Super 8 – Os números do Returno

Assim como foi feito no primeiro turno

, levantamos números e índices correspondentes às oito equipes no returno do campeonato brasileiro e conseguimos avaliar quem reagiu e quem caiu ao longo da competição.
 
Os números permitem fazer alguns questionamentos, nós já fizemos alguns, e qual a opinião de vocês?
 
Comente com a gente!
 
O primeiro turno do Super 8 – Campeonato Brasileiro de Rugby, terminou assim:
 
 

Posição Equipe Pontos
1 São José RC 24
2 Curitiba RC 23
3 Desterro RC 18
4 Farrapos RC 18
5 Bandeirantes Saracens 17
6 SPAC 17
7 Pasteur AC 12
8 Jacareí Rugby 6

 
 
Já o segundo turno do Super 8 – Campeonato Brasileiro de Rugby, terminou assim:
 

Posição Equipe Pontos
1 Bandeirantes Saracens 30
2 São José RC 24
3 SPAC 23
4 Curitiba RC 19
5 Pasteur AC 19
6 Desterro RC 12
7 Jacareí Rugby 6
8 Farrapos RC 4

 
 

Interessante notar que somente os times de São Paulo mantiveram seu desempenho melhor ou igual ao primeiro turno, todos os times de fora do estado caíram ao longo da disputa. Seria a necessidade de deslocamento maior um fator determinante para os resultados adversos?

 
 

Comparações do Primeiro com o Segundo Turno

Melhor Ataque (média de pontos por jogo)
 
Primeiro Turno:

1) Curitiba RC, 27,43 pontos por jogo

2) São José RC, 23,14

3) Farrapos RC, 20, 14

4) SPAC, 19,83

5) Bandeirantes Saracens, 19

6) Desterro RC, 18,85

7) Jacareí Rugby, 13,42

8) Pasteur AC, 13

 

Segundo Turno:

1) Bandeirantes Saracens, 28,18 pontos por jogo

2) SPAC, 28,14

3) Desterro RC, 21,71

4) Curitiba RC, 21,20

5) São José RC, 21,14

6) Pasteur AC, 17,42

7) Jacareí Rugby, 16,28

8) Farrapos RC, 13,57

 

 

Melhor Defesa (média de pontos por jogo)
 
 
Primeiro Turno:
 
1) Curitiba RC, 11,14 pontos por jogo

2) São José RC, 15,28

3) SPAC, 16,5

4) Pasteur AC, 17

5) Bandeirantes Saracens, 18,67

6) Farrapos RC, 18,85

7) Desterro RC, 20,86

8) Jacareí Rugby, 36

 

Segundo Turno:
 
1) Bandeirantes Saracens, 13,28 pontos por jogo

2) SPAC, 13,57

3) São José RC, 17,14

4) Desterro RC, 18,42

5) Pasteur AC, 18,71

6) Curitiba RC, 19,42

7) Farrapos RC, 32,85

8) Jacareí Rugby, 34,14

 
 
Média de Pontos por Rodada
 
1) Rodada 14: 55,25 pontos

2) Rodadas 8 e 9: 45 pontos

3) Rodada 11: 39,5 pontos

4) Rodada 13: 38,75 pontos

5) Rodada 10: 38,5 pontos

6) Rodada 12: 32 pontos

7) Rodada 3: 22,38 pontos

8) Rodada 1: 21,25 pontos

9) Rodada 6: 21,12 pontos

10) Rodada 2: 19,25 pontos

11) Rodada 7: 18,25 pontos

12) Rodada 4: 16,50 pontos

13) Rodada 5: 15,88 pontos

 

O número médio de pontos por jogo, e consequentemente a média de pontos anotada e sofrida pelos clubes aumentou. De fato, as sete rodadas finais apresentaram a maior média de pontos que as sete rodadas iniciais. O desgaste físico do trabalho defensivo é sempre mais acentuado. Será que um campeonato com rodadas todos os fins de semana cobrou seu preço na parte final e as equipes acabaram piorando nesse quesito?

 

Mandantes ainda Mandam!
 
Assim como no primeiro turno, continua não sendo fácil vencer fora de casa no Super 8. Nas primeiras 7 rodadas, 59,26% dos jogos terminaram com vitória dos donos da casa. No returno, o índice subiu para 64,29%. O Bandeirantes Saracens foi a equipe que, no geral, mais venceu nos domínios do adversário (5 vitórias).

 

Maior número de Pontos de Bonificação
 
No primeiro turno, o Band foi líder nesse quesito, tendo conquistado 5 pontos. Na sequência, São José e Pasteur, com 4. O Curitiba, 3. Desterro, Farrapos e Jacareí, 2 pontos; SPAC apenas 1. Na soma, 23 pontos.
 
No segundo turno as bonificações aumentaram (25) e foram assim distribuídas:
 
1) SPAC, 6

2) Curitiba, São José e Desterro, 4

3) Pasteur, 3

4) Bandeirantes Saracens e Jacareí, 2

5) Farrapos, 0.

 
 
Aproveitamento de Conversões
 
O Farrapos terminou em penúltimo na classificação geral e em último no segundo turno. Entretanto, possui um bom aproveitamento de conversões. Dos 27 tries em 14 jogos, os gaúchos aproveitaram 21 cobranças. No geral (somados o primeiro e o segundo turno), o aproveitamento das equipes foi assim:
 
1) Farrapos RC, 77,77%

2) SPAC, 77,14%

3) São José RC, 70,27%

4) Desterro RC, 69,44%

5) Curitiba RC, 60,97%

6) Jacareí Rugby, 59,09%

7) Bandeirantes Saracens, 57,14%

8) Pasteur AC, 56,25%

 

Curiosamente, Band e Curitiba, que tem bons chutadores e fizeram muitos pontos de penal, não corresponderam quando o assunto é conversão.

 

Matadores
 
Nesta primeira fase de turno e returno, os que mais marcaram tries foram estes atletas:
 
1) Felipe ‘Lipe’ Zeni (Pasteur AC) – 8 tries

2) João Luiz ‘Ige’ da Ros (Desterro RC) e Diogo Borges (São José RC) – 7 tries

3) Joshua ‘Josh’ Reeves (Bandeirantes Saracens), Daniel ‘Nativo’ Danielewicz (Desterro RC), Júlio ‘Julião’ Faria (Jacareí Rugby) e Pedro Rosa (Bandeirantes Saracens) – 6 tries

 

Pontaria Calibrada
 
Em termos de chutes, confiram aqueles com os pés mais calibrados:
 
1) Facundo Flores (Curitiba RC) – 116 pontos (22 conversões, 8 drops e 16 penais)

2) Joshua ‘Josh’ Reeves (Bandeirantes Saracens) – 113 pontos (13 conversões, 4 drops e 25 penais)

3) Matias ‘Mati’ Newton (SPAC) – 105 pontos (21 conversões e 21 penais)

4) Moisés ‘Moisa’ Duque (São José RC) – 83 pontos (19 conversões e 15 penais)

5) Hélder Garcia (Jacareí RC) – 73 pontos (11 conversões, 2 drops e 15 penais)

 

Pontos Negativos
 
Nos dois turnos foram distribuídos 114 cartões amarelos (média de 2,03 cartões por jogo) e 5 cartões vermelhos. Pasteur e Curitiba as equipes que mais receberam o cartão vermelho (2 para cada). A equipe paranaense foi a que mais recebeu cartões amarelos (22 vezes), seguida pelo Jacareí (20).

Comentários