PRO12 pode incorporar equipes de Londres

Nesta semana, uma notícia rondou os salões do PRO12, com uma nova possibilidade no horizonte da Liga Ítalo-Celta: a inclusão no campeonato de clubes de Londres. O PRO12 atualmente reúne doze franquias regionais, sendo quatro equipes da Irlanda, quatro de Gales, duas da Escócia e duas da Itália. Porém, com contratos de TV mais baixos que a Premiership inglesa e o Top 14 francês, o PRO12 busca alternativas de se tornar mais atraente aos investimentos.

 

O jornal inglês The Rugby Paper revelou conversas entre o London Welsh e o London Scottish, dois clubes de Londres, para serem admitidos na liga. O London Welsh atualmente disputa a Premiership, mas está matematicamente rebaixado, ao passo que o London Scottish está no mata-mata final do GKIPA Championship, a segunda divisão profissional inglesa. Os dois, juntos do London Irish, da Premiership, foram a trinca dos clubes chamados de Exiles, os três clubes de Londres que representam as comunidades de irlandeses (Irish), galeses (Welsh) e escoceses (Scottish) que vivem na região da capital britânica. Todos os três nutrem fortes relações com as federações dos países de suas comunidades e a entrada dessas equipes no PRO12 poderia servir como plataforma de entrada do PRO12 no lucrativo mercado inglês.

 

Para London Welsh e London Scottish, a troca do Championship pelo PRO12 significaria um ganho em termos de exposição e verba de TV, mas para o London Irish que, apeas das campanhas ruins ainda usufruir da riqueza da Premiership, a troca ainda parece distante.

 

No momento, a situação no Championship segue mais incerta do que nunca. Apesar das negociações para o aumento dos repasses de verba da RFU (federação inglesa de rugby) para os clubes da segunda divisão, a proposta da Premiership Rugby Limited (entidade organizadora da Premiership) de expandir a liga para 14 equipes e fechá-la por cinco anos sem rebaixamento ou promoção a partir de 2016-17 vem gerando grande insatisfação de clubes que têm poucas chances de estarem em breve na primeira divisão.

 

Nasce a Unione Rugby Dogi na Itália

Enquanto isso, na Itália, a reorganização das equipes do país no PRO12 é o assunto. No mês passado, foi oficialmente fundada a Unione Rugby Dogi, uma nova entidade que servirá de base para a substituição do Benetton Treviso pelos Dogi na competição. Único clube participante do PRO12, o Treviso já há algumas temporadas ensaia sua saída da liga, descontente com os subsídios da Federação Italiana de Rugby. Os Dogi, por sua vez, são a seleção da região do Vêneto, coração do rugby italiano, onde se localiza inclusive Treviso.

 

A Unione Rugby Dogi foi fundada como uma associação formada pelos clubes da região e encabeçada por Treviso, Rovigo, Petrarca Padova, Mogliano e San Donà, as cinco grandes equipes do Vêneto, com o intuito de formar seleções, a princípio, nas categorias de base, mas com o objetivo de formar e viabilizar a equipe regional que substituirá em breve o Treviso no PRO12.

 

Zebre será privatizado

Já a outra equipe italiana no PRO12, o Zebre Rugby, franquia federal, mantida até então pela Federação Italiana de Rugby (FIR), e que representa o norte do país, pode ter seus dias em Parma contados. Buscando investidores para assumirem a equipe, a FIR fechou negócio e vendeu 74% da equipe para um grupo de empresários industriais da cidade de Parma, onde a equipe está baseada. Nos últimos meses, a permanência do time em Parma vem sendo colocada em questão, uma vez que, além dos baixos públicos (média de pouco mais de 2 mil pessoas por jogo) e do interesse pequeno que o mercado de Parma gera para contratos de TV e para a grande mídia, a cidade da Emilia vive grave crise financeira em diversos setores, já tendo afetado o famoso clube de futebol da cidade, rebaixado na Serie A italiana e ameaçado de falência.

 

Comentários