A Taça Tupi viveu no sábado passado a segunda rodada de sua fase de grupos e apenas dois times chegaram a duas vitórias: Band Saracens, no Grupo A, e BH Rugby, no Grupo B. O Band Saracens venceu o Rio Branco em tradicional clássico paulistano, enquanto em sua chave o Pé Vermelho conseguia grande triunfo em casa sobre os paulistas do Templários. Já o BH Rugby derrotou fora de casa o Niterói em jogo que tem história, em dia de rodada dupla no Campo Olímpico da Ilha do Fundão, que ainda teve o clássico carioca entre Guanabara e Rio Rugby, vencido pelo Rio.

No Grupo C, o grupo do Sul, tudo embolado com todos os quatro times somando uma vitória. O San Diego triunfou no clássico de Porto Alegre contra o Charrua, ao passo que o Chapecó se provou a sensação do momento vencendo fora de casa o duelo catarinense contra o Joaca.

 

“Clássico das Ideias” foi do Band Saracens

- Continua depois da publicidade -

O Band Saracens mostrou que é mesmo o time a ser batido na Taça Tupi e venceu em casa nesse sábado o Rio Branco por sonoros 51 x 22 no velho “Clássico das Ideias”, como é apelido o duelo dos tetracampeões brasileiros, pelo passado de grandes jogos sempre ricos em alternativas táticas que bandeirantinos e pelicanos têm. O Rio Branco, no entanto, tem agora muito a se preocupar, pois após duas rodadas os Pelicanos têm a pior campanha da Taça Tupi e não somaram pontos na classificação.

Clique aqui para conferir a resenha completa da partida entre Band Saracens e Rio Branco. E veja também as fotos da partida por Daniel Venturole

 

51versus copiar22

Band Saracens 51 X 22 Rio Branco
Local: Arena Paulista de Rugby – São Paulo, SP

 

Band Saracens
Tries: Laurent (3), Pablo, Leandro “Cavalo”, Devon, Eduardo “Zinho” e Beto Pedroza
Conversões: Erick Iglesias (3)

Rio Branco

Tries: Elito Parra, Daniel “Maranhão” (2)
Conversões: Daniel “Maranhão” (2)
Penais: Daniel “Maranhão” (1)

 

Paranaenses seguem crescendo na Tupi

Jogando a Taça Tupi pelo quarto ano seguido, o Pé Vermelho provou que pode fazer a melhor campanha de sua história. O time de Londrina e região conquistou em casa uma contundente vitória sobre o debutante Templários, que acabou lamentando os 42 x 26 em sua primeira partida oficial fora do estado de São Paulo.

Os visitantes começaram o jogo com tudo e fizeram um grande primeiro tempo, com o pilar Barjud e o centro inglês Gregory fazendo dois tries para os Templários, contra apenas um dos paranaenses, com o segunda linha Júlio César, abrindo 12 x 05 para o time do ABC Paulista. Entretanto, antes do intervalo, os paulistas foram reduzidos a 14 homens e o Pé Vermelho aproveitou o homem a mais no começo da segunda etapa para virar o placar com um penal seguido de um try do pilar Victor Hugo.

O jogo ficou lá e cá. O Pé Vermelho marcou mais um try na sequência com Natan, mas o Templários respondeu arrancando um penal try. O momento decisivo veio no quarto final, com os anfitriões marcando novo try com Fernando, seguido de um amarelo que desestruturou os paulistas. A porta se abriu com mais dois tries do Pé Vermelho. Antes do fim, o Templários ainda fez seu quarto try, mais um penal try, arrancando ao menos o bônus ofensivo fora de casa, que manteve a vice liderança para a equipe.

 

42versus copiar26

Pé Vermelho 42 X 26 Templários
Local: Aterro Lago Igapó – Londrina, PR

Pé Vermelho
Tries: Júlio César Molina, Victor Hugo, Natan Assis, Fernando Santana, Roger Bonfim e Matheus Queiroz
Conversões: Lucas Branco (3)
Penais: Lucas Branco (2)

Templários
Tries: Penal try (2), Alexandre Barjud e Gregory Reeve
Conversões: Rômulo Fernandes (1)

 

BH Rugby emerge triunfante na Cidade Maravilhosa

Clique aqui para conferir as fotos da partida, por Luis Cláudio Amaral.

Na UFRJ, a rodada dupla no Campo Olímpico começou com o Niterói recebendo o BH Rugby em partida que tem histórico de já ter algumas vezes sido jogada na primeira divisão. Duas velhas escolas do rugby nacional que produziu um dos jogos mais aguardados. E os campeões mineiros só tiveram o que festejar, com uma apresentação de gala que deixou muitas preocupações do lado fluminense. Vitória bonificada do BH fora de casa para seguir na ponta da chave.

O primeiro tempo foi todo do time de Belo Horizonte, que marcou nada menos que 3 tries sem resposta, com o centro Vicente, o oitavo Bere e o primeira linha André. O Nikity foi reagir apenas na segunda etapa, o asa Raul marcando o primeiro try dos mandantes logo no começo. Mas, a resposta mineira foi imediata com o ponta André, jogando um balde de água fria nos rubronegros. O scrum-half Rangel ainda faria mais um try para o Niterói, mas a reação não saiu, com o BH Rugby mostrando muita qualidade defensiva. Duas visitas ao Rio e duas vitórias para os mineiros.

12versus copiar23

Niterói 12 X 23 BH Rugby
Local: Campo Olímpico da UFRJ – Rio de Janeiro, RJ

 

Niterói
Tries: Raul Couto e Pedro Rangel
Conversões: César Cheade (1)

BH Rugby
Tries: Felipe “Vicente” Castro, Filipe “Bere”, Daniel Faioli e André Lopes
Conversões: André Lopes (1)

 

Guanabara perde chance em casa e Rio Rugby faz a festa

No clássico carioca, o campeão fluminense Guanabara viu sua faixa estadual carimbada pelo rival Rio Rugby, em um jogo lá e cá de muitas alternativas encerrado em dramáticos 25 x 22 para os “ingleses” do Rio.

O primeiro tempo foi favorável ao Rio Rugby, que soube aprender com seus jogos anteriores contra o Guanabara e colocou muitos problemas ao oponente, abrindo o marcador com 2 penais e fazendo o primeiro try do jogo aos 24′, com André. A resposta do Guanabara foi rápida com try do pilar Pêgo e um penal try antes do intervalo, para virar o placar para 14 x 13, aproveitando que o Rio Rugby teve nada menos que dois amarelos e um vermelho ao longo da primeira etapa.

O Guanabara ainda ampliou a diferença no início do segundo tempo com penal, mas o Rio ainda tinha muito a mostrar e aproveitou o amarelo do rival para virar o placar com try do italiano Nofri. O golpe foi acusado e o lance decisivo saiu aos 62′, com Franklin fazendo o try da vitória do Rio Rugby, heroico, mesmo com 14 homens. Antes do fim, o Guanabara ainda fez seu try de reação, com Zé Vitor, mas não houve tempo para uma virada. Nova derrota para o Guanabara, que agora se vê preocupado na luta pela promoção.

22versus copiar25

Guanabara 22 X 25 Rio Rugby
Local: Campo Olímpico da UFRJ – Rio de Janeiro, RJ

 

Guanabara
Tries: Frederico Pêgo e Zé Vitor Bessa
Conversões: Zé Vitor Bessa (1)
Penais: Zé Vitor Bessa (1)

Rio Rugby
Tries: André Baptista, Tommaso Nofri e Franklin Pastor
Conversões: Gabriel Rangel (1), Tommaso Nofri (1)
Penais: Gabriel Rangel (2)

 

“SanCha” segue verde

Porto Alegre é verde nesta semana. A vida do Charrua contra o arquirrival San Diego não está fácil nos últimos tempos e, após perder para o Joaca, o semifinalista da Taça Tupi 2016 e vice campeão gaúcho deu a volta por cima vencendo por 22 x 15 para embolar o Grupo C.

O San Diego começou na frente e conquistou sua vitória no primeiro tempo, com uma apresentação afirmativa num duelo sempre marcado pelo pesado jogo de forwards. Nenhum try foi visto nos primeiros 40 minutos, mas os verdes chutaram nada menos que 5 penais com Erick Dysiuta, o “Golden Boy”, abrindo 15 x 03 no marcador.

Na volta da pausa, o Charrua encostou arrancando o primeiro try da peleja, com um penal try, mas a resposta foi imediata com Mantegão rompendo para o try do San Diego. “NTMQP” e o Charrua seguiu pressionando, sendo recompensado com o try do bônus defensivo pelas mãos de Rafa. Mas, a virada não saiu para os Índios. San Diego 22 x 15.

 

22versus copiar15charrua novo

San Diego 22 X 15 Charrua
Local: Parque Municipal Capão So Corvo – Canoas, RS

 

San Diego
Tries: Bruno “Mantegão” Carvalho
Conversões: Erick Dysiuta (1)
Penais: Erick Dysiuta (5)

Charrua
Tries: Penal try e Rafael Abreu
Penais: Arthur Dalpizzolo (1)

 

Chapecó mostra sua ambição

Em sua primeira temporada na Taça Tupi, o Chapecó mostrou que tem força para aspirar voos maiores e em visita ao Joaca venceu o oponente catarinense, superando os prognósticos iniciais. 15 x 14 dramáticos para o Chapecó, que não fez tries, mas saiu vencedor.

O jogo foi uma verdadeira batalha de penais, com o Joaca liderando a primeira etapa com os pés de Peruch abrindo 9 x 3 na base dos penais para as Corujas. No segundo tempo, coube a Berlato deixar tudo igual com 2 penais para Chapecó. A 10 minutos do fim, outro chutador do time do Oeste, Cícero, arrematou o quarto penal que deu a frente aos visitantes, mas, aos 35′, Arthur fez o único try do jogo para o Joaca, que parecia que daria o triunfo aos azuis de Floripa. Parecia, porque no último lance Cícero novamente foi perfeito e deu a vitória a Chapecó com o quinto penal para os visitantes.

 

14versus copiar15

Joaca 14 X 15 Chapecó
Local: Campo da Tapera UFSC – Florianópolis, SC

 

Joaca
Tries: Arthur Espíndola
Penais: Luiz Guilherme Peruch (3)

Chapecó
Penais: Andrison Berlato (3) e Cícero Leite (2)

ClubeCidade (Estado)PtsJVED4+7-PPPCSP
Grupo A
Band SaracensSão Paulo (SP)3066006042972357
Pé VermelhoLondrina (PR)1563033021518431
TempláriosSão Bernardo do Campo (SP)14621340141299-158
Rio BrancoSão Paulo (SP)460152092322-230
Grupo B
GuanabaraRio de Janeiro (RJ)2164023219995104
BH RugbyBelo Horizonte (MG)1964023014010634
NiteróiNiterói (RJ)1463032012410915
Rio RugbyRio de Janeiro (RJ)561050162211-149
Grupo C
CharruaPorto Alegre (RS)246501311327458
San DiegoPorto Alegre (RS)196402121098128
ChapecóChapecó (SC)962040187122-35
JoacaFlorianópolis (SC)661050263114-51

 

Foto: Luis Cláudio Amaral – Niterói x BH Rugby