Foto: Six Nations Rugby

ARTIGO COM VIDEOS – Em Roma, a expectativa era grande para saber se Gales chegaria a 11 vitórias consecutivas, igualando seu recorde particular que vinha desde 1910. E também para saber se a Itália quebraria o jejum incômodo de 17 derrotas seguidas no Six Nations. E o desfecho foi de novo desapontamento para a torcida da casa, com derrota italiana. No entanto, sem que Gales brilhasse. O 26 x 15 para os galeses trouxe questionamentos pela falta do ponto bônus.

O jogo começou com Gales tendo total controle da posse de bola e do território, com Dan Biggar capitalizando em cima do momento. Foram 4 penais consecutivos somados pelos vermelhos, que foram conservadores e optaram por não tentarem o try. 

Na reta final da primeira etapa os italianos ganharam confiança, após o bom desempenho defensivo que vinha demonstrando. Braam Steyn foi determinando, roubando bolas importantes e, aos 33`, rompendo depois de 6 fases para o primeiro try dos jogo, que colocou os Azzurri na cola do marcador. Um penal perdido ainda poderia ter rendido resultado de intervalo melhor para os donos da casa, mas o 12 x 07 garantiu que o segundo tempo seria aberto.

E a Itália abriu a segunda etapa com Tommaso Allan convertendo penal para reduzir a diferença para 12 x 10. Mas por pouco tempo. A linha galesa finalmente funcionou e, aos 53`, Josh Adams finalizou bela jogada na ponta com o primeiro try dos visitantes.

- Continua depois da publicidade -

A expectativa, com isso, era de que Gales fosse para cima determinado a arrancar 4 tries. Mas não ocorreu. A Itália mostrou competência defensiva e o jogo se arrastou com placar inalterado até os 69`, quando Anscombe deu o toque criativo que faltava aos visitantes, chutando bola no in-goal para Owen Watkin mergulhar a anotar o try decisivo. 

No fim, os Azzuri ainda conseguiram uma boa ação de sua linha, com Allan dando passe longo na ponta para o try de Padovani, decretando o placar final de 26 x 15 para os galeses.

Na semana que vem o Six Nations tem uma pausa, retornando com Gales e Inglaterra no dia 23, enquanto a Itália recebe a Irlanda no dia 24.

 

15versus copiar26

Itália 15 x 26 Gales, em Roma

Árbitro: Mathieu Raynal (França)

Itália

Tries: Steyn e Padovani

Conversões: Allan (1)

Penais: Allan (1)

15 Jayden Hayward, 14 Edoardo Padovani, 13 Michele Campagnaro, 12 Luca Morisi, 11 Angelo Esposito, 10 Tommaso Allan, 9 Guglielmo Palazzani, 8 Sergio Parisse (c), 7 Abraham Steyn, 6 Sebastian Negri, 5 Dean Budd, 4 David Sisi, 3 Simone Ferrari, 2 Leonardo Ghiraldini, 1 Nicola Quaglio;

Suplentes: 16 Luca Bigi, 17 Cherif Traore’, 18 Tiziano Pasquali, 19 Federico Ruzza, 20 Marco Barbini, 21 Edoardo Gori, 22 Ian McKinley, 23 Tommaso Benvenuti;

Gales

Tries: Adams e Watkin

Conversões: Biggar (1) e Anscombe (1)

Penais: Biggar (4)

15 Liam Williams, 14 Jonah Holmes, 13 Jonathan Davies (c), 12 Owen Watkin, 11 Josh Adams, 10 Dan Biggar, 9 Aled Davies, 8 Josh Navidi, 7 Thomas Young, 6 Aaron Wainwright, 5 Adam Beard, 4 Jake Ball, 3 Samson Lee, 2 Elliot Dee, 1 Nicky Smith;

Suplentes: 16 Ryan Elias, 17 Wyn Jones, 18 Dillon Lewis, 19 Alun Wyn Jones, 20 Ross Moriarty, 21 Gareth Davies, 22 Gareth Anscombe, 23 Hallam Amos;

 

 SeleçãoJogosPontos
Inglaterra210
Gales28
Escócia25
Irlanda24
França21
Itália20
- Grand Slam = 3 pontos;
- Vitória = 4 pontos;
- Empate = 2 pontos;
- Derrota = 0 pontos;
- Anotar 4 ou mais tries = 1 ponto extra;
- Perder por diferença de 7 pontos ou menos = 1 ponto extra;