A última semana foi de guerra fria entre a Federação Francesa de Rugby e o World Rugby, a federação internacional. Bernard Laporte, ex treinador da seleção francesa e homem atualmente à frente da candidatura francesa a sede da Copa do Mundo de 2023, questionou os critérios de avaliação da Rugby World Cup Limited na recomendação oficial da África do Sul como sede do Mundial.

Laporte levantou dúvidas sobre os critérios, questionando como que a França ficou atrás da África do Sul no quesito de disponibilidade de quartos de hotel e por que os franceses não estão melhor avaliados sobre segurança, dado os números elevados de homicídios no país africano.

O World Rugby respondeu rapidamente ressaltando a idoneidade e a transparência de seu processo seletivo. A sede de 2023 ainda não foi anunciada oficialmente, com a votação final ocorrendo no dia 15 deste mês.

 

- Continua depois da publicidade -

Samoa quebrada

A União de Rugby de Samoa está com sérios problemas. Endividada, a entidade declarou que não tem como pagar o que deve, em perdas acumuladas pelos altos custos da entidade – que incluem a manutenção de uma seleção de sevens profissional e um calendário custoso de eventos do XV – e poucas receitas em um país de 200 mil habitantes.

Nesta semana, o Primeiro Ministro do país declarou que o governo poderá ajudar a federação de rugby com dinheiro público, para evitar a bancarrota.