SPAC e Poli fizeram o jogo mais disputado da quarta rodada do Super 8 que contou com a queda do último invicto, e a primeira vitória do atual campeão, e deixaram a competição ainda mais embolada, com apenas 3 rodadas para a definição das posições para as quartas de final, com um triunfo emocionante do time da casa que virou o jogo no segundo tempo.

Veja as fotos da partida, por Daniel Venturole

A partida começou com bastante movimentação e logo se viram as características que cada lado iria explorar ao longo da partida com mais frequência. O SPAC conquistava muitos metros a cada subida na sua linha, enquanto a Poli era completamente dominante nos scrums. Cientes de que seria um jogo parelho, o SPAC não perdeu a oportunidade de abrir o placar no primeiro penal conquistado, que Lucas “Zé” Tranquez converteu. A resposta politécnica não tardou, e em ótima jogada da linha, de Wet conseguiu se desvencilhar da marcação e correu pela esquerda para anotar o primeiro try da partida cinco minutos depois.

Com menos de quinze minutos de jogo, o domínio da partida já era da Poli, que roubava bolas importantes nos scrums e manteve o jogo em seu campo na maior parte do tempo, e foi justamente através de um scrum nos 5m que veio o segundo try, com Gustavo Profeta, em um push over try impiedoso debaixo dos postes, que Hideo complementou novamente com os dois pontos adicionais. O SPAC ainda sofria nas formações fixas, mas fazia um bom jogo com a bola em mãos e na base da velocidade, chegou ao seu try, com Zé recebendo a pelo centro e com um chute, encobriu o último defensor antes de apoiar no ingoal, uma bela jogada diante dos atentos olhos de Rodolfo Ambrósio, treinador dos Tupis. A Poli teve um último bom momento com De Wet anotando seu segundo try do dia, partindo pra cima da da defesa adversária e encontrando espaço pelo centro para apoiar no ingoal.

- Continua depois da publicidade -

O domínio da Poli aos poucos caiu por terra no fim do primeiro tempo, e se estenderia na etapa final. A passividade ficou mais clara no segundo try do SPAC, com Zé saindo de um chute dos 22m diante de dois defensores da Poli que não deram combate, e Passoni ziguezagueando pela defesa adversária em uma corrida de mais de 50m, que acabou no apoio para Zé concluir a jogada e animar a pequena torcida presente antes do encerramento.

O segundo tempo seguiu a tendência da partida e o SPAC nivelou o jogo nos forwards e seguiu exercendo seu domínio no jogo aberto. A Poli atacava com pouca criatividade e cedia cada vez mais espaços para o time da casa e ainda cedia mais penais que Zé tratou de guardar, reduzindo a vantagem adversária para apenas um ponto aos nove minutos. O sinal de atenção acendeu do lado politécnico e a equipe voltou a pressionar com os forwards em uma série de pick and gos na linha de 5m que culminaram no segundo try de Profeta, dessa vez saindo pelo lado cego e pegando a defesa alviceleste desprotegida. O tempo passou a trabalhar contra os SPACianos que seguiram no campo de ataque em busca da virada, que chegou dessa vez após grande avanço de Pedro Rosa pela esquerda superando dois tackles e chegando ao ingoal mais uma vez, não sem antes dar um susto na torcida, com um passe por cima de um último defensor para Alemão, que finalmente apoiou praticamente em baixo dos postes, e Zé converteu garantindo a virada.

Os dez minutos restantes foram dramáticos com a pequena margem deixando a partida totalmente em aberto. Zé desperdiçou um penal e as duas equipes seguiram buscando a vitória até os minutos finais, mas o time da casa prevaleceu, se recuperando da derrota para o Farrapos na semana anterior.

Na próxima rodada, o SPAC enfrenta o líder Jacareí, enquanto a Poli encara o Pasteur, dois confrontos para incedirar o Rugby paulista.

O Portal do Rugby elegeu Lucas Tranquez como melhor jogador da partida.

 

27versus copiar26

Placar final: SPAC (17) 27 X 26 (21) Poli

SPAC
Tries: Lucas Tranquez (2), Alemão
Conversões: Lucas Tranquez (3)
Penais: Lucas Tranquez (2)

 

Poli
Tries: de Wet (2), Profeta (2)
Conversões: Hideo (3)