O tradicional campo do SPAC foi palco das finais das divisões B, C e D do Paulista. Na Série B, a Engenharia Mackenzie venceu uma final de arrepiar contra o Tucanos por 22 x 19 e garantiu promoção às elite estadual. O Tucanos fará repescagem de promoção contra o Tornados. Na Série C, o título foi do Rio Preto, que bateu o Ribeirão Preto por 23 x 16, ganhando promoção à Série B, enquanto o Ribeirão enfrentará repescagem de promoção contra o São Bento. Já na Série D o título foi do Piracicaba, que venceu Pinda por 19 x 15. Os dois times estão promovidos, à princípio, pendendo oficialização.

OS JOGOS COMPLETOS VOCÊ CONFERE NA TV NSPORTS AQUI

Pinda e Piracicaba fizeram um jogo tenso, decidido no último lance e consagrou os bulldogs de Pira como campeões da Série D.

Em jogo tenso que prevaleceu a raça de ambas equipes, o Piracicaba começou o jogo com um aos 9′ minutos pelo ponta Marcelo Franchi, 05×00 para os bulldogs. Com desfalque por cartão amarelo do pilar Fernando Padovez, o Pinda aproveitou a situação para explorar mais a posse de bola e desafiar a base dos rucks do adversário, conseguindo três penais convertidos em pontos por Rômulo Silva e Yago César, segundo e terceiro maiores artilheiros do torneio, para deixar o Pinda na vantagem por 05×09 ao ir pro intervalo.

- Continua depois da publicidade -

Na volta, o jogo continuou pegado, com ambas equipes trabalhando bem a bola, mas sem grandes ganhos territoriais. Ao aproveitar uma vantagem próximo das 22m, Yago César encaixa um belo drop goal para delírio da torcida presente no SPAC, 05×12 Pinda aos 3′ do segundo tempo. Yago César aos 12′, não desperdiça outro penal cometido pelo Piracicaba e amplia para 05×15. A situação estava complicada para o Piracicaba, mas após um belo trabalho de manutenção da posse de bola, com muitas fases entre os forwards, o time foi recompensado aos 15′ com o try de Júlio Zacharias, 12×15. O jogo se manteve com as equipes procurando avanços na base dos rucks, mas foi o Piracicaba que conseguiu a melhor oportunidade após novo belo trabalho de posse de bola com o abertura Luiz Aguiar, aos 23′, para virar o jogo, 19×15. O último lance da partida foi pra levantar a torcida após o ponta Talles Donola conseguir escapar pela ponta e faltando menos de 5 metros para cair par ao ingoal é tackleado para fora, determinando a vitória do Piracicaba.

Ambas equipes estarão no Paulista C ano que vem.

Título do Rio Preto coroa a segunda ascenção seguida da equipe

O Rio Preto iniciou o jogo com sua conhecida tática de reposicionamento veloz e distribuição da bola que fez o time dominar as divisões que disputou nos últimos dois anos, envolvendo o Ribeirão para dentro do seu campo de defesa. Muryel, artilheiro do campeonato, iniciou os trabalhos com dois penais no começo, 06×00 para o Rio Preto. O Ribeirão parecia que teria dificuldades, mas assim que teve a primeira oportunidade de atacar com a bola nas mãos, parou apenas após o primeiro try da partida, com um Pezão voador, imparável, para cair dentro do ingoal aos 12′, 06×05. O Ribeirão ganha momento no jogo e passa a controlar a posse de bola com investidas do seu trio de fundo e abertura, que individualmente tiraram a concentração da defesa. Aos 29′, aproveitando melhor momento na partida, Arthur do Vale converte penal para deixar o Ribeirão na frente, 06×08, deixando a equipe em vantagem no intervalo.

Na volta, o Rio Preto continuou sofrendo ao tentar encaixar o seu jogo e foi dominado pelo Ribeirão que mantinha o melhor momento na partida. O Rio Preto retomou o controle após conseguir trabalhar bem a bola após scrum no campo de ataque, para o try de Roger Pinto, aos 16′, 11×08. O Ribeirão ainda estava em melhor momento na partida e novamente com um penal buscou o Rio Preto no placar, Arthur do Vale aos 20′, 11×11. Na saída de bola após o penal, o Ribeirão recupera a posse e tentou aproveitar o momento na partida, mas não contavam com a astúcia do ponta Jonathan Marckert, ao interceptar a bola em desvantagem numérica na ponta, para cravar seu try no meio dos postes, colocando água no chopp do Ribeirão aos 21′, 18×11 para o Rio Preto. Após o try, o Ribeirão sentiu o golpe e perdeu o controle da partida, ao passo que o Rio Preto aproveitou a situação para marcar novamente aos 29′ com Roger Pinto, 23×11. O jogo diminuiu de ritmo no final, mas não antes de Pezão deixar o seu segundo no final do jogo, 23×16. Rio Preto consagra grande temporada com o título após um ano apenas na Série C; o Ribeirão enfrentará o São Bento pela repescagem da Série B.

Engenharia Mackenzie fecha temporada invicto contra os bravos Tucanos

Tucanos e Engenharia Mackenzie realizaram o último jogo do dia para definir quem seria o campeão do Paulista B. Engenharia chegou como o único invicto da temporada entre todas as divisões do Paulista, ao passo que os Tucanos tiveram franca ascenção na reta final da temporada, desbancando um dos favoritos, o São Carlos, fora de casa na semi final.

A batalha prevista seria entre os forwards e o Engenharia Mackenzie mostrou o cartão de visitas logo aos 6′ entre os forwards, com Rafael Herrero, 05×00 para o Engenharia. O empate veio (quase) na mesma moeda: com um turnover dentro das suas 22, logo em seguida se transformando em penal, o Tucanos avançou até terminar no ingoal, após fortes investidas de seus forwards, para o try do segundo centro Rodrigo Hoffmann, 07×07, aos 11′. Aos 16′, Josué Bennati desperdiça penal quase na frente dos postes, mas que não desestabilizou o emocional do time da capital paulista, que suportou a pressão do Tucanos até dentro das suas 5m de defesa, conseguindo o turnover e aos 23′, Emir Peralta, crava seu try para recompensar a postura de todo time do Engenharia, 14×07. O momento do Engenharia se manteve e aos 28′, Djalma Neto, em outra investida dos forwards termina o placar do primeiro tempo, 19×07 para o Engenharia Mackenzie.

No segundo tempo, os Tucanos voltaram com tudo e logo aos 2′, com Alyffer Ferreira, aproveita sua velocidade entre os forwards na base para marcar seu try, 19×14. Os Tucanos passaram a ter o momento no jogo e jogar mais no campo de ataque, mas Diego Sousa acabou desperdiçando uma oportunidade de 3 pontos no embalo. Ambas equipes não conseguiam concluir suas jogadas, mesmo chegando próximo de suas metas, então, percebendo a dificuldade, aos 19′, Josué Bennati encaixa o penal determinante para o Engenharia, 22×14. A partida dura foi começando as desgastar os jogadores e o banco passou fazer a diferença. Aos 32′, Wallace Wanderley sai do banco para colocar os Tucanos próximos da virada. O jogo foi tenso até o final, com o momento totalmente sendo do Tucanos, mas que era barrado pela defesa heróica do Engenharia Mackenzie, que segurou o placar de 22×19 até o apito final, dando o título para os engenheiros.

Com o título, o Engenharia está no Paulista A de 2020 e cria o novo clássico entre as engenharias ao enfrentar a Poli no ano que vem. O Tucanos enfrentará o Tornados de Indaiatuba para a repescagem do Paulista A de 2020.

Campeonato Paulista Série B – FINAL

Dia 12/10/2019 às 15h30 – Engenharia Mackenzie 22 x 19 Tucanos

Árbitro: Cauã Ricardo / Assistentes: Rafael Nichioka e Tomás de Goycoechea / 4º árbitro: Luiz Dantas

Local: SPAC – São Paulo, SP

 

Campeonato Paulista Série C – FINAL

Dia 12/10/2019 às 13h45 – Rio Preto 23 x 16 Ribeirão Preto

Árbitro: Victor Hugo Barboza / Assistentes: Gabriel Perri e Marcos Saccomanno / 4º árbitro: Bárbara Boadas

Local: SPAC – São Paulo, SP

 

Campeonato Paulista Série D – FINAL

Dia 12/10/2019 às 12h00 – Piracicaba 19 x 15 Pinda

Árbitro: Vinícius Aleixo / Assistentes: Tomás de Goycoechea e Lucas Saccomanno / 4º árbitro: Mauro Paccagnella

Local: SPAC – São Paulo, SP