O Rugby League se organizou no Brasil. A Brasil Rugby XIII nasceu no fim do ano passado, com a criação da equipe que disputou o Campeonato Latino-Americano de 2017. O país se tornou membro observador da RLIF – a Federação Internacional de Rugby League.

Sob a direção do mineiro Hugo Froes, de São Lourenço, a Brasil Rugby XIII planeja atividades para 2018, com o 1º Campeonato Brasileiro de Rugby League 9-a-side e a formação novamente da Seleção Brasileira estão planejados.

 

Brasileiro de 9s

- Continua depois da publicidade -

A proposta para o 1º Campeonato Brasileiro de Rugby League é que ele seja disputado na modalidade de nine-a-side, no Rio de Janeiro, nos dias 27 e 28 de outubro, com a data a ser confirmada. O torneio deverá ocorrer no Campo da UFRJ. A organização está propondo:

  • Torneio com até 6 equipes masculinas e 6 femininas;
  • Jogos no sábado. No domingo, a proposta é ser realizada uma partida na modalidade de 13 jogadores;
  • Cada equipe contando com 13 atletas: 9 para estarem em campo e 4 reservas;
  • A inscrição será R$325 (equipe) (R$25 por atleta) e cobrirá ambulância com equipe médica especializada, troféu para todas equipes, medalhas 1,2 e 3, aluguel de campo, arbitragem, fotografia e filmagem das finais. Inscrições pelo contato: brasilrugbyeleague@gmail.com;

 

Seleções Brasileiras Masculina e Feminina

A Brasil Rugby XIII já conta com treinador. É o samoano Manu Falanaipupu, que coordenará o projeto de contar em 2018 com seleções masculina e feminina, disputando partidas reconhecidas pela RLIF e pela recém formada Federação Latino-Americana de Rugby League, com apoio da Latin Heat, organização australiana focado no desenvolvimento do League latino-americano. 

Para os homens, a proposta é a realização de um novo Tri-Nations sul-americano, com Brasil, Argentina e Uruguai, ainda neste ano, com jogos válidos pelo Ranking Mundial. Atletas de destaque poderão ser convidados a defenderem a Seleção Latina na Copa do Mundo de Nações Emergentes, que a RLIF promoverá em novembro de 2018 na Austrália.

Para as mulheres, a proposta é formar uma primeira seleção com olhos para as Eliminatórias para a Copa do Mundo Feminina de 2021.

 

Capacitação no radar

A Brasil Rugby XIII pretende também organizar sua primeira clínica de capacitação de árbitros em julho, ainda a confirmar.

 

6 COMENTÁRIOS