Poli e Rio Branco largam com tudo na Taça Tupi

O sábado foi intenso no rugby nacional, com a largada da Taça Tupi, a segunda divisão do Campeonato Brasileiro. Na abertura do Grupo B, Poli e Rio Branco tiveram estreias perfeitas, com grandes vitórias em casa. A Poli, que mandou seu jogo na Arena Paulista, ao invés do tradicional CEPEUSP, venceu o Londrina Pé Vermelho por 44 x 12, graças a um segundo tempo perfeito, enquanto o Rio Branco passou pelo União Rugby Alphaville por 48 x 12, dando o troco da derrota para o time de Barueri no Paulista (em maio, o URA havia vencido os Pelicanos por 41 x 18!).

 

Poli de vento em popa

O palco mudou, mas parece que o fim de Campeonato Paulista nas alturas garantiu à Poli o embalo necessário para a Taça Tupi. Os politécnicos receberam os paranaenses do Pé Vermelho no Tatuapé e venceram por irrepreensíveis 44 x 12, com direito a 7 tries para os paulistas e 2 para os visitantes, que conseguiram segurar o jogo em equilíbrio ao menos no primeiro tempo.

 

O duelo começou com erros dos dois lados e muita poeira levantada no campo. Mas, com um jogo mais sólido de mãos desde o início, a Poli logo encontrou o caminho de seu primeiro try, aos 10′, com o camisa 11, DNA, finalizando na ponta sob pressão. O Londrina teve sua chance de dar o troco logo depois, aos 13′, mas desperdiçou o primeiro penal a seu favor, em momento que seu pack exercia boa pressão sobre a Poli. O jogo foi paralisado aos 25′ para hidratação e a conversa rápida foi suficiente para a Poli alinhar seu jogo. Na volta, o penal para os politécnicos no centro do campo ofensivo foi batido com inteligência, com DNA arrancando na ponta para seu segundo try na partida. Novamente, a conversão foi perdida, mas a Poli pouco depois voltaria a levar perigo, mas na outra ponta, com Feijoada sendo detido perto do try. Aos 32′, Jaspion ampliou a frente politécnica com penal certeiro, mas os londrinenses responderiam aos 35′, com o oitavo Alexandre rompendo na ponta para o primeiro try dos visitantes. O Pé Vermelho, que havia sofrido até então com o jogo de mãos, ainda teve uma última chance com penal antes do intervalo, mas não conseguiu aproveitar o arremate. 13 x 05 para a Poli no intervalo.

 

O susto do fim do primeiro tempo foi bem assimilado pela Poli, que arrancou o segundo tempo logo com try. O fullback Tate arrancou e finalizou na ponta aos 44′, assumindo a responsabilidade das conversões na sequência, para dar boa margem aos uspianos. O Londrina ainda tinha fôlego e produziu uma linda jogada aos 47′, com o abertura Lucas chutando sobre a defesa nas 22 e apanhando para um try que renovava os ânimos do lado paranaense.

 

Contudo, a Poli manteve o foco em seu objetivo do quarto try e foi capaz de manter o jogo sob seu controle até o lance capital, aos 58′, com Gean cravando o precioso quarto try para os paulistas. O try foi sentido pelo Londrina, que caiu de produção defensiva e não conseguiu mais deter o time politécnico, que mostrou bom preparo físico, mantendo seu nível até o fim. Aos 26′, DNA fez seu hat-trick e aos 33′ foi a vez do centro Santos anotar mais um. O Londrina ainda teria a chance de um último try aos 38′, mas não conseguiu o apoio já com a bola dentro do in-goal na ponta. E, no lance final, DNA se consagrou com seu quarto try, fechando o marcador em 44 x 12 para os politécnicos. Não é preciso dizer que DNA foi o nome do jogo para a Poli.

 

Placar final: Poli 44 x 12 Londrina Pé Vermelho

 

Poli

Tries: Danilo “DNA” Silva (4), Marcelo “Tate” Orefice, Gean Oliveira e Victor “Santos” Bellemo

Conversões: Marcelo “Tate” Orefice (3)

Penais: Vinícius “Jaspion” Hideo (1)

 

Pé Vermelho

Tries: Alexandre Coccia e Lucas Branco

Conversões: Lucas Branco (1)

 

Rio Branco se impôs com louvor

Jogando em casa, na Zona Norte paulistana, o Rio Branco afastou os fantasmas do último jogo contra o União Rugby Alphaville e conquistou uma acachapante vitória por 48 x 12. Os Pelicanos se impuseram do começo ao fim, com destaque para um segundo tempo avassalador e um total de 8 tries. Quem largou na frente, contudo, foi o URA. com try do scrum-half Pompeo logo aos 8′. Mas, no lance seguinte, o centro Basta fez o try rio-branquino. Sem conversão, o Rio Branco ficou atrás por 7 x 5, mas seu volume de jogo cresceu e aos 24′ os Pelicanos tomaram a frente para não largarem mais, com o mesmo Basta fazendo o segundo try. Antes a do intervalo, houve tempo para o ponta Pincel fazer o terceiro try dos donos da casa e o URA já ia vendo o jogo sair de seu controle.

 

A porta se abriu na largada do segundo tempo. Logo aos 2′ o sul-africano Jaco Botha fez o quarto try do Rio Branco e o URA logo veria o pilar Luques romper para o quinto try dos amarelos aos 6′. Aos 10′, Fernando faria seu segundo try e o URA viu um jogo que fora ao intervalo ainda em aberto se perder em um apagão de 10 minutos. Aos 21′, Pedro Rosa fez o segundo try do time de Barueri, mas o esboço de reação não se confirmou, com Thiago correndo para seu hat-trick aos 25′ e liquidando a fatura a favor dos Pelicanos. Ainda haveria tempo para o oitavo try, com Waltinho, selando o triunfo por 48 x 12.

 

No dia 11 de setembro, o Rio Branco viajará para encarar o Londrina, enquanto o URA visitará a Poli.

 

Placar final: Rio Branco 48 x 12 URA

 

Rio Branco

Tries: Luiz Antônio “Basta” (3),  Leandro “Pincel” (2), Jaco Botha, Felipe Luques e Walter Shildberg

Conversões: Daniel “Maranhão” Silva (4)

 

URA

Tries: Gustavo Pompeo e Pedro Rosa

Conversões: Gustavo Pompeo

 

Clube Cidade (Estado) Pts J V E D 4+ 7- PP PC SP
Grupo A
Jacareí Jacareí (SP) 15 3 3 0 0 3 0 188 27 161
BH Rugby Belo Horizonte (MG) 9 3 2 0 1 1 0 83 87 -4
Guanabara Rio de Janeiro (RJ) 6 3 1 0 2 1 1 110 59 51
Nova Lima Nova Lima (MG) 0 3 0 0 3 0 0 18 226 -208
Grupo B
Poli São Paulo (SP) 14 3 3 0 0 2 0 119 31 88
Rio Branco São Paulo (SP) 10 3 2 0 1 2 0 117 61 56
União Rugby Alphaville Barueri (SP) 4 3 1 0 2 0 0 32 110 -78
Pé Vermelho Londrina (PR) 1 3 0 0 3 0 1 48 114 -66
Grupo C
San Diego Porto Alegre (RS) 14 3 3 0 0 2 0 83 29 54
Charrua Porto Alegre (RS) 10 3 2 0 1 1 1 65 36 29
Joaca Florianópolis (SC) 5 3 1 0 2 1 0 40 68 -28
Serra Caxias do Sul (RS) 0 3 0 0 3 0 0 26 81 -55

 

Foto: Pedro Girardelli

Comentários