Foto: FotoJump/BrasilRugby

Quer conhecer alguns craques dos Tupis! Lá vem uma série para apresentar alguns deles para quem não conhece. Começando com o Gelado, da Poli! Textos de Geisa Frutuoso e João Pedro Almeida.

Cleber Dias Júnior, o Gelado, já mostrou pra vida e pros adversários que não é nada fácil derrubá-lo. Comparado com tudo que o craque da Poli já enfrentou até ser um dos maiores expoentes do rugby brasileiro na atualidade faz com que a imagem de um tacleador vindo pela frente, por maior que ele seja, nunca tenha sido um grande problema.
O primeiro rival que Gelado teve pela frente foi ele próprio. O atleta custou a superar a desconfiança para enfrentar um esporte que até então era pouco conhecido. Modalidade que hoje traça a rotina de Cleber, mas já foi tratada, por ele mesmo, como coisa de maluco.
Quando o rugby conquistou o craque, outra adversidade apareceu. Grande parte da família, que é fundamental para qualquer atleta, não apoiou a decisão de Gelado de se dedicar ao esporte. Porém, felizmente, a avó paterna foi uma exceção, e ofereceu ao ainda garoto, o que ele mais necessitava, que era o incentivo.
Daí em diante, as coisas fluíram naturalmente. Gelado se tornou referência na seleção nacional, realizou um intercâmbio na Nova Zelândia, e até mesmo superou a timidez, que sempre atrapalhou o jovem. É bem verdade que outras dificuldades surgiram ao longo do caminho, mas hoje não tem o que derrube esse craque.
Toda luta para vencer as adversidades fizeram de Gelado um verdadeiro destruidor de obstáculos. Um exemplo gigante de que não existem barreiras pra quem tem persistência e acredita na força que existe dentro de si.
Texto: Geisa Teles Frutuoso/João Pedro Almeida