Niterói vence e mantém 100% na Taça Tupi

Nesse sábado, a Poli recebeu o Niterói no CEPEUSP, capital paulista, para o duelo de líderes do grupo 2 da Taça Tupi. As duas melhores equipes sabiam que seria um jogo equilibrado, e essa foi tônica da partida, refletida no placar final, favorável ao rubro-negro fluminense que dá um passo importante rumo a classificação às semis.

 

 

Os desfalques de cada lado – Gregg e Grael do lado do Niterói, Orefice do lado politécnico – se fizeram sentir mais para os paulistas, que pecaram muito na linha, com diversos erros de handling e erro na ligação entre avançados e linhas. Já o Niterói viu no argentino Franco Hernan, jogando de oitavo, um líder que comandou boa parte das ações ofensivas dos visitantes.

 

 

Veja as fotos da partida, por Daniel Venturole

 

 

A partida começou e logo a Poli saiu na frente, com penal de Hideo “Jaspion” ainda aos cinco minutos de jogo. No chute de saída do Niterói mal cobrado, resultando em scrum no meio de campo para a Poli, saiu o primeiro try do jogo. O oitavo Pedro “Gonzo” Mantovani tirou a bola e avançou sem oposição até a linha de 10m, onde serviu Victor Bellemo que conseguiu vencer a defesa e anotar o seu try, não convertido por Hideo. A resposta foi igualmente rápida, com Franco vencendo a defesa adversária na força para diminuir. Marcelo adicionou dois pontos no chute, reduzindo a distância para um ponto.

 

 

Hideo teve a chance de abrir vantagem para a Poli, mas desperdiçou dois penais frontais que fariam falta no fim do jogo. O Niterói tinha menos posse de bola, mas quando tinha, conseguia avançar para o campo de ataque e ameaçar o adversário. A Poli por sua vez se mostrava mais sólida nos scrums, mas errava demais e cometia penais que prejudicavam a continuidade do seu jogo. Hideo se redimiu e anotou os dois penais seguintes, colocando a vantagem em sete pontos.

 

 

Em mais um bom trabalho ofensivo dos rubro-negros, saiu o segundo try da equipe, batendo de frente com a defesa da Poli que conteve bem duas tentativas resultantes de penal na linha de 5m, mas na terceira finalmente Franco apoiou novamente, dando números finais ao primeiro tempo. Gabriel Torres ainda levou infração reincidente (offside) no minuto final, desfalcando o Niterói no reinício.

 

 

Mas ter homens a menos em campo estranhamente se mostraria benéfico para o Niterói. Logo no começo da etapa final, Marcelo colocou Nikity na frente pela primeira vez com dois penais em sequência. A equipe voltou melhor no segundo tempo, com a entrada do ótimo Geudsy, e equilibrando as ações nos scrums. Ainda que mais inteira fisicamente, à Poli faltava intensidade, seus jogadores não conseguiam romper a defesa dos visitantes e perdiam muitas posses de bola. O lineout, outra tradicional arma da Poli, foi dominado pelo Niterói.

 

 

Somente na metade do segundo tempo que a poli voltaria a atacar de forma incisiva, com Andrezão vencendo na força após uma série de pick and gos a metros do ingoal adversário. Jaspion complementou com uma conversão difícil, e deixou a Poli novamente na liderança. Minutos depois, Franco levou amarelo após jogo sujo e novamente a maldição do homem a mais se fez presente para a Poli. No minuto seguinte à exclusão, Estrela anotou para o Niterói na base do ruck, aproveitando um erro na cobertura da defesa da Poli,e cinco minutos depois, Geudsy, em uma grande corrida, deixou toda defesa da Poli para trás para marcar na ponta, em jogada semelhante à que já havia feito no início da etapa, assegurando a vitória dos rubro negros.

 

 

Mesmo sem chances de buscar o placar, pois o tempo já estava praticamente esgotado, a Poli manteve a bola em jogo e foi atrás de um ponto de bonificação, que veio pelas mãos de Leandro “Mamute” depois de muita insistência no jogo de forwards, dando números finais à partida.

 

 

A vitória deixa o Niterói com 15 pontos ganhos, líder isolado do grupo e agora, fazendo seus três jogos em casa, tem ótimas perspectivas de se classificar antecipadamente para a fase final. Já a Poli ficou com o gosto de que podia ter vencido a partida, mas apresentou muitos erros ao longo do jogo, mas tem posição favorável contra BH e Guanabara, e pode mirar ao menos na classificação como melhor segundo colocado.

 

 

O Portal do Rugby elegeu Franco Hernan como melhor jogador da partida.

 

 

Placar final: Poli (14) 26 X 32 (12) Niterói

Poli
Tries: Victor Bellemo, André Gallina e Leandro “Mamute” Santos
Conversões: Vinícius Hideo “Jaspion”
Penais: Vinícius Hideo “Jaspion” (3)

Cartão Amarelo: Raul Dotta, Feijoada,

 

 

Niterói
Tries: Franco (2), Matheus Estrela, Geudsy
Conversões: Marcelo (4)
Penal: Marcelo (2)

Cartão Amarelo: Gabriel Torres, Franco, Felipe Vermil

 

 

Clube Cidade (Estado) Pts J V E D 4+ 7- PP PC
Grupo A
Wallys Louveira (SP) 24 6 5 0 1 4 0 206 69
Rio Branco São Paulo (SP) 24 6 5 0 1 4 0 258 59
Maringá Hawks Maringá (PR) 11 6 2 0 4 3 0 159 251
Pé Vermelho Londrina (PR) 1 6 0 0 6 0 1 50 295
Grupo B
Niterói Niterói (RJ) 30 6 6 0 0 6 0 273 84
Poli São Paulo (SP) 21 6 4 0 2 4 1 194 118
BH Rugby Belo Horizonte (MG) 11 6 2 0 4 3 0 142 203
Guanabara Rio de Janeiro (RJ) 0 6 0 0 6 0 0 47 251
Grupo C
San Diego Porto Alegre (RS) 28 6 6 0 0 4 0 218 47
Serra Caxias do Sul (RS) 17 6 3 0 3 3 2 157 137
Charrua Porto Alegre (RS) 15 6 3 0 3 2 1 170 93
BC Rugby Balneário Camboriú (SC) 0 6 0 0 6 0 0 56 324

 

 

Comentários