Super Sevens feminino começa no Rio!

Nesse fim de semana, São Gonçalo, cidade vizinha de Niterói, recebe a abertura do Super Sevens Feminino, que chega à sua 4a edição em 2015, novamente com seis etapas em disputa – São Gonçalo (Niterói), Belo Horizonte (25 e 25/07), Florianópolis (15 e 16/08),  Curitiba (5 e 6/09), Porto Alegre (26 e 27/09) e São José dos Campos (17 e 18/10). O atual bicampeão da competição é o Desterro, que em uma arrancada incrível, venceu as três últimas etapas e superou o Charrua, que viria a triunfar no BR Sevens alguns meses depois.

 

Com doze equipes na disputa, o nível da competição mais uma vez deve ser altíssimo, e é salutar que equipes menores aproveitem essa oportunidade para medir forças contra as maiores do país e assim, elevar o nível do seu jogo e de outras equipes de sua região, como é o caso do Delta. O clube de Teresina encara seu primeiro desafio antes do apito inicial, enfrentando uma viagem de ônibus de 48h para disputar a etapa, e merece aplausos de todos pela iniciativa.

 

Mas dentro de campo, a situação muda de figura, e a experiência e preparo falam mais altos em um torneio desgastante como o Seven-a-side. A forma de disputa é a mesma das edições anteriores e as equipes se enfrentam dentro dos grupos, passando à fase final as duas melhores de cada grupo e as duas melhores terceiras e as demais disputando a Taça Bronze.

 

As partidas acontecem no Estádio do Gonçalense, na Rua Pandiá Calógeras, a partir das 10h00 de sábado, com entrada franca. As finais ocorrem no domingo.

 

Veja a análise dos grupos (classificação Super Sevens 2014/classificação BR Sevens 2015):

 

Grupo A: Charrua (2o/1o), São José (5o/7o), BH Rugby (7o/6o) e Pasteur (-/13o)

 

Em comum, todos os grupos mostram três equipes com condições de chegar às finais. Atual campeão do BR Sevens, o Charrua começou o aquecimento com um triunfo tranquilo no estadual de Sevens, vencendo todas suas partidas sem sofrer pontos, e com o mesmo grupo da conquista no fim do ano, é o favorito, por pouca margem. O São José por sua vez, vem gabaritado pelo título inédito título estadual, mas o triunfo não veio sem dificuldades, caindo na primeira etapa para vencer as duas seguintes.

 

As alvi-negras do BH por sua vez fizeram uma preparação inédita, atuando em duas etapas do Paulista. Mesmo sem título, a equipe fez bonito, chegando ao vice-campeonato na primeira etapa, e à terceira colocação no encerramento. As mineiras vem brigar pelo primeiro lugar. O Pasteur é hoje a quarta força do estado de São Paulo, mas diante de equipes tão fortes, deve acabar na última colocação

 

Grupo B: Niterói (3o/2o), Curitiba (8o/80), Band Saracens (9o/5o) e Guanabara (12o/12o)

 

O grupo B terá logo de cara o confronto entre os dois melhores clubes do Rio de Janeiro. O Guanabara venceu a primeira etapa do estadual, mas diante das rubro-negras com força máxima, não deve fazer frente para a rival, tendo sua melhor chance contra o Band. O Curitiba tem talvez o melhor histórico recente, tendo vencido as duas etapas da Liga Sul, batendo nada menos do que Charrua e Desterro nas duas finais disputadas, mostrando que as Touritas podem ter finalmente encontrado a maturidade que falta para vencer a principal competição feminina do país.

 

O Niterói teve um grande ano, tendo terminado o Super Sevens na terceira colocação e o BR Sevens em segundo. Com a adição de Amanda e Cláudia Jacqueline, novos rostos da seleção brasileira, pode ser considerado um dos favoritos para nào só vencer em casa, mas para o título da competição. O Band Saracens oscilou entre as duas competições, mas chegou forte para o Paulista,  e também vem com dois bons reforço. Thamara, ex-jogadora do Vitória passou a integrar as bandetes recentemente, e vai dar mais velocidade para a equipe bandeirantina, assim como Amanda Macedônio, ex-BH e integrante da seleção nacional.

 

Grupo C: Desterro (1o/4o) , SPAC (4o/3o), Vitória (6o/9o) e Delta (-/11o)

 

Duas equipes que são automaticamente associados a títulos no Rugby feminino, Desterro e SPAC fazem o duelo mais esperado da primeira fase na estreia do Super Sevens. A equipe paulistana tem algumas caras novas se limitou ao vice estadual desse ano, e ao quarto lugar no Super Sevens ano passado, mas mesmo não estando no auge, pode voltar a vencer. As catarinenses defendem seu bicampeonato e como ponto chave contam com o retorno de Maira, jogadora que traz experiência e muita qualidade ao já forte grupo rubro-verde, e é o favorito para vencer o grupo.

 

As capixabas do Vitória, longe dos grandes centros, participou da primeira etapa do circuito mineiro e venceu as donas da casa, o BH. A equipe varia entre boas apresentações e outras apenas regulares, mas tem qualidade para enfrentar as favoritas em pé de igualdade. O Delta, com toda valentia por enfrentar a dura viagem até a competição, é o franco-atirador, e a motivação em superar mais obstáculos que as demais para participar do campeonato, pode encontrar forças para dificultar seus jogos, mas deve ficar na última colocação.

 

Sábado, dia 27 de junho

10h00 Charrua X Pasteur
10h20 BH Rugby X São José
10h40 Niterói X Guanabara
11h00 Band Saracens X Curitiba
11h20 SPAC X Delta
11h40 Desterro X Vitória

12h35 Charrua X São José
12h55 BH Rugby X Pasteur
13h15 Niterói X Curitiba
13h35 Band Saracens X Guanabara
13h55 SPAC X Vitória
14h15 Desterro X Delta

15h10 Charrua X BH Rugby
15h30 São José X Pasteur
15h50 Niterói X Band Saracens
16h10 Curitiba X Guanabara
16h30 SPAC X Desterro
16h50 Vitória X Delta

Comentários