Na última semana, foi anunciada a criação da Liga de Rugby do Mato Grosso do Sul, uma dissidência de quatro clubes (Dourados, Corumbá, Frontera Ponta Porã e Mirmidões São Gabriel d’Oeste) descontentes com os rumos da federação local, a FRMS, junto da qual ficaram somente Campo Grande e Guaicurus Três Lagoas.

 

O grande motivo da insatisfação, segundo André Medina, presidente do Mirmidões (São Gabriel d’Oeste), e membro do conselho da recém-criada Liga, que conversou com o Portal do Rugby sobre o rompimento, foi a falta de organização que viabilizasse campeonatos, cursos, e apoio na formação de outros polos no estado. Medina ressalta que a a Liga ajudou a desenvolver três novos times, que já vinham pleiteando apoio há anos, como o Dragons de Maracajú. No começo do ano, os clubes buscaram o então presidente André de Oliveira Barros para formar um conselho administrativo, com todos os clubes com voz e direito a voto, e tal medida não foi adiante, aumentando a insatisfação do grupo e culminando na decisão.

 

- Continua depois da publicidade -

Daniel Figueiredo, um dos mais conhecidos apoiadores do Rugby no estado, assumiu de forma temporária a função de presidente esclarece que ao contrário do que relatam os dissidentes, “a FRMS foi igualmente ausente com seus filiados, não privilegiando a força do estado, o Campo Grande, outra queixa dos demais clubes. Sua atuação se resumia a organizar cursos da World Rugby/CBRu e o estadual (organizado em formato e datas em consenso com todos), através da figura do presidente e dois vices e voluntários para clínicas.”

 

Sobre o Conselho, Figueiredo assume que essa ação não prosperou devido inércia do então presidente. Como resposta, os clubes pediram desfiliação, e segundo ele, recentemente o grupo procurou diretamente a CBRu para solicitar cursos para a região, e somente nesse ponto, se inteirou que havia um movimento dissidente no estado. Em conversas entre as partes, os clubes decidiram não formar uma chapa para assumir a entidade, e sim criar uma nova entidade.

 

“Daí surgiu a ideia dele assumir a função de presidente. Entrei em contato com todos me apresentando e colocando a FRMS à disposição deles para o desenvolvimento. Minha intenção é ficar a frente da Federação até o fim do mandato atual, no final de 2016. Nesse tempo, pretendo reunificar o estado e desempenhar uma gestão voltada a criação de categorias juvenis.”

 

Opinião Portal do Rugby

Em uma região onde o Rugby é ainda muito pequeno, é temerário esse tipo de divisão, pois ao invés de somar os poucos esforços disponíveis, se criam ações divergentes e conflitos de interesses. E já vimos situação semelhante até mesmo no nível de clubes em regiões igualmente ainda não bem estabelecidas no cenário nacional. Que os lados cheguem a um entendimento para manter o desenvolvimento do esporte no estado no caminho certo, cada um tendo voz e agregando o que pode de melhor ao rugby do estado.

17 COMENTÁRIOS

  1. na vdd essa divisão serviu p/ mostrar p/ todas a outra regiões, que assim como a nossa q nunca teve ajuda nenhuma da cbru, podem se mobilizar e fazer o esporte crescer sem a mesma, faço parte do rugby no MS desde a sua criação e falo com propriedade, nosso estado estava largado as moscas pela cbru, a frms ñ difundia o rugby, ñ tinhamos voz, ñ participavamos d nada, agr com a criação da liga demos outro rumo no rugby do nosso estado.
    VCS AÍ QUE TBM PASSAM POR ISSO, DESVINCULEM DA CBRU, SE MOBILIZEM SE JUNTEM FAÇAM POR VCS PQ POR ELA Ñ VAI SER FEITO NADA, CRIEM LIGAS EM SEUS ESTADOS, Ñ FIQUEM SE LAMENTANDO POR NÓS, EM 3 MESES D LIGA JA FIZEMOS MAIS JOGOS Q EM 10 NOS DE FEDERAÇÃO, JA TEMOS JOGOS DEFINIDOS ATÉ O FIM DO ANO, Ñ SE LAMENTEM POR NÓS FAÇAM POR SEUS TIMES PELO RUGBY POR VCS
    ESE PRECISAREM DE APOIO ENTREM EM CONTATO CONOSCO PELA NOSSA PÁGINA QUE ESTAREMOS A DISPOSIÇÃO PARA AJUDAR
    OBG

  2. Me desculpem, mas falar que o racha vai atrapalhar o rugby é de uma burrice absurda, pois do tempo em que a liga existe (não muito tempo) três clubes surgindo ou surgido (como queiram) no estado. Agora lhe pergunto o que essa entidade vinculada CBRU fez durante todo esse tempo de existência ? A qual a dificuldade para entidade em criar novos pólos no estado?
    Uma coisa lhe digo Maracaju só conhece o rugby devido aos amigos de Dourados em um primeiro momento e a consolidação do The Dragons Rugby pelo nosso amigo André Medina, porque se fosse pela FRMS única coisa que iriam saber desta cidade é a festa da linguiça.

  3. Isso não é racha é o desenvolvimento do Rugby acontecedo, os clubes se organizaram e estão desenvolvendo o Rugby… esperamos… esperamos … fizemos reunião.. pedimos… discutimos… até que na ultima reunião em 31/01/2015, Sr Daniel foi convidado mais não se envolveu naquele momento… tinhamos 3 opções:
    – Fazer o conselho administrativo e mudar o estatuto para que todos participa-se
    – Fazer uma chapa entre os clubes filiados Dourados e Três Lagoas para nova eleição
    – Por fim a criação da LRMS.

  4. Bem a idéia de LIGA é uma boa, mais acho que esta na ordem errada, minha opinião, citar um exemplo NORDESTE (depois copiado por outras regiões) tínhamos competições e cursos gerenciados por clubes ou pessoas com força de vontade para ajudar com o crescimento do Rugby, só que ambos não tinham muita tempo, pois agiam só, então em 2012 criamos a Liga Nordeste, mais o intuído não era separar e sim Unir idéias, força de vontade, vontade de desenvolver e trazer coisas boas para o nordeste, como Cursos e boas competições, mais sempre com o pensamento que com o tempo os estados fossem criando suas Federações e organizando seus times (Legalizar “CNPJ + Diretoria ativa + Feminino + Base”) em 3 anos já estávamos colhendo frutos, pois em 2012 com apenas 8 times masculino e 6 Feminino ativos em todo Nordeste, 4 árbitros (Recife-PE onde tivemos que gastar muito trazendo árbitros de fora) em 2014 já tínhamos mais de 50 pessoas com Cursos de Arbitro N1, Coach N1, Tag e Forca e condicionamento, bem como ter uma media de 15 árbitros pelo nordeste arbitrando e praticando, com isso diminuído custos, times na 1ª divisão do campeonato mais Forte do pais e jogando de igual para igual, 2 jogadoras na seleção Brasileira de Rugby Feminino, 3 jogadores na seleção masculina de Rugby XV, jogadores sendo visto pela seleção e fazendo avaliações por convite da Seleção e não aquelas peneiras de antigamente, sem falar que pulamos de 8 M e 6 F times ativos em 2012, para 25 times masculinos e 14 times Femininos Ativos (participando de campeonatos Nacional e sendo referencia), conseguimos resultados bacanas, por que invés de cobramos de alguém responsável pelo nordeste, fomos lá juntos e colocamos na cabeça que o nordeste era muito grande para esta jogado as traças e sendo passado para trás, já em 2015 visto todo o resultado dos últimos 3 anos e as evoluções, começamos a ter no focos, onde a Liga Nordeste saiu de CENA para então aparecer o fortalecimento das Federações, sendo que para continuar administrando o nordeste e poder seguir muitas exigências da CBRU e para conseguir nos Organizar, criamos em primeira instancia a FENERU (FEDERACÃO NORDESTINA DE RUGBY) onde nosso maior interesse é continuar o que a Liga Nordeste estava Fazendo só que de forma mais “PROFISSIONAL” aos olhos de todos, ate que um dia todos os estados do Nordeste tenham sua Federação Ativa e atuante.

    Tive em 2013 em MS e participei de jogos e competições como Arbitro, acompanhei Daniel Figueiredo e Emerson Hirata de perto e a organização da federação, sem falar da força de vontade dos caras de fazer a coisa acontecerem, não estou demagogia com ninguém, como eu disse cria a Liga é uma boa idéia, se o intuito é fortalecer, mais com a idéia de Federação em seguida, como ai já existe uma federação, o ideal seria criar essa liga linkada a FRMS, acho que assim é o LOPaR- Liga do Oeste Paulista de Rugby Circuito de jogos de rugby da modalidade 7’s, liga fundada em 2011, onde a mesma e ligada a federação paulista, onde ajuda a administrar times fora do eixo, Ela tem aval da fpr para organizar campeonatos, cursos, etc, assim como foi a idéia da Liga Nordeste que fez muita coisa em conjunto com a CBRU.

    Desculpa minha opinião, mais não me alegro com divisões, fico mais feliz com propostas de solução e que as mesmas não sejam ligadas a interesses (não estou dizendo que aja) mais uma boa conversa ajuda mais!!!

  5. Senhores, acredito que todos tenham direito a expressar suas opiniões. Mas acredito que certas coisas da nossa realidade, aqui do MS, que devem ser tratadas internamente. Tem muita roupa pra ser lavada e não é neste tanque que devemos fazer isto.
    Mas como o Marvel disse, necessariamente este “racha” não precisa ser maléfico. As duas instituições podem desenvolver o rugby (de forma independente) mas também em cooperação mútua. Um exemplo é o que ocorrerá no próximo mês, em que um time da FRMS enfrentará um time da LRMS num torneio vinculado a uma instituição do Centro-Oeste. Creio que o intuito da LRMS é desenvolver o rugby assim como a FRMS, e que nunca foi objetivo da LRMS atuar como antagonista ou sujar o legado deixado pela FRMS.
    Num país como o nosso, que temos apoio insuficiente do poder público, quase nenhum apoio privado, os clubes do MS não tinham o apoio esperado da FRMS, até porque a federação não tinha muito suporte também, alternativas como esta são válidas sim.
    Para ser sincero lamento que o Daniel tenha assumido a FRMS tarde demais, num momento que a situação já estava avançada e com isso sua capacidade de reunir os clubes está prejudicada. Mas ainda vejo chance de conseguir cooperação entre as duas instituições para promover o esporte, porque é isso que realmente importa.

  6. Bom, eu sou do Itaporã, projeto que não foi citado mas apareceu na matéria como um dos 3 clubes citados, em primeiro lugar não surgimos devido à FRMS ou a liga, nosso projeto surgiu espontâneamente entre um grupo de adolescentes, nunca tinhamos ouvido falar que existia rugby no ms, isso foi no ano de 2011. Quem sempre nos

    ajudou a treinar, passou fundamentos e inclusive desenhou nosso escudo foi a equipe de Dourados, a quem agradeço muito. Sem o Dourados esse já debilitado projeto teria naufragado, então apóio e defendo a liga, uma entidade ajudando equipes que surgiram agora ou pouco desenvolvidas como a minha é sempre bem vinda, jamais recebi nenhum contato concreto da FRMS para desenvolver o rugby por aqui, somente do Dourados que é um exemplo de conduta esportiva e espírito rugbier, com equipes assim unidas o rugby sul-mato-grossense só tem a ganhar.

  7. Realmente uma situação que não é boa para ninguém, uma pena! É legal salientar que a então recém criada Liga, já ajudou a criar 3 novas equipes, o triste é se esquecerem que foi a FRMS quem ajudou os próprios em seus primeiros passos. Uma federação não é uma entidade divina, esse tipo de trabalho conjunto que hj a Liga está prometendo realizar, é exatamente o que a federação precisava. Enfim… seguimos trabalhando….

  8. Lamentável é estar na situação de equipes que necessitavam de apoio e não o tiveram.
    Se uma equipe ficar descontente com uma ação, ou atitude, tudo bem. Pode acontecer.
    É natural que haja um descontentamento de uma parte. Agora se duas ou mais equipes
    Tem o mesmo descontentamento, é porque algo não está correto. “Tem coelho nesse mato!
    Se você incomoda alguém e está te faz uma reclamação, vc a escuta, porém mantém teu comportamento.
    Se uma outra vem e faz a mesma reclamação, você para e diz : opa! E presta atenção.
    Se vem uma terceira com a mesma reclamação, mude seu comportamento pois há algo de errado!
    Não estaria acontecendo algo errado? Será que estão sendo justos?
    Será que não estamos fazendo algo de errado?
    Pensem sobre isso se querem um rugby mais unido.
    O rugby é um esporte de união, mas também é de respeito, é um esporte de valores.
    Se querem união, respeitem os valores do rugby!

  9. Parabéns ao Dourados Rugby que voltou a se filiar a FRMS. Somente com a união de pelo menos a maioria iremos fortalecer o nosso esporte no estado. Se cada um puxar a corda para lados diferentes, iremos ter 10 ligas fracas ao invés de uma federação forte!
    Ainda cabe esclarecer que quem faz a federação são os clubes, e em 2016 teremos eleições para a direção da FRMS.

  10. Já ocorreu de 2 clubes filiados ou vinculados a LRMS se recusarem a jogar contra quem não está alinhado a ela, e os motivos foram iguais: só jogam com quem é da LRMS. Para mim, esta atitude não soma em nada ao esporte, muito pelo contrário, apenas o enfraquece ainda mais. Mesmo que os ideais da criação da LRMS tenham sido nobres, já começam a cometer erros que apenas acentuam a divisão do rugby no estado.

  11. Parabéns pela reportagem Daniel, seguimos, assim como a FRMS, trabalhando forte pelo estado… Cabe ressaltar aqui, que a FRMS nunca ajudou porra nenhuma do meu clube dar “primeiros passos”, o Corumbá Rugby Clube | CORC é o segundo time mais velho do estado e nasceu/cresceu e vive hoje por esforço próprio. Agora tem gente lá da fronteira com são paulo lamentando, mas na reunião de tentativa de reunificação da Federação foi acordado que esse clube iria participar de etapas estaduais conosco. Com o calendário pronto, resolveram dar pra trás na última hora dizendo que não conseguiu apoio da prefeitura. Até aí tranquilo. Mas aí o mesmo clube vai e participa da LOPAR, ou seja, lamentam pelo racha no MS mas só vive em SP. Com todo respeito, os dirigentes desse clube devem se preocupar com SP, porque com certeza, MS eles não são. Se fosse simples assim, pro meu clube jogar com times da bolívia onde tem peruanos, chilenos, paraguaios e argentinos sai em torno de 70 reais ida e volta. Em ponta porã o Frontera RC poderia muito bem jogar só no paraguai, porque a federação paraguaia dá apoio pleno a eles, já ganharam materiais, o presidente da entidade mandou e-mail pra eles dizendo que está as ordens. Olha que o clube nem é paraguaio heim!!!! Mas apesar de todas as facilidades, olhamos para nosso país e nosso estado, onde é muito mais caro e dificultoso jogar, tudo para desenvolver NOSSO estado. Então, que fique a dica.

  12. Prezados.
    Alguns esclarecimentos devem ser prestados aos que recebem as notícias, e um monte de argumentação
    Participo do Rugby no MS desde o início, fazendo parte de diretoria de Clube e da Federação desde sua Criação.
    Cumpre a esclarecer que desde a criação da Federação de Rugby de Mato Grosso do Sul dois dos clubes integrantes da Liga, dentre os quais o Corumbá Rugby clube, que diz que nunca teve apoio nenhum da Federação, foram convidados a fazerem parte da federação como clubes filiados, porem sempre com meras desculpas nunca se filiaram a Federação, onde até dezembro de 2012, nunca enviaram nenhum documento a federação no sentido de se fazerem filiados, onde quando o Clube de Corumbá encaminhou a documentação a encaminhou toda de forma irregular, outro clube da fronteira, o de Ponta Porã também não se ligou a Federação, mesmo após vários convites, e todos com a simples argumentação de que o que ganhariam se fossem filiados.
    Falar que nunca receberam apoio nenhum é uma grande mentira, onde o clube de Corumbá em 2010 teve metade de seu transporte pago, isenção de inscrição em torneio, alimentação e hospedagem pagas; São Gabriel eu mesmo fui para auxiliar, e depois outros integrantes tanto do Clube de Campo Grande Foram para auxiliar no desenvolvimento inicial, Dourados eu mesmo, juntamente com um fundador do Campo grande fomos ministrar clinica com o pouco conhecimento que temos, Ponta Porã e Corumbá, mesmo não sendo filiadas foram escolhidas para sediar etapa do estadual de Rugby Sevens, com a intenção de fomentar a modalidade em suas Cidades.
    Licito esclarecer que federação tem sobrevivido aos mesmos trancos que vossos clubes, pois não tem recurso algum, salvo quando aprovados algum projeto para a realização de campeonato, que libera verba, do Fundo de Incentivo ao Esporte, e esta deve ser aplicada somente no evento, e prestado contas ao Tribunal de Contas do Estado.
    A Federação não possui recursos financeiro algum, pois os clubes integrantes vem pleiteando a isenção de taxas alegando não possuírem recursos, então lhes questiono, como fazer algo sem recursos.
    Não me venham a falar no campeonato organizado pela Liga que não possui sequer medico ou ambulância em campo.
    Ante não ligação dos clubes à federação como vocês ainda vem a pleitear ajuda, auxilio, apoio?
    Mesmo com os clubes não ligados a federação todos sempre foram convidados a participar de cursos e clinicas realizados pela federação, até mesmo sendo permitida sua participação nos torneios da federação.
    Com todo o respeito ao entendimento de todos vocês querem ser ajudados, e carregados, mas sem fazer o mínimo que é se ligarem à federação, que não lhes cobre nem mesmo taxa de anuidade pois sempre alegaram não possuirem recursos.
    Licito esclarecer que vocês se dizem clubes discidenes pois somente vieram a se ligar a federação ao final de 2013, após o trabalho que a federação tinha posto de agregar todos os clubes para assim ter uma federação mais forte e vir a poder pleitear mais da Confederação.
    Licito esclarecer ainda que quando da formação da atual diretoria da Federação o Atual presidente convidou todos os clubes existentes no estado para integrarem a diretoria, porem todos se ausentaram e ninguém quis participar da diretoria pois alegavam que tinham muito a fazer e não poderiam auxiliar, ai não restou outra opção ao Candidato a Presidente montar uma chapa enxuta e trabalhar no que alcançasse, não conseguiu fazer muito, mas também não tinha apoio e nem recursos, assim como ocorrem em muitos clubes e federações, trouxe clinicas, onde nela participou os clubes não filiados, que interessante, esta é a federação que não olha para os demais clubes.
    Os integrantes da Liga, mais precisamente os discidentes, Dourados, Corumbá, Ponta Porã, e São Gabriel do Oeste, alegando o descontentamento queriam criar uma comissão para administrar a federação, porém sem dar ao presidente o direito a veto de suas atividades, sem assumir as responsabilidades, o que não foi aceito, e sendo-lhes proposto uma eleição antecipada, onde eles assumiriam formalmente a federação, porem eles teriam de promover todo o pleito de mudança de diretoria, porem acharam melhor, não o fazer, criar a liga, e reclamar do que tem sido feito.
    Quanto aos Clubes que tem surgido, é dever esclarecer que estes nunca procuraram a federação, onde esta somente teve o conhecimento de sua existência quando da divulgação da Liga, salvo a equipe de Itaporã, que por diversas vezes foi tentado contado, como Sr Antonio, para a realização de clinicas nos anos de 2011 e 2012, porem nunca conseguimos concluir, sempre com a informação de que lá tinham poucas pessoas e então tentávamos nova data.
    Então antes de formarem uma opinião do trabalho que a Federação de Rugby de Mato Grosso do Sul tem feito vamos analisar também a atitude dos que dela vem a pleitear, se merecem ser apoiados, e se tiveram ou não alguma forma de apoio, o que poderia ter sido feito com os recursos e disponibilidade.
    O que acontece é que temos alguns “Clubes”, que simplesmente querem se divertir e jogar sem as mínimas responsabilidades, e sem proporcionar as mínimas condições, o que não é aceito pela Federação, e não digo que não podem fazer isso, mas não em torneios chancelados por esta Federação, e em sendo ligados a esta entidade que respeita e aplica as diretrizes da Confederação
    Muitos não gostarão das palavras que falo, pois lhes tocarão o orgulho, respeito suas opiniões, e respeitem a minha e os trabalhos que foram realizados, na media e possibilidade, da FRMS, e seus integrantes.