O Tatuapé foi palco no sábado do clássico paulistano entre Pasteur e SPAC, válido pelas quartas de final do Super 8. O jogo foi de arrepiar, digno da tradição, e foi definido a favor do Pasteur apenas nos instantes finais, com um try na última bola para dar o triunfo de 28 x 27 aos Galos.

Clique aqui para conferir as fotos do jogo, por Ale da Costa/Portrait.

A partida largou com o Pasteur superior, pressionando o SPAC e abrindo o placar aos 5′, com Pedro Di Pilla chutando penal certeiro, logo após ter tentando sem sucesso um drop goal. O SPAC teve chance logo depois de empatar com Zé, mas o penal não entrou. Aos 15′, Di Pilla devolveu a frente aos Galos e, logo na sequência, o contra-golpe em velocidade do Pasteur foi puxado pelo asa Elliott Haussy, que rompeu a marca e entregou de offload para Diegão romper para o primeiro try do jogo, abrindo 11 x 00.

A situação parecia deteriorar para o SPAC com amarelo para Sedex. Mas, o SPAC não acusou o golpe e reagiu com brio. Jogando consciente de sua força no pack, o SPAC aproveitou o lateral aos 21′ para emplacar um maul poderoso finalizado com try do segunda linha Fer. O Pasteur não aproveitou o homem a mais e os visitantes viraram o placar logo que voltaram a ter 15 jogadores, com Alemão puxando em velocidade o ataque da linha azul e Boy arrancando para o try do 12 x 11. E tinha mais do SPAC antes do intervalo. Maihara salvou o Pasteur com belo tackle, detendo contra ataque azul, mas recebeu amarelo. Logo depois, a linha do SPAC encaixou e Passoni correu para o terceiro try, colocando 17 x 11 no marcador.

- Continua depois da publicidade -

A conversa do técnico Phillippe Benetton com seu time fez efeito no intervalo e o Pasteur começou o segundo tempo perfeito, com a linha funcionando e Gabriel Lopes marcando o try da reação, mesmo ainda com um homem a menos. Mas a resposta do SPAC foi rápida e, aos 49′, o scrum do SPAC mostrou sua potência e Nick rompeu para o try que deu boa margem ao SPAC. Zé chutou a conversão, abrindo 24 x 16.

A partida seguiu lá e cá, o SPAC não conseguiu os pontos necessários para liquidar a partida e o Pasteur cresceu conforme a tensão do jogo foi aumentando. O SPAC cedeu à pressão e cometeu penais em excesso, com dois amarelos seguidos colocando os Leões com 13 atletas contra 15. A defesa do SPAC foi provada, mas, aos 67′, não teve jeito e foi a vez do pack dos Galos prevalecer e arrancar um penal try crucial. A resposta foi pronta do SPAC, com Zé arrematando penal para obrigar o Pasteur a buscar apenas o try. Com isso, o jogo ferveu no fim, com o Pasteur conseguindo manter a bola no campo ofensivo nos instantes derradeiros. No último lance, a bola foi aberta para a ponta para Ronaldo quebrar a linha e cravar o try da vitória francesa. 28 x 27, prevalecendo o time de melhor campanha na primeira fase.

Agora, o Pasteur pensa em sua viagem ao Rio Grande do Sul, para encarar o Farrapos no dia 16.

 

28versus copiar27

Pasteur 28 x 27 SPAC

Local: Arena Paulista de Rugby – São Paulo/SP

Árbitro: Ricardo Sant’anna

 

Pasteur

Tries: Diego Lopez, Gabriel Lopes, penal try e Ronaldo Santos

Penais: Pedro Di Pilla (2)

 

SPAC

Tries: Fernando “Fer” Hontalvilla, André “Boy”, Lucas Passoni e Nick Smith

Conversões: Lucas “Zé” Tranquez (2)

Penais: Lucas “Zé” Tranquez (1)

Foto: Ale da Costa/Portrait