ARTIGO COM VÍDEOS – Mônaco recebeu neste domingo a grande festa de premiação do World Rugby para os melhores do mundo da temporada 2017 do rugby. E de novo a Nova Zelândia fez barba, cabelo e bigode faturando os principais prêmios.

O abertura Beauden Barrett, dos All Blacks e dos Hurricanes, tornou-se apenas o segundo jogador do mundo a ser nomeado por dois anos seguidos como o melhor jogador de XV do planeta, repetindo o feito de seu compatriota Richie McCaw (2009 e 2010). É o sexto ano seguido que o prêmio vai para um All Blacks, sendo o francês Dusautoir o último jogador de outro país a ficar com a honra, em 2011.

Já a também neozelandesa Portia Woodman se tornou a primeira mulher do mundo a ser eleita a melhor do mundo de XV depois de ter ganho o prêmio de melhor do mundo do seven-a-side em 2015. O prêmio de melhor do mundo de sevens feminino foi da Nova Zelândia também, com Michaela Blyde. E para completar o domínio das mulheres kiwis, as Black Ferns, a seleção neozelandesa feminina de XV, foi eleita o time do ano do rugby mundial, após ser campeã da Copa do Mundo, deixando para trás na eleição os homens dos All Blacks.

A festa kiwi foi completada com Rieko Ioane, ponta dos Blues e dos All Blacks, que foi nomeado o atleta revelação de 2017.

Os Estados Unidos comemoraram o primeiro prêmio de sua história com Perry Baker sendo eleito o melhor do mundo do sevens masculino.

A Inglaterra celebrou seu treinador, o australiano Eddie Jones, como o melhor técnico do mundo pela primeira vez em sua vencedora carreira, enquanto a Irlanda celebrou a árbitra Joy Neville como a vencedora da premiação da arbitragem.

- Continua depois da publicidade -

Por fim, a Argentina comemorou try, porque o try dos Pumas, com Joaquin Tuculet, contra a Inglaterra, na derrota em casa em junho por 38 x 34, foi eleito pelo público o try do ano. E esse não foi a única honra do rugby argentino, que também teve o vencedor do prestigiado prêmio de Caráter, Eduardo “Coco” Oderigo, com um projeto que levou o rugby a presidiários argentinos.

 

Melhor do XV masculino

Beauden Barrett (Nova Zelândia)

 

Melhor do XV feminino

Portia Woodman (Nova Zelândia)

 

Time do Ano

Black Ferns (Seleção Feminina da Nova Zelândia)

 

Jogador revelação masculino de XV

Rieko Ioane (Nova Zelândia)

 

Melhor do sevens masculino

Perry Baker (Estados Unidos)

 

Melhor do sevens feminino

Michaela Blyde (Nova Zelândia)

 

Técnico do ano

Eddie Jones (australiano, técnico da Inglaterra)

 

Árbitro(a) do ano

Joy Neville (Irlanda)

 

IRPA – Try do Ano

Joaquin Tuculet (Argentina, contra a Inglaterra)

IRPA Special Merit Award – Prêmio de Mérito da Associação de Jogadores –  Richie McCaw (Nova Zelândia) e Rachael Burford (Inglaterra);

 

Prêmio de Caráter – Espírito do Rugby

Eduardo Oderigo (Argentina)

 

Foto: World Rugby