O que você sabe sobre o rugby alemão?

Nesse sábado, Brasil e Alemanha entrarão em campo para se enfrentarem pela primeira vez na história, em jogo que também será o primeiro da seleção brasileira na cidade de Blumenau – e apenas o segundo na história no estado de Santa Catarina (o primeiro desde Brasil 9 x 0 Trinidad e Tobago, em 2002, em Florianópolis). Esta será também a primeira partida da Alemanha contra uma seleção das Américas. Até hoje, apenas as seleções femininas dos dois países duelaram, e foi apenas uma vez, em 2011, em Roma, com vitória brasileira por 15 x 5.

 

Mas, o que você sabe sobre o rugby alemão?

 

Centenário, mas sem apelido

Mais do que centenário, o rugby começou a ser jogado na Alemanha quase desde seu início, com registros datando dos anos 1850, em Heidelberg, que atraía estudantes britânicos nessa época. A federação alemã fora fundada em 1900, sendo uma das mais antigas do mundo, mas apesar de toda a tradição sua seleção segue sem um apelido oficial. No símbolo, a Águia Federal alemã é usada, mas não empresta seu nome à equipe.

 

Apenas mais uma

Se a Alemanha é famosa por sua seleção de futebol, assim como o Brasil, no rugby os alemães são discretos. No momento, a Alemanha ocupa a humilde 30ª posição no Ranking do World Rugby, nove lugares acima do Brasil.

 

Neste ano, a Alemanha voltou a disputar a elite do Europeu de Nações, o Six Nations B, terminando em último lugar, com cinco derrotas esperadas em cinco jogos. A Alemanha, no entanto, não fez feio para uma equipe recém promovida, fazendo jogos muito duros contra a excelente Romênia (que jogou a Copa do Mundo deste ano) e Portugal. Derrotas por 11 x 3, em Lisboa, contra os portugueses, e somente 17 x 12, em casa, contra os romenos. Nos outros três jogos a margem foi maior, perdendo em casa para Geórgia (64 x 8) e Rússia (46 x 22), e fora de casa para a Espanha (48 x 16). Isso significa que hoje a Alemanha é a 12ª força da Europa.

 

SeleçãoJogosPontos 2014-16Pontos 2016
Geórgia104524
Romênia103419
Rússia102714
Espanha102309
Alemanha100807
Portugal100601




 

O time terá mais um ano (2016) para permanecer na competição e evitar o rebaixamento. Os alemães terão como grande desafio o jogo em casa contra Portugal, no dia 27 de fevereiro, em Hanover, que poderá decidir a permanência. A Alemanha ainda pega em casa a Espanha e fora de casa Geórgia, Rússia e Romênia.

 

No ano passado, os alemães venceram a 1ª Divisão B do Europeu de Nações, o Six Nations C, comemorando seu retorno ao Six Nations B (o qual não disputavam desde 2010). Para a promoção, a Alemanha teve que vencer oito de seus dez jogos entre o fim de 2012 e o começo de 2014, com as únicas derrotas ocorrendo fora de casa contra Polônia e Moldávia. Os alemães venceram os dois oponentes em casa e triunfaram em casa e fora de casa sobre Ucrânia, Suécia e República Tcheca.

 

Nas eliminatórias para a Copa do Mundo de 2015, a Alemanha, como campeão da 1ª Divisão B do Europeu de Nações teve que encarar um playoff europeu pela vaga na Repescagem Mundial (já que as vagas diretas da Europa no Mundial foram para Geórgia e Romênia, campeã e vice da 1ª Divisão A, o Six Nations B). A Alemanha duelou com a Holanda em 2014, vencendo em Amsterdã por 17 x 7, e, na sequência, encarou em casa, em Hamburgo, a Rússia, dando trabalho aos Ursos, mas sendo derrotada por 31 x 20, para dar adeus às chances de classificação.

 

 

Os muitos compromissos da Alemanha no Europeu de Nações e os recursos mais escassos da seleção fazem com que os alemães joguem poucos amistosos internacionais. No ano passado, a Alemanha viajou à Namíbia para encarar a seleção da casa e foi derrotada por 58 x 20. Desde o amistoso de 2010 em casa contra Hong Kong que os alemães não enfrentavam uma seleção de fora da Europa em amistoso.

 

 

Em 155 partidas oficiais contra seleções nacionais como país unificado, a Alemanha venceu 79 jogos, perdeu 73 e empatou 3. A Alemanha Ocidental, por sua vez, teve 132 partidas, com 54 vitórias, 73 derrotas e 5 empates, enquanto a Alemanha Oriental jogou 31 vezes, vencendo 6 e perdendo 24, além de 1 empate.

 

Medalhista olímpica!

A Alemanha jamais jogou a Copa do Mundo de Rugby, mas tem em seu currículo um feito de fazer inveja em qualquer seleção do mundo. No longínquo ano de 1900, a Alemanha disputou o primeiro torneio de rugby dos Jogos Olímpicos, em Paris. Apenas três países inscreveram equipes naquele torneio e Alemanha foi representada basicamente pelo FC 1880 Frankfurt, até hoje um dos mais fortes times de rugby do país. Foi apenas uma partida para os alemães, contra a França, com derrota por 27 x 17. Os franceses ainda bateram a Grã-Bretanha, representada pelo clube Moseley Wanderers, por 27 x 8, e alemães e britânicos não se enfrentaram. Com isso, a Alemanha ficou com a medalha de prata.

 

A partida contra a França é considerada a primeira da história de uma seleção alemã, ainda que, na prática, tenha sido representada por um clube. O país só voltaria a formar uma seleção em 1927, e não era nada ruim. A Alemanha enfrentou a França em Paris e foi derrotada por 30 x 5, em época que os franceses já jogavam o Cinco Nações. Um mês mais tarde, foi a vez da Alemanha receber a França e… vencer! 17 x 16, em Frankfurt, mostrando a força de seu rugby nesse período. A Alemanha ainda venceria no mesmo ano a Romênia em Heidelberg por 6 x 0 e, no ano seguinte, perderia por apenas 14 x 3 para os franceses, em Hanover.

 

Em 1936, Berlim sediou os Jogos Olímpicos e o rugby fora disputado como modalidade demonstrativa apenas, pois já havia sido excluído do programa oficial dos Jogos após 1924. O torneio reuniu contra seleções europeias e inaugurou o Torneio da FIRA, o atual Europeu de Nações. Nas semifinais, a Alemanha derrotou a Itália por 19 x 8, ao passo que a França superou a Romênia por 25 x 5. A decisão opôs os dois rivais e os franceses levaram a melhor por pouco, 19 x 14, diante de uma multidão no estádio da capital alemão. O sucesso seria tão grande que, em 1938, a Alemanha voltaria a receber a França e venceria a rival pela última vez, por 3 x 0, em amistoso, em Frankfurt, antes de viajar para o Torneio da FIRA daquele ano, realizado em Bucareste, na Romênia, e vencido pelos franceses. A Alemanha ainda faria amistosos contra a Itália em 1939 e 1940 antes que a Segunda Guerra Mundial devastasse o esporte no país.

 

Depois da Segunda Guerra, a Alemanha fora dividida em Alemanha Ocidental, capitalista, e Alemanha Oriental, comunista, ambas com seleções distintas de rugby, e que nunca se enfrentaram. E nenhuma das duas obteve sucesso nos gramados europeus, vivendo à sombra dos tempos promissores dos anos 20 e 30. Apesar da presença militar inglesa e da proximidade com a França, o rugby na Alemanha perdeu seu fôlego, e a descontinuidade do Torneio da FIRA, retomado nos anos 50, mas ganhando regularidade somente a partir de 1965, também prejudicou a modalidade no país. Entre 1954 e 1981, a Alemanha Ocidental esteve distante da elite da Europa Continental, enquanto a Alemanha Oriental sequer se aventurava na competição europeia.

 

Heidelberg e Hanover, as capitais do rugby

O rugby não é um esporte popular na Alemanha, isso já ficou claro, mas quais são as cidades onde o rugby é maior? A resposta é fácil: Heidelberg e Hanover. A Rugby Bundesliga, o Campeonato Alemão de Rugby, conta com 16 clubes, dos quais quatro são de Heidelberg e dois de Hanover. Berlim, Frankfurt e Hamburgo também contam com dois clubes cada, mas a tradição de Heidelberg e Hanover é indiscutível. Contando todos os títulos da Alemanha unificada e da Alemanha Ocidental, os clubes de Hanover somam 62 conquistas, contra 26 dos clubes de Heidelberg, 6 de Frankfurt e apenas 1 de Berlim.

 

Heidelberg é a cidade que salta aos olhos primeiro. Com somente 150.000 habitantes, a cidade às margens do Rio Neckar é famoso ponto turístico da Alemanha, pelo seu castelo e ruas medievais, e reconhecida mundial pela sua universidade, que atrai estudantes do mundo todo. É pela presença intensa de estudantes desde o século XIX que o rugby se desenvolveu na cidade e, apesar do tamanho, nada menos que cinco clubes de rugby existem em Heidelberg, uma concentração impressionante que faz com que a cidade respire intensamente a bola oval e tenha no rugby seu principal esporte.

 

Já Hanover tem uma íntima relação com a Inglaterra. Antes da unificação da Alemanha no século XIX, Hanover era um reino independente cuja família real também tinha… a coroa britânica! A Casa de Hanover reinou no Reino Unido até 1901, com a morte da Rainha Victoria. A íntima relação da cidade com a monarquia inglesa fez os laços se estreitarem e muitos britânicos passaram a estudar ou fazer treinamento militar na cidade, ajudando a fomentar também o rugby. Nos últimos anos, no entanto, o poderio dos clubes de Hanover caiu e quem cresceu foi Heidelberg, com o forte e semi-profissional Heilderberger RK tendo conquistando os seis últimos títulos da Rugby Bundesliga.

 

Sevens: o melhor caminho?

O crescimento do rugby alemão nos últimos anos vem sendo impulsionado, como no Brasil, pelos Jogos Olímpicos. A Alemanha vem depositando grandes esperanças em sua seleção masculina de sevens, cujo sucesso vem aparecendo. A equipe disputa anualmente o Grand Prix Europeu, o circuito europeu de sevens, e neste anos acabou com o brilhante quinto lugar na classificação geral, terminando acima de Portugal, Gales, Geórgia, Itália, entre outros (enquanto Escócia e Irlanda sequer disputaram o circuito). O feito garantiu a Alemanha no Torneio Qualificatório de Lisboa e outra grande campanha fez os alemães assegurarem uma das quatro vagas da Europa no Pré-Olímpico Mundial, que será jogado no ano que vem, valendo a última vaga no Rio 2016.

 
O time feminino também joga o Grand Prix Europeu, mas com menos sucesso.
 

Comentários