ARTIGO ATUALIZADO – O Super Sevens, o Campeonato Brasileiro Feminino, volta às disputas nesse fim de semana e com palco olímpico, afinal, a competição será no Rio de Janeiro, no campo da UFRJ, construído para os treinamentos das seleções do rugby sevens do Rio 2016.

O torneio terá nada menos que quatro clubes do Rio de Janeiro, com o atual líder Niterói (o clube organizador da etapa), Rio Rugby, Guanabara (que já conhecem o campeonato) e o Carioca, que vem para a sua primeira etapa.

A grande novidade da competição é a presença do Stade Français que, mesmo com nome francês, vem do Chile e coleciona troféus em nível nacional, tendo, com certeza, grandes confrontos contra as equipes fixas do torneio.

Entre as equipes convidadas, USP, BH, Melina e Vitória, além dos já citados do estado do Rio, estarão firmes para demonstrar todo o potencial e evolução, enquanto Pasteur, que esteve na primeira etapa, e o Charrua, ex equipe fixa do circuito, sendo ausências importantes.

- Continua depois da publicidade -

No domingo, os jogos serão exibidos ao vivo no Facebook do Niterói RFC.

 

Os grupos

Grupo A – Niterói (RJ), Desterro (SC), Melina (MT) e Carioca (RJ);

Prévia (opinativo): No grupo A, com certeza, a grande força é o Niterói, que já coleciona grandes títulos em outras etapas e agora busca o triunfo dentro da sua casa. Trata-se de um time entrosado e de muita experiência de jogo, mesclando nomes da seleção, Izzy, Baby, Claudinha e também veteranas, como a Babi. Aliás, Baby e Claudinha estão no topo da tabela da artilharia de tries do Super Sevens no momento, com 9 cada!

Para o Desterro, a briga não será tão simples assim, já que na etapa mais recente a derrota foi de 36 pontos para as fluminenses. Porém a organização da veterana Júlia Sardá como treinadora coloca confiança na ascensão do time – que, atualmente não conta com nenhuma atleta na Academia Top100, ponto que deve ser observado, porque ainda assim se mantém como equipe fixa. A briga contra o Melina deve ser grande, já que as matogrossenses têm crescido exponencialmente e, na última etapa, por pouco não bateram o gigante Curitiba na fase de grupos.

O Carioca é ainda uma equipe de pouca rodada nacional, mas já com boa experiência nos torneios estaduais. Um passo de cada vez para o clube da Cidade Maravilhosa.

 

Grupo B – São José (SP), Band Saracens (SP), Vitória (ES) e Stade Français (Chile);

Prévia (opinativo): Grupo da morte? Entre Band Saracens e São José, é a vez do troco! As bandetes venceram o último duelo contra as joseenses, em pleno Vale, pela última etapa do Circuito Paulista Feminino. Espera-se muita força dos dois lados, já que as paulistanas remanejam sua equipe desde o início do ano com a mescla de um novo elenco e a experiência das veteranas como Bruna Lotufo, Xaxá, Vivi Trindade. Para o São José, muita gana por um título em terras cariocas, já que o time do Vale perdeu na final da primeira etapa justamente para o Niterói. Com um elenco fortíssimo, com atletas de seleção, o “Sanja” deposita grandes esperanças de que em 2017 serão as mulheres que subirão no lugar mais alto do Brasil para o clube e uma grande campanha na segunda etapa é essencial. Edninha, já não mais com as Yaras, foi a artilheira do Super Sevens na primeira etapa: 49 pontos para a Pocket Rocket, com direito a 9 tries! E as joseenses têm ainda Mille com 7 tries.

Já as chilenas venceram todas as etapas do campeonato nacional chileno de 2017 e devem dar trabalho ao Band Saracens e ao São José que também têm a missão de impedir que uma equipe não brasileira avance no torneio. Ao Vitória, duas dificuldades mas a lembrança de, mesmo com um elenco novato e misto, a conquista do 10º lugar na última etapa. As capixabas são famosas por sempre se superarem e têm o sucesso num grupo tão difícil devolveria os holofotes a um estado que deve muito a seu rugby feminino.

 

Grupo C – Curitiba (PR), Delta (PI), BH Rugby (MG) e Rio Rugby (RJ);

Prévia (opinativo): As campeãs nacionais do Curitiba encabeçam o Grupo C e vão ao cenário olímpico com Haline, Brena e tantos outros nomes que despontam na região do Sul do Brasil. O conjunto paranaense levou o terceiro lugar na primeira etapa e quer subir mais um degrau. As Touritas sabem que todo cuidado é pouco, pois não podem permitir que Niterói e São José se desgarrem na luta pela ponta. Já as piauienses do Delta, que alcançaram a 6ª colocação, são no papel as maiores rivais das Touritas e vão ao Rio estimuladas pelo retorno sensível do treinador Carlos Marvel. O clube de Teresina tem elenco promissor e que é familiar ao conceito de superação, correndo por fora na luta pelo topo. Patricia está entre as artilheiras do circuito no momento.

O BH é um veterano na competição e busca ascender no campeonato, já incomodado pela sequência de dois anos longe do rol do G8 nacional. Já o Rio Rugby joga em casa e sabe que a chance de jogar o nacional é um passo crucial para seu desenvolvimento a médio prazo, empurrado pelo trabalho nos projetos sociais.

 

Grupo D – SPAC (SP), Leoas de Paraisópolis (SP), USP (SP) e Guanabara (RJ);

Prévia (opinativo): O Grupo C tem três times paulistas, que bem se conhecem: SPAC, Leoas e USP. Para o SPAC, a expectativa de alcançar uma das três equipes da ponta da tabela e avançar nas semis pelo ouro, que é o momento que sofre a decaída. É uma equipe experiente que raramente decepciona, conhece os motivos das derrotas e corrige os pontos negativos. Conta com a veteraníssima Paulinha e também com Binha, mas ainda traz no elenco as novatas que foram convidadas ao camp da seleção juvenil brasileira, Giovanna Olio e Carol Belasco.

As Leoas, por sua vez, chegam com toda energia das novatas que vêm cada vez mais alimentando a seleção feminina. O time de Paraisópolis, do Rugby para Todos, deve dar trabalho ao SPAC, naquele clássico que já se firmou desde o Super Sevens 2016 e também no Circuito Paulista deste ano. Ainda contam com a firmeza e confiança de Raquel e Luiza que migraram do Charrua para o time paulistano, e com a qualidade de Bianca Silva, despontando nas Yaras com apenas 19 anos.

Entre USP e Guanabara a disputa deve ser de fogo! As duas equipes contam com atletas em destaque na seleção feminina também, Eshyllen, do Rio de Janeiro, que vem treinando e compõe o camp juvenil e, do lado paulista, Aline. O Guanabara joga em seu estado e vai embalado por um trabalho forte na base, querendo um lugar ao sol na parte de cima do feminino nacional, ao passo que a USP se firmou positivamente dentro do Paulista e vai trabalhando passo a passo em suas pretensões nacionais.

 

Sábado, dia 16 de setembro

09h10 – São José x Stade Français

09h30 – Band Saracens x Vitória

09h50 – Curitiba x Rio Rugby

10h10 – Delta x BH Rugby

10h30 – SPAC x Guanabara

10h50 – Leoas x USP

 

11h30 – Niterói x Carioca

11h50 – Desterro x Melina

12h10 – São José x Vitória

12h30 – Band Saracens x Stade Français

12h50 – Curitiba x BH Rugby

13h10 – Delta x Rio Rugby

13h30 – SPAC x USP

13h50 – Leoas x Guanabara

 

14h30 – Niterói x Melina

14h50 – Desterro x Carioca

15h10 – São José x Band Saracens

15h30 – Vitória x Stade Français

15h50 – Curitiba x Delta

16h10 – BH Rugby x Rio Rugby

16h30 – SPAC x Leoas

16h50 – USP x Guanabara

17h10 – Niterói x Desterro

17h30 – Melina x Carioca

 

Domingo, dia 17 de setembro

08h30 – Quartas de final Bronze – 3º A x 4º D

08h50 – Quartas de final Bronze – 3º D x 4º A

09h10 – Quartas de final Bronze – 3º B x 4º C

09h30 – Quartas de final Bronze –  3º C x 4º B

09h50 – Quartas de final Ouro – 1º A x 2º D

10h10 – Quartas de final Ouro – 1º D x 2º A

10h30 – Quartas de final Ouro – 1º B x 2º C

10h50 – Quartas de final Ouro – 1º C x 2º B

11h10 – Semifinal Incentivo

11h30 – Semifinal Incentivo

11h50 – Semifinal Bronze

12h10 – Semifinal Bronze

12h30 – Semifinal Prata

12h50 – Semifinal Prata

13h10 – Semifinal Ouro

13h30 – Semifinal Ouro

13h50 – Decisão de 15º lugar

14h10 – Final Incentivo

14h30 – Decisão de 11º lugar

14h50 – Final Bronze

15h10 – Decisão de 7º lugar

15h30 – Final Prata

15h50 – Decisão de 3º lugar

16h10 – FINAL Ouro

 

EquipeCidade (Estado)Pontuação geralEtapa 1 (05-06/08)Etapa 2 (16-17/09)Etapa 3 (07-08/10)Etapa 4 (28-29/10)Etapa 5 (18-19/11)Etapa 6 (03-04/12)
Placares aquiPlacares aquiPlacares aquiPlacares aquiPlacares aqui
São JoséSão José dos Campos (SP)971922221915
NiteróiNiterói (RJ)892219131322
CuritibaCuritiba (PR)801715121719
Band SaracensSão Paulo (SP)69108192210
DeltaTeresina (PI)671213151512
Leoas da ParaisópolisSão Paulo (SP)6413178917
DesterroFlorianópolis (SC)5897171213
SPACSão Paulo (SP)461512784
Melina Cuiabá (MT)388101010
VitóriaVitória (ES)317969
BH RugbyBelo Horizonte (MG)246648
GuanabaraRio de Janeiro (RJ)194537
USPSão Paulo (SP)1752415
Rio RugbyRio de Janeiro (RJ)143326
PasteurSão Paulo (SP)9252
GoianosGoiânia (GO)77
CharruaPorto Alegre (RS)66
LondrinaLondrina (PR)55
Stade FrançaisSantiago (Chile)44
Leoas do CearáFortaleza (CE)33
CariocaRio de Janeiro (RJ)11
IguanasSão José dos Campos (SP)11
Band Saracens "B"São Paulo (SP)11
Pontuação por etapa: 1º - 22 pontos; 2º - 19 pts; 3º - 17 pts; 4º - 15 pts; 5º - 13 pts; 6º - 12 pts; 7º - 10 pts, 8º - 9 pts; 9º - 8 pts; 10º - 7 pts; 11º - 6 pts; 12º - 5 pts; 13º - 4 pts; 14º - 3 pts; 15º - 2 pts; 16º - 1 pt.

 

Foto: Fotojump