Poli e São José já duelaram 2 vezes em 2018. Com uma vitória para cada lado. Foto: Fábio Lapa

O mata-mata chegou! Nesse sábado, o Super 16 entrará em campo com os jogos de ida das quartas de final! Sim, quatro confrontos de arrepiar que colocarão frente a frente grandes clubes brasileiros em jogos de ida e volta. Quem largar nesta semana na frente vai ter uma semana mais calma, enquanto quem derrapar na ida vai ter que conter a ansiedade pela volta no dia 29. Em quem você aposta?

 

Reedição da final do Paulista: é São José contra Poli!

Poli e São José já se consagrou como um dos grandes embates do ano. Isso porque os dois times já se enfrentaram duas vezes pelo Campeonato Paulista, com uma vitória para cada lado, sendo que ambos os jogos ocorreram em São José do Campos, palco para o encontro desse sábado:

- Continua depois da publicidade -
  • No primeiro embate, o São José venceu por 27 x 25 na primeira fase do Paulista, mas na grande final a Poli garantiu o título derrotando os joseenses por 25 x 23. Portanto, imprevisibilidade e igualdade são esperadas;
  • O São José terá muita força para a partida com um time próximo do ideal, com os irmãos Sancery e Moisés à disposição do técnico Duda Padilha, que. no entanto, não contará com Tanque, ainda se recuperando de lesão;
  • “Esperamos um desafio muito duro, de formações fixas quase perfeitas, jogo de base sólido e pesado, com uma ligação rápida para os extremos do campo. Será um jogo de 160 min e a paciência será a grande arma das quartas de final”, comentou Duda;
  • Já Maurício Carli, técnico da Poli, tem muitos problemas para montar seu time ideal, pelo acúmulo de lesões no grupo. O time paulistano terá nomes de peso como Abud, Gelado e Zé preparados para darem dor de cabeça aos joseenses, mas Maranhão, Valentin, Feijoada, Profeta, Presida e Mib são nomes que farão falta;
  • “Perdemos 5 titulares, sendo 4 por lesão e um foi morar em Madri. Estamos tentando achar a melhor solução mas está difícil. Como sempre contra o São José ,espero encontrar o jogo mais difícil do ano e certamente o time do Vale está entre os favoritos ao título”, ressalvou Carli;
  • A Poli, apesar de 2 títulos estaduais seguidos, jamais alcançou as semifinais do Campeonato Brasileiro e a ambição é forte para quebrar o tabu. Enquanto a Poli possui um pack poderoso e que certamente jogará para se impor sobre o time do Vale no setor, na linha o São José pode falar alto. O jogo promete!

 

Rivalidade desde a base entre Pasteur e Jacareí

O outro embate entre paulistas promete tanto quanto Poli e São José. É o jogaço entre dois times que esbanjam qualidade com a bola em mãos: Pasteur e Jacareí. A rivalidade entre essas duas grandes escolas formadoras do rugby nacional vem desde a categoria de base e os dois times estão prontos para se encararem em São Paulo na primeira partida da série:

  • Jacareí e Pasteur se enfrentaram uma vez neste ano, no Paulista, com o Jacareí vencendo por 32 x 03 em São Paulo. Os dois times acabaram caindo nas semifinais do estadual;
  • O Jacareí vem voando no Super 16 e é dono do melhor ataque da competição e da segunda melhor defesa. Os Jacarés são os atuais campeões nacionais e não passaram apuros na primeira fase, tendo time quase completo para o embate de sábado. Os desfalques ficaram por conta de Blade, Luan e Jhon;
  • Gabriel Cenamo, o Gabó, técnico do time, analisou os desafios pela frente: “o primeiro desafio é jogar um jogo de 160 minutos e nenhum de nós está acostumado com isso, então temos que traçar algumas estratégias visando o todo e não apenas o jogo 1”. E ainda ressaltou a qualidade do oponente: “o Pasteur teve uma evolução grande desde o Paulista, tem uma linha muito forte e sabemos que não podemos dar espaço porque eles aproveitam”;
  • O clima de decisão é outro fator apontado por Gabó, que sabe do risco do duelo, sempre muito pegado. “Entramos em uma fase eliminatória e naturalmente se cria uma tensão maior no ar. Temos que saber lidar com essa tensão mantendo a cabeça fria e com muito foco em tudo que nós temos controle”;
  • Gabriel Cacuro, treinador do Pasteur, ressaltou que o jogo será decidido em detalhes. “Esperamos um jogo muito intenso e duro tanto no físico como no mental, afinal vamos jogar contra os atuais campeões brasileiros uma equipe muito forte. Acredito que quem errar menos e ficar concentrado os 80 mins vai levar a vantagem pra segunda partida”;
  • O Pasteur fechou a fase de classificação atropelando o Band Saracens e teve uma vitória no início da fase de grupos contra a Poli. Mas, uma derrota pesada no outro jogo contra os politécnicos, por 45 x 15, colocou em questão a força de decisão dos Galos. Agora, contra os Jacarés, o momento do Pasteur é de deixar o deslize para trás e provar que pode voltar a ser campeão nacional, o que não ocorre desde 1994;
  • Jogo aberto, envolvente, com linhas habilidosas. Os dois clubes prometem um dos melhores jogos para se assistir no mata-mata;
  • A partida terá transmissão ao vivo pela Rádio Gol e Rock e poderá ser exibida ao vivo pelo Facebook da CBRu (a confirmar);

 

Taça da Amizade pegando fogo: Curitiba ou Desterro?

Curitiba e Desterro são clubes que se conhecem muito bem, disputando anualmente a Taça da Amizade. Duelo nas quartas de final entre os dois clubes não é novidade e o primeiro jogo será em Florianópolis:

  • Em 2017, os dois clubes se enfrentaram nas quartas do Super 8 e o Desterro derrotou o Curitiba, em ano que o Curitiba tinha a melhor campanha na primeira fase;
  • Porém, em 2018, os dois clubes duelaram 2 vezes pela Taça da Amizade e os Touros venceram ambas, incluindo em Santa Catarina no último jogo, por 34 x 07;
  • Jogar em casa não foi fortaleza para o Desterro na fase de grupos do Super 16, com o time de Floripa tendo empata com o Charrua em jogo que colocou em dúvida a condição atual da equipe rubroverde na luta pelo título nacional;
  • Daniel Pantalena, o Panta, do Desterro, comentou: “jogamos bastante contra o Curitiba e sabemos que é um jogo bastante pesado nos forwards e tanto Curitiba como Desterro são excelentes no setor. Jogo intenso e bem pegado. Sabemos da qualidade do abertura deles também e dos atletas da linha”, ressaltando ainda que o time terá quase força máxima, com atletas de seleção garantidos, como Buda e Bruxinho, além de Ige;
  • Carlitos Baldassari, técnico do Curitiba, confirmou que seu time não terá 100%, por conta de algumas lesões, como do hooker Endy. “Temos alguns jogadores machucados e outros que estão voltando de lesão, mas com certeza o melhor time e o que vai entrar em campo e fazer um ótimo jogo”;
  • O Curitiba foi dono da melhor campanha da primeira fase e está muito perto de garantir inclusive uma semifinal em casa, caso despache o Desterro. O abertura argentino da equipe, Martin, despontou entre os maiores pontuadores da competição, mas a primeira fase não é o melhor termômetro para os Touros. O jogo com o Desterro trará um novo patamar de desafios para um time que, como esperado, é um dos favoritos ao título;

 

Clássico Gaudério: 5 vezes Charrua contra Farrapos

No Rio Grande do Sul, pela primeira vez um duelo entre dois times do estado valerá pelo mata-mata da primeira divisão nacional, com o Farrapos visitando o Charrua para o 5º jogo entre os dois clubes no ano:

  • Como é notório, a invencibilidade do Farrapos contra clubes gaúchos impressiona. O time de Bento Gonçalves não é derrota pelo Charrua desde 2009. Em 2018, foram 2 vitórias do Farrapos no Gaúcho e 2 na primeira fase do Super 16. O último duelo acabou em 37 x 05, em Porto Alegre;
  • O Farrapos foi dono da segunda melhor campanha da primeira fase e também desponta nos números, além de ser o atual vice campeão nacional. Javier Cardozo, atleta e treinador, confirmou que o time alviverde vai completo à capital. “Em relação a o jogo esperamos um jogo duro contra um time que vem muito motivado pelo último resultado.
    Independente disso estamos trabalhando desde o início do ano para que o resultado do jogo dependa exclusivamente de nos. Vamos sair a impor nosso jogo e ser os protagonistas seja quem seja na frente”;
  • Já o Charrua jogou no sábado passado, ao contrário de seu oponente, que chega descansado. O Charrua derrotou o SPAC em São Paulo (15 x 13) em vitória histórica que garante moral ao time porto-alegrense, debutante nas quartas de final da competição;
  • Felipe Aguilar, auxiliar técnico dos Índios, analisou o momento do clube: “Nos colocamos entre as oito melhores equipes do país por mérito, em função do trabalho duro de todos, e isso nos dá força pra continuar e subir mais um degrau na competição. Claro que enfrentaremos um adversário qualificado, com mais experiência na primeira divisão e com o retrospecto a seu favor, mas não tá morto quem peleia”;
  • Trata-se da partida com favorito mais claro, mas o Charrua já provou que é capaz de quebrar tabus. Mas o Farrapos, sedento por garantir não só a classificação como o mando de jogo nas semifinais, tem a vantagem;

 

Quartas de final – Jogos de Ida

versus copiar

Dia 22/09/2018 às 14h00 – Pasteur x Jacareí – Rádio Gol e Rock AO VIVO

Árbitro: Murilo Bragatto

Local: Arena Paulista de Rugby – CERET – São Paulo, SP

 

versus copiar

Dia 22/09/2018 às 15h00 – São José x Poli

Árbitro: Henrique Platais

Local: CT Ange Guimera – Centro Poliesportivo Fernando Avelino Lopes – São José dos Campos, SP

 

versus copiar

Dia 22/09/2018 às 15h00 – Desterro x Curitiba – Desterro TV AO VIVO

Árbitro: Victor Hugo Barboza

Local: UFSC Tapera – Florianópolis, SC

 

versus copiar

Dia 22/09/2018 às 15h00 – Charrua x Farrapos – TV Travinha AO VIVO

Árbitro: Renato Scalércio

Local: Hípica – Porto Alegre, RS