Em julho do ano passado, o World Rugby anunciou as novas Leis Experimentais do rugby, com mais leis sendo testadas pelo mundo. Tais alterações nas leis entraram em vigor em agosto Hemisfério Norte, sendo que os amistosos de novembro já tiveram o uso das alterações.

No Hemisfério Sul, os testes começaram em janeiro e se o seu clube entrará em campo em breve, já vá atentando para as mudanças.

 

  • O árbitro não fará sinal para a bola ser introduzida na scrum;
  • O scrum-half poderá alinhar seu ombro esquerdo na linha média do túnel do scrum, devendo ainda introduzir a bola de forma reta;
  • O oitavo poderá apanhar a bola a partir do pé do segunda linha no scrum;
  • O hooker deverá obrigatoriamente atacar a bola após a introdução da mesma no scrum;
  • O “tackleador”, o jogador “tackleado” e ao menos um jogador de pé e sobre a bola criam a linha de impedimento;
  • Nenhum jogador poderá chutar a bola para fora do ruck já formado, mas poderá tentar puxá-la com os pés para seu lado;
  • O jogador que aplica o tackle deverá se levantar antes de manusear a bola, podendo apanhar a bola somente do seu lado do túnel;

 

- Continua depois da publicidade -

A Rio Refs fez a tradução das alterações:

Introduzindo a bola no scrum

1. Leis 20.5 e 20.6 (d)
Não haverá nenhum sinal do árbitro, portanto o scrum-half poderá introduzir a bola sem necessidade de autorização, mas deverá introduzi-la de forma reta e alinhar-se ao canal, para que haja um ombro de distância de seu próprio lado a partir da metade do scrum.
Motivo: Para promover a estabilidade da formação, um disputa justa pela posse enquanto há uma certa vantagem para a equipe que introduz(a que não cometeu a infração).

 

Manuseio no scrum

2. Lei 20.9 (b)
O Oitavo pode pegar a bola se ela estiver nos pés dos segundas linhas.
Motivo: A fim de promover continuidade do jogo

 

Ações após a bola ser introduzida no canal

3. Lei 20.8 (b)
Assim que a bola tocar o solo dentro do canal do scrum, qualquer primeira linha poderá usar quaisquer pés para tentar ganhar a posse da bola. Um jogador do time tem que disputar a bola no scrum.
Sanção: Free-kick
Motivo: A fim de promover uma disputa justa pela posse

 

“Tackleador” tentando jogar

4. Lei 15.4 (c)
O “tackleador” deve levantar-se antes de jogar e poderá jogar somente se entrar pelo seu canal de tackle (não mais por qualquer lugar, como antes)
Motivo: tornar o tackle/ruck mais simples para jogadores e árbitros e mais consistente para as particularidades desta lei.

 

Ruck

5. Lei 16
Um ruck inicia-se quando pelo menos um jogador está sobre seus pés e a bola(com “tackleado” e “tackleador” na jogada). Assim que chega o primeiro jogador para dar teto à bola, linhas de impedimento se formam. Jogadores poderão manusear a bola somente se chegarem à formação imediatamente e não houver contestação. Assim que o primeiro jogador adversário chega, não se pode usar mais as mãos.
Esta lei acaba com a tática utilizada pela Itália contra a Inglaterra de não participarem do ruck.
Motivo: Tornar o ruck mais simples para jogadores e árbitros.

 

Outras infrações no ruck

6. Lei 16.4
Um jogador não pode chutar a bola para fora do ruck. O jogador pode somente “hookear” a bola, ou seja, utilizar seus pés para trazê-la para trás
Sanção: Penalty

Motivo: Promover a segurança dos jogadores e tornar a medida consistente com a lei de scrum.

 

Texto Rio Refs: Vinícius Guedes