finalizações de suas jogadas e o Niterói com um time mais experiente em campo, conseguiu equilibrar a partida explorando principalmente os chutes no fundo da defesa da Poli e mostrando que iria fazer valer seu mando de campo. O Niterói buscava explorar os erros do adversário e se aproveitar de um vacilo para sair em vantagem na partida e o erro logo apareceu, após penal cometido pela Poli, David Grael começou a mostrar que seus chutes certeiros seriam decisivos na partida, anotando os primeiros três pontos para os donos da casa.
 
A partida continuou com um forte ritmo e com grande disputa física de ambas as partes. Aos 21 minutos, João Paulo recebeu cartão amarelo por jogo sujo, desfalcando os rubro negros por 10 minutos. Os Politécnicos não souberam aproveitar a vantagem numérica em campo e em seguida, João Rafael “Mib” também recebeu cartão amarelo por cometer penal de tackle alto desfalcando sua equipe por 10 minutos, seguido de penal convertido por Grael, aumentando o placar.
 
Nessa altura da partida o Niterói já possuía mais volume de jogo e explorava as jogadas em velocidade pelas pontas do campo. Aos 32 minutos após uma formação fixa nas 22 de defesa da Poli, o Niterói venceu a disputa e em uma forte arrancada do segunda linha, André Luiz Villaça caiu dentro do ingoal dos Politécnicos marcando o primeiro try do jogo para o Niterói.
 
Os visitantes não se abalaram com a desvantagem no placar e logo se organizaram e retomaram o padrão de jogo e aos 36 minutos, Pedro Mantovani “Gonzo” conseguiu interceptar um passe do Niterói no meio do campo e em uma corrida de mais de 55 metros, conseguiu entrar no ingoal e apoiou a bola no meio do H do Niterói marcando o primeiro try da Poli na partida, convertido por Fernando Agra “Feijoada”, fechando o placar no primeiro tempo de jogo e criando uma boa expectativa para a partida no segundo tempo.
 
O segundo tempo começou quente, com as duas equipes decididas a deixar tudo em campo para garantir a vaga às semifinais. Os Politécnicos se mostraram mais nervosos e pressionados pela desvantagem no placar e começaram a cometer erros primários como sucessivos knock-nos e falhas na comunicação. Já o Niterói aproveitou os erros do adversário e aos cinco minutos aumentou o placar com mais um penal certeiro convertido Grael. Para complicar ainda mais a vida dos visitantes, aos 11 minutos, o capitão dos Politécnicos, Gonzo recebeu cartão amarelo, desfalcando a equipe paulistana e deixando seu time em situação complicada no segundo tempo. O Niterói aproveitou a vantagem numérica em campo e em menos de cinco minutos marcou dois tries com Mauro Filho e Raphael Delphino, com uma conversão adicionando dois pontos.
 
A vantagem no placar deu mais tranquilidade aos donos da casa que começaram a dominar a partida e cadenciar o jogo, até que aos 23 minutos, o pilar da Poli Edgar Malta recebeu cartão vermelho complicando de vez a missão dos paulistanos, que já não era nada fácil nessa altura da partida. A partida seguia intensa e com muita disputa física entre as duas equipes e aos 25 minutos, o terceira linha Paraguaio Mathius Duarte recebeu cartão amarelo deixando as duas equipes com 14 homens em campo.
 
Os 15 minutos finais da partida foram emocionantes e a proposta da Poli era clara: partir para o ataque e conseguir a virada na partida a qualquer custo, já que o Niterói buscava não correr riscos e garantir até o final a vantagem construída no placar. A pressão da Poli logo resultou com o try de Gabriel Quiroga “Carioca”. Porém em seguida, os rubro negros de Niterói, em penal cobrado rápido, Matheus Moreira recebeu a bola em velocidade na ponta e marcou o quarto try, garantindo o ponto bônus da equipe fluminense.
 
Os Politécnicos, mesmo com um homem a menos na partida, não se entregaram e aos 39 minutos Gonzo marcou seu segundo try na partida, porém a resposta do Niterói veio em seguida depois de um erro na defesa da Poli, o oitavo Argentino do Niterói, Franco Maggiolo conseguiu quebrar a marca e apoiou no meio do H da Poli, acabando com qualquer tentativa de reação dos paulistanos e dando números finais a partida com mais um chute de Grael.
 
A vitória bonificada deu ao Niterói a vaga às semifinais da taça tupi, e em sua próxima partida receberá em casa a equipe do Rio Branco, valendo uma vaga na decisão do campeonato. Já os Politécnicos lutaram bravamente até o final mas deram adeus a competição e finalizaram sua participação na taça tupi.
 
 
Placar final: Niterói (11) 38 X 17 (07) Poli
 
 
Niterói
Tries: Villaça, Maurinho, Delphino, Matheus Moreira, Franco Maggiolo
Conversões: David Grael (2)
Penais: David Grael (3)
Cartão amarelo: João Paulo, Mathius Duarte
 
Poli
Tries: Pedro Mantovani (2), Gabriel Quiroga
Conversões: Fernando Agra
Cartão amarelo: João Rafael, Pedro Mantovani
Cartão Vermelho: Edgar Malta

 
 

Clube Cidade (Estado) Pts J V E D 4+ 7- PP PC
Grupo A
Wallys Louveira (SP) 24 6 5 0 1 4 0 206 69
Rio Branco São Paulo (SP) 24 6 5 0 1 4 0 258 59
Maringá Hawks Maringá (PR) 11 6 2 0 4 3 0 159 251
Pé Vermelho Londrina (PR) 1 6 0 0 6 0 1 50 295
Grupo B
Niterói Niterói (RJ) 30 6 6 0 0 6 0 273 84
Poli São Paulo (SP) 21 6 4 0 2 4 1 194 118
BH Rugby Belo Horizonte (MG) 11 6 2 0 4 3 0 142 203
Guanabara Rio de Janeiro (RJ) 0 6 0 0 6 0 0 47 251
Grupo C
San Diego Porto Alegre (RS) 28 6 6 0 0 4 0 218 47
Serra Caxias do Sul (RS) 17 6 3 0 3 3 2 157 137
Charrua Porto Alegre (RS) 15 6 3 0 3 2 1 170 93
BC Rugby Balneário Camboriú (SC) 0 6 0 0 6 0 0 56 324


 
 
Artigo por Henrique Lima
Foto por Michael Mckinley/Fotojump

Comentários