Nesta quarta-feira, o Comitê Olímpico Brasileiro teve a reunião de sua Assembleia para a votação de seu novo estatuto. Composta por representantes das 30 confederações com direito a voto (as dos esportes olímpicos), a Assembleia aprovou o novo estatuto com apenas uma proposta importante sendo rechaçada: a de se ampliar o número de votos de representantes de atletas de 5 para 12.

A votação sobre o tema foi parelha, com 15 votos a favor da ampliação e 15 contra. Entretanto, após a votação, houve uma ação das confederações contrárias à ampliação dos votos aos atletas para desconsiderar o voto da CBRu, uma vez que seu representante, Eduardo Mufarej, presidente do conselho da entidade, teve que sair mais cedo da Assembleia. Antes disso, no entanto, Mufarej deixou seu voto expresso a favor da ampliação dos votos dos atletas, o qual foi aceito primeiramente e depois descartado. Em caso de empate, o presidente da Assembleia daria o voto de Minerva (o desempate), o qual provavelmente seria a favor da ampliação.

A CBRu soltou nota ameaçando entrar na justiça caso seu voto não seja considerado.

 

- Continua depois da publicidade -

Esclarecimento da CBRu:

A Confederação Brasileira de Rugby (CBRu), por meio de seu representante, Eduardo Mufarej, foi a primeira entidade a registrar voto durante a assembleia do Comitê Olímpico do Brasil (COB) ocorrido hoje. O voto da CBRu a favor da participação proporcional de 1/3 de representantes de atletas nas decisões assembleares do COB foi manifestado em viva voz a todos, gravado no sistema do COB e com registro em ata confirmado pela advogada do COB, Dra. Ana Paula. Não resta dúvidas sobre o teor do voto da CBRu. Ninguém se opôs a esse voto. Por motivos pessoais, o representante da CBRu solicitou autorização para ausentar-se do final da assembleia, o que foi consensado pela administração da Assembleia. Após verificar-se um empate em 15 votos, o que causaria o voto de minerva do Diretor Presidente do COB, a CBRu tomou ciência de que determinados membros da Assembleia causaram a desconsideração do voto da CBRu, gerando um placar de 15×14 em favor da limitação de representação dos Atletas para 5 membros. De forma ilegal e sem sustentação jurídica ou estatutária alguma, o voto da CBRu foi desconsiderado. A CBRu encara a decisão com perplexidade. A entidade notificará o COB, buscando a validação de seu voto e a observância ao Estatuto do COB, como forma de Justiça. A CBRu antecipa que a não observância ao Estatuto causará a tomada das medidas administrativas e judiciais, se necessário, para tornar válido seu direito de voto assemblear.

1 COMENTÁRIO

  1. Absurdos de nosso país.
    Não se respeita nem Constituição, nem determinação do Supremo, imagina um estatutozinho referente ao esporte. Ainda mais com os milhõe$ em verba envolvidos.
    Imagina se vão deixar atletas se meter nas decisões importantes???
    Pior que, do jeito que está, se entrar contra, capaz acaba sendo punida.