O futuro do rugby está nas crianças e, mais precisamente, nas escolas. É com esta filosofia que o Rugby Samambaia dá mais um passo em busca da disseminação do nosso esporte em sua região. Através do programa Get Into Rugby, da IRB, o clube situado na periferia do Distrito Federal acaba de viabilizar um projeto que deverá levar o rugby para quase 40 mil crianças da cidade até os Jogos Olímpicos RIO 2016.

 

O Projeto Melina Rugby nas Escolas tem como objetivo a capacitação de professores da rede de ensino pública e privada da Samambaia/DF, para que o esporte seja incluído na grade de ensino das instituições participantes. Além dos cursos de capacitação, o projeto prevê a doação de Kits de Rugby aos colégios e a realização de festivais interescolares. Ao todo, mais de 30 colégios serão beneficiados com a promoção de 15 cursos de capacitação, cinco festivais e a certificação de aproximadamente 300 professores.

- Continua depois da publicidade -

 

Para validar o programa, o C.E. Rugby Samambaia realizou um ciclo-teste com três escolas, obtendo grandes resultados. Como exemplo, o Colégio CCI – uma das maiores referências de ensino da cidade – implementou o rugby do 4º ao 9º ano, além do Ensino Médio. Com isso, quase 1.500 crianças estão tendo seu primeiro contato com o esporte dentro de sala. Já a Escola Classe 501, colégio público da cidade, fechou uma parceria com foco na educação integral e, atualmente, conta com dois monitores do clube contratados para oferecer o esporte em três dias da semana, tanto no período matutino quanto vespertino.

 

De acordo com Cauan Felipe, presidente do clube, “o projeto visa fomentar o rugby infantil, especialmente entre crianças de 06 à 13 anos, pois é nesta fase que o individuo começa a ser formado e poderá enxergar o rugby uma alternativa para sua vida”. O objetivo do Projeto Melina é que as crianças possam ter seu primeiro contato com o rugby no colégio e, a partir daí, serem encaminhadas para as escolinhas e categorias de base do clube. “Queremos que o rugby seja uma das principais opções na vida desportiva da nossa comunidade, porém acreditamos que o único caminho para influenciar na cultura de uma sociedade é através da educação”, completa Cauan.

 

Foto: André Pedroso