Recentemente o Curitiba passou por capacitações promovidas pelo Instituto Legado, que se dedica a acelerar organizações de impacto social. Este relatório é um dos reflexos dessa formação sobre gestão profissional de projetos sociais focada em sustentabilidade e transparência. Segundo Gabriel Segalovich, atual presidente do CRC, não faria sentido o clube receber incentivo do governo para seus projetos se o retorno para a sociedade não fosse promover qualidade de vida, inclusão social e abrir portas para que os beneficiados destes projetos tenham um futuro como cidadãos além do esporte.

Criador do Projeto VOR – Vivendo O Rugby, o Curitiba por meio de seu vice-presidente Fabiano Brusamolin, diz que o clube manterá o foco na sua missão e continuará dedicado aos seus projetos sociais educativos/esportivos, e à formação das categorias de base.

“Vamos seguir nosso caminho porque temos a certeza de que é o certo a se fazer. Os valores do rugby andam conosco todos os dias, além do esporte, e vamos criar oportunidades, inclusive de trabalho, para que nossos atletas fiquem conosco.” Afirma Fabiano.

Segundo Lalo Lagarrigue, fundador do Curitiba, a ideia inicial sobre o VOR nem era criar um projeto social, mas sim compartilhar o esporte, pelo qual já era apaixonado, com as crianças para que se divertissem. Por meio deste projeto educacional, foram formados jogadores e atletas de alto rendimento que representaram seleções paranaense e brasileiras.

- Continua depois da publicidade -

O relatório pode ser acessado neste link: Clique aqui