Academia Pedro Leal e o Futuro de gerações

Em 2013, os irmão Leal, Miguel e Pedro, decidiram dar sequências às Academias Direito (do Grupo Desportivo de Direito, bicampeão português) e iniciar a sua “aventura” no Mundo de formar jovens jogadores com outra perspectiva e outra forma de aplicar treinos. Miguel Leal foi internacional português e campeão por várias vezes pelo GD Direito, enquanto que o seu irmão Pedro foi um dos congratulados em 2007, quando Portugal foi ao Mundial de rugby, sendo capitão da Selecção de 7’s de Portugal. A enorme experiência, uma vontade ímpar e um desejo de criar algo novo moveu-os na direcção de começarem a sua Academia de rugby. Em 2016 segue mais uma edição, que depois das férias da Páscoa, agora atacam as clínicas de Verão. Há duas semanas diferentes, a primeira com início a 27 de Junho até 1 de Julho e 4 a 8 de Julho, onde todos os atletas são convidados a inscrever-se, mediante um valor de inscrição que cobre treinadores, alimentação, treinos, campos e supervisão.

 

Dos 8 aos 16 anos, os irmãos Leal estão de “portas abertas” para todos aqueles que querem aprender uma nova técnica, uma nova forma de atacar o jogo ou de aplicar um pontapé bem medido. Uma das histórias que Miguel Leal guarda com mais orgulho, é o facto de um pilar, num treino de chuto, ter comentado “Mas eu sou avançado, tenho de saber chutar?”, no qual explicaram que vários avançados sabem e têm de aprender a chutar para melhor compreender as vantagens ou desvantagens de usar o pontapé em jogo. Na Academia há todo um objectivo que passa por melhorar os atletas em várias vertentes, seja como fazer um passe de forma natural, como atirar um offload, em aplicar um chuto por cima ou como se corre com a bola na mão.

 

A ideia tem sido bem recebida e ao fim de algumas edições já passaram as 5 centenas de atletas, um número formidável para a realidade portuguesa. Ainda mais interessante, é o facto de alguns jovens nunca terem jogado rugby sequer e com essa experiência ganham uma vontade “gigante” em entrar para o Mundo do rugby. Esta é uma das missões de qualquer professor da modalidade, convencer novos jogadores a ir para o Mundo da Oval, explicar as vantagens, qual os princípios e a mentalidade que impera neste desporto. A Academia Pedro Leal tem esses princípios, “respira” rugby todos os dias e a cada edição que passa tenta melhorar as suas qualidades e formas de incutir novas técnicas nos atletas.

 

Notem que para o Verão conceberam dois novos mecanismos para treinar o passe e chuto, com base em argolas e um sistema que de tiro ao alvo. Este é uma espécie de “revolução” em Portugal em termos de aplicar novas técnicas ou sistemas que possibilitem criar novos problemas e, assim, melhorar a técnica individual de cada jogador. Miguel e Pedro Leal estão neste momento a tentar alargar a Academia para outros países ou arranjar forma de jogadores jovens a vir até Portugal e participar nesta “escola” do rugby. Já tiveram um atleta do Luxemburgo, que tem raízes portuguesas, mas querem ir mais além… e a vontade pode passar pelo Brasil, um país que está a crescer no Mundo da Oval. Os custos de uma viagem até Portugal são altos, não há dúvidas… mas vale a pena para que o jovem tenha acesso não só aos irmãos Leal, como também, aos técnicos e jogadores internacionais por Portugal que podem dar novas ideias e ensinar novas formas de abordar o jogo de rugby. Neste momento, a Academia está a trabalhar com atletas seniores de vários clubes da 1ª divisão, demonstrando que o seu “universo” não é o GD Direito, mas o rugby português. É esta a força que os move, de darem ao rugby e aos “miúdos” tudo aquilo que lhes foi dado nos vários anos que jogaram (e que ainda jogam), de ensinarem e de demonstrarem novos processos, técnicas, mantendo a mentalidade da diversão e alegria quando se tem uma bola de rugby na mão.

 

Quando o Portal foi convidado a assistir às Clínicas de Março (onde apoiou esta iniciativa) tivemos alguns contactos com a realidade da Academia… Na semana de 28 de Março a 1 de Abril, a APL recebeu cerca de 20 jogadores, oriundos do GD Direito, CF “Os Belenenses”, GDS Cascais ou do CSCE Luxemburg e sem clube (nunca tiveram contacto com a modalidade sem ser a nível escolar). Na segunda-feira dia 28 de Março, João Pina, judoca que representou Portugal nos Jogos Olímpicos (2004, 2008 e 2012), marcou presença como um dos convidados extra-rugby. Porquê convidar este tipo de atletas? Bem, no caso em questão, João Pina veio ensinar novas fórmulas de trabalhar o contacto, técnicas para melhorar o encaixe da placagem ou disputa de ruck, mas, e principalmente, explicar que não há mal de cair ao chão (o aquecimento foi à base de queda no chão ou de lutas para mobilizar o corpo). A receptividade destes sub-10 a 14 é grande, ouvindo com atenção o que um atleta pode trazer a si… e curiosamente, nota-se um esforço da parte destes em aplicar estas aulas nos mini-jogos que realizam no final de cada treino. Pedro Leal, interviu a certo momento para contar que durante a sua passagem por França (Brive e Nice), tinha treinos específicos com atletas de artes marciais (neste caso, o Judo) para aprenderem novas técnicas… a curiosidade dos atletas envolvidos aumentou e, claro, esmeraram-se para não perder a atenção dos treinadores.

 

O espírito é exigente e descontraído, é divertido e sério, com todas as componentes que um jovem jogador necessita para crescer e sentir-se parte deste Universo. Se tiver desejo de saber mais pode sempre ir ao site da Academia (https://www.academiapedroleal.com/). Contacte os irmãos Leal, “esboce” viagens e eles farão força para tê-los em Portugal durante uma semana ou mais… ou fique à espera que a Academia entre em força no Brasil, que irá acontecer brevemente!

 

Escrito por: Francisco Isaac

Comentários