O World Rugby, a federação internacional, aprovou que as sete Leis Experimentais testadas no último Campeonato Mundial M20 e na Copa das Nações seja estendidos para testes globais a partir do dia 1º de agosto no Hemisfério Norte e do dia 1º de janeiro de 2018 no Hemisfério Sul. A exceção é a Copa do Mundo Feminina de 2017, que não terá ainda as novas Leis Experimentais incorporadas, para não mudar o curso de preparação das seleções.

No entanto, os amistosos de novembro de 2017 já serão jogados com as Leis Experimentais, o que significa que os Tupis jogarão na Europa com as novas Leis. As competições em solo brasileiro, por outro lado, só adotarão os testes no ano que vem, de acordo com o calendário do World Rugby.

Essas leis experimentais se somarão às leis que já estão sendo testadas no momento.

 

  • O árbitro não fará sinal para a bola ser introduzida na scrum;
  • O scrum-half poderá alinhar seu ombro esquerdo na linha média do túnel do scrum, devendo ainda introduzir a bola de forma reta;
  • O oitavo poderá apanhar a bola a partir do pé do segunda linha no scrum;
  • O hooker deverá obrigatoriamente atacar a bola após a introdução da mesma no scrum;
  • O “tackleador”, o jogador “tackleado” e ao menos um jogador de pé e sobre a bola criam a linha de impedimento;
  • Nenhum jogador poderá chutar a bola para fora do ruck já formado, mas poderá tentar puxá-la com os pés para seu lado;
  • O jogador que aplica o tackle deverá se levantar antes de manusear a bola, podendo apanhar a bola somente do seu lado do túnel;
- Continua depois da publicidade -

Clique aqui para a explicação do World Rugby.