Não faltarão grandes jogos internacionais nesse fim de semana, repleto de clássicos entre as melhores seleções do mundo – masculinas e femininas.

O sábado contará com Inglaterra e All Blacks, Irlanda e Pumas, França e Springboks, Gales e Wallabies, Itália e Geórgia, Escócia e Fiji e muito mais, além é claro de Brasil contra Maori All Blacks, que ganhará artigo próprio na sexta-feira.

Entre as mulheres, os olhos estarão na sexta sobre França e Black Ferns e Inglaterra e EUA. Confira tudo!

 

- Continua depois da publicidade -

Inglaterra e All Blacks finalmente: era para ser o jogo do ano, mas…

  • Em 2016 e 2017 só se falava nisso: o confronto de 2018 entre Inglaterra e Nova Zelândia seria uma final de Copa do Mundo antecipada. No entanto, a Inglaterra afundou em 2018 e somente agora, com vitória sobre os Springboks, ensaia voltar aos bons momentos. Os All Blacks, por outro lado, seguem como os melhores do mundo. O jogo será de arrepiar, com os ingleses sedentos por provarem que estão de volta à lista de favoritos da Copa do Mundo de 2019;
  • O técnico neozelandês Steve Hansen não quer dar brechas para uma reação inglesa e vai com o que tem de melhor a Londres. Aaron Smith e Beauden Barrett serão a dupla de 9 e 10, com Sonny Bill Williams jogando ao lado do jovem ascendente Jack Goodhue nos centros. A aposta fica por conta de Damian McKenzie como fullback, deslocando Ben Smith para a ponta, com Rieko Ioane do outro lado;
  • Kieran Read lidera o pack como capitão ao lado de outra aposta importante, o asa Ardie Savea, que jogará com Liam Squire. É justamente na terceira linha que mora a preocupação atual dos All Blacks. Retallick e Whitelock formam a magnífica segunda linha, com Owen Franks, Codie Taylor e a sensação Karl Tu’inukuafe na frente;
  • Ben Moon é a resposta do técnico Eddie Jones na primeira linha inglesa, que terá um grande desafio nas formações contra os All Blacks. Moon jogará ao lado de Hartley e Sinckler. Itoje e Kruis fazem uma segunda linha de respeito, com Mark Wilson, Sam Underhill e Brad Shields tentando complicar a vida neozelandês no breakdown, mas igualmente tendo muito a se provarem. É teste contra teste e o setor não anima o torcedor inglês, que viu seu time dominado por vários times ao longo do ano na disputa da terceira linha;
  • Ben Youngs e Owen Farrell seguem como 9 e 10 sólidos, jogando com o trator Ben Te’o (tentando neutralizar SBW) e o criativo Henry Slade nos centros, ao passo que May e Ashton nas pontas são talvez o ponto alto do time, ganhando em capacidade de finalização. Elliot Daly com a 15 é certeza de perigo em chutes de longa distância. Ainda assim, não há dúvidas que o favoritismo é todo neozelandês na maior parte dos duelos;

 

Gales com tabu pela frente contra Austrália

  • Gales não vence a Austrália desde 2018! Já são 10 anos e 13 derrotas seguidas. Mas os galeses estão embalados por boa vitória sobre a Escócia, ao passo que os Wallabies fizeram um preocupante Rugby Championship;
  • Warren Gatland confirmou Anscombe como o abertura titular, deixando Dan Biggar no banco de Gales. Anscombe jogará ao lado do scrum-half Gareth Davies e municiará uma dupla de centros que tem tudo para ser titular, com Parkes ao lado de Jonathan Davies. North e Halfpenny estão no fundo, ao passo Moriarty, Tipuric e Lydiate foram os escolhidos para a terceira linha. O segunda linha Alun Wyn Jones é o capitão;
  • Pressionado, o técnico australiano Michael Cheika apostou em Dempsey jogando ao lado do capitão Michael Hooper e de Pocock na terceira linha australiana, teve problemas ao longo do ano. Genia e Foley serão o scrum-half e abertura e terão o potente Kerevi no centro  junto de Kurtley Beale. Israel Folau jogará na ponta, com a camisa 15 sendo de Haylett-Petty. Para a formação fixa, a volta de Tatafu Polota-Nau é positiva para os Wallabies;

 

Pumas desafiam a imbatível Irlanda

  • A Irlanda é o time a ser batido no momento na Europa e vai com tudo para o jogo em casa contra a Argentina. O time é quase força máxima, CJ Stander, Sean O’Brien e Peter O’Mahony formam um terror de terceira linha e Sexton retorna como abertura. Porém, a posição de scrum-half será de Marmion, que tenta cavar seu lugar com a lesão de Murray. O jovem Jordan Larmour brilhou no último sábado contra a Itália e ganhou a camisa 15. Bundee Aki e Henshaw serão a dupla de centros, onde não faltam talentos;
  • A segunda linha irlandesa também preocupa seus oponentes pela altura, com James Ryan e Iain Henderson. Para a batalha no setor, os Pumas escolheram Lavanini e Alemanno, enquanto Guido Petti foi transferido para a terceira linha, onde tentará dar força física ao trio com Matera (novo capitão) e Ortega Desio, de olho na batalha com o famoso breakdown verde;
  • Cubelli fará dupla com Nico Sánchez de 9 e 10, prometendo um duelo interessante com Marmion e Sexton. É jogo de exímios chutadores. Moyano, Delguy e Boffelli são as armas do fundo do campo sul-americano;

 

França contra Springboks: quem será competitivo em 2019?

  • A França fez um Six Nations com brio, mostrando que está se reerguendo, e não fez feio contra os All Blacks em junho. Já a África do Sul fez um ótimo Rugby Championship, mas começou novembro com derrota para a Inglaterra e precisa provar que está numa crescente. Jogo entre times que pensam alto para 2019, mas têm ainda bastante a provarem;
  • Picamoles retorna para os Bleus e lidera um pack forte, com os experientes Maestri e Guirado. Serin e Lopez farão dupla de 9 e 10, com a missão de finalmente criar uma parelha titular, ao passo que Médard retorna à camisa 15 em alta. Olhos para os centros Bastareaud e Doumayrou, que buscam estabilizar a defesa azul;
  • A base dos Springboks para o jogo em Paris é quase a mesma da derrota em Londres para a Inglaterra. Porém, mais forte, com a volta do scrum-half Faf De Klerk e do fullback Willie Le Roux;
  • O duelo no pack promete, com Whiteley, Vermeulen e Kolisi buscando dominar o breakdown contra Picamoles, Iturria e Lauret;

 

Itália e Geórgia: o jogo mais aguardado para muita gente

  • Discussão sem fim: a Itália deveria se rebaixada do Six Nations e dar lugar à Geórgia? Haverá uma resposta para isso nesse sábado, com o segundo jogo na história entre os dois países;
  • A Itália terá vantagem do mando de jogo, mas fez partida terrível contra a Irlanda na semana passada, jogando com um “expressinho”. Agora é força máxima contra a Geórgia;
  • Parisse será o capitão dos Azzurri que terão a pressão pela vitória. Tebaldi jogará com a 9 ao lado de Allan com a 10, deixando Canna na reserva. Polledri, aclamado, retorna à terceira linha, ao passo que o hooker Ghiraldini será o capitão. Campagnaro lidera a linha, que no papel é superior à linha georgiana;
  • A Geórgia precisará se impor nos avançados e terá um pack estrelado, com uma primeira linha formada por atletas do Super Rugby (Bregvadze, do Sunwolves) e Top 14 (Nariashvilli, do Montpellier, e Kubriashvili, do Grenoble), além do poderoso oitavo Giorgadze (do Bordeaux, também do Top 14). O desafio maior estará no fundo do campo dos Lelos;

 

Escócia, Fiji e muito mais…

Muitos jogos completam a jornada: Escócia e Fiji, Samoa e Estados Unidos, Tonga e Barbarians Franceses, Romênia e Portugal, Rússia e Namíbia, Chile e Sudamérica XV;

  • A Escócia receberá Fiji e terá muita cautela para não despencar no Ranking. Os escoceses fizeram um jogo fraco e perderam para Gales no sábado passado e agora têm a missão de impor seu jogo contra Fiji.
  • Os fijianos vão fortes com nomes como Radradra, Goneva, Mata, Yato e Nakarawa, mas costumam ter problemas nas formações.
  • A Escócia estará completa, celebrando os retornos de Stuart Hogg e Finn Russell para quebrar a apatia.
  • Samoa duelará em sede neutra, na Espanha, com os Estados Unidos, em jogo que os americanos terão time completo e mais forte do que o derrotado pelos Maori All Blacks semana passada.
  • Tonga medirá forças com os Barbarians Franceses, em Bordeaux. Os Barbarians Franceses são hoje oficialmente a segunda seleção da França.
  • A Rússia raramente joga em casa em novembro, mas promete ter bom público no Sul do país contra a Namíbia, em duelo parelho;
  • Romênia e Portugal fazem em jogo válido pela Repescagem para o Rugby Europe Championship (“Six Nations B”) de 2019. Vale lembrar que a Romênia foi jogada ao último lugar do torneio de 2018 por conta de escalação irregular de atletas e, no papel, é superior aos portugueses, campeões do Trophy (o “Six Nations C”). Para ser promovido Portugal terá que fazer o que nunca fez: vencer na Romênia.
  • Santiago será palco de jogo entre Chile e um selecionado sul-americanos, formado por argentinos, uruguaios e colombianos. A partida preparará os Cóndores para o confronto do dia 17 com os Maori All Blacks;
  • O Uruguai, por sua vez, joga na sexta contra o Ulster, do PRO14. Desafio para os uruguaios que não foram bem contra o Cardiff Blues;

No domingo, Canadá e Quênia, Alemanha e Hong Kong jogam pela Repescagem para a Copa do Mundo de 2019.

 

Jogaços femininos na sexta

O XV feminino é a grande atração na sexta, dia 9. A jornada terá dois grandes clássicos mundiais: Inglaterra e Estados Unidos, França e Nova Zelândia.

  • As americanas jogarão em Londres (no estádio do Saracens) e, depois de serem atropeladas pelas neozelandesas no sábado passado, têm preocupações pela frente, com a Inglaterra sendo sensivelmente superior.
  • Já a França receberá em Toulon a Nova Zelândia, no jogo mais aguardado do dia. As duas seleções não se enfrentam desde 2010 e desde então a França só cresceu, é a atual campeã europeia e promete jogar em igualdade com as Black Ferns campeãs do mundo. O jogo colocará em campo todas as candidatas a melhor jogadora do mundo em 2018.
  • No sábado, Gales é favorito contra a África do Sul e, no domingo, a Espanha recebe e é favorita contra Hong Kong.

 

Grande jogos

*Horários de Brasília

Sábado, dia 10 de novembro

versus copiar

12h00 – Itália x Geórgia, em Florença

Árbitro: Glen Jackson (Nova Zelândia)

Histórico: 1 jogo e 1 vitória da Itália, 31 x 22, em 2003 (amistoso);

Itália: 15 Luca Sperandio, 14 Tommaso Benvenuti, 13 Michele Campagnaro, 12 Tommaso Castello, 11 Mattia Bellini, 10 Tommaso Allan, 9 Tito Tebaldi, 8 Abraham Jurgens Steyn, 7 Jake Polledri, 6 Sebastian Negri, 5 Dean Budd, 4 Alessandro Zanni, 3 Simone Ferrari, 2 Leonardo Ghiraldini (c), 1 Andrea Lovotti;

Suplentes: 16 Luca Bigi, 17 Cherif Traore’, 18 Tiziano Pasquali, 19 Marco Fuser, 20 Johan Meyer, 21 Guglielmo Palazzani, 22 Carlo Canna, 23 Luca Morisi;

Geórgia: 15 Soso Matiashvili, 14 Giorgi Koshadze, 13 Merab Sharikadze (c), 12 Tamaz Mtchedlidze, 11 Zurab Dzneladze, 10 Lasha Khmaladze, 9 Vasil Lobzhanidze, 8 Beka Gorgadze, 7 Giorgi Tsutskiridze, 6 Otar Giorgadze, 5 Lasha Lomidze, 4 Nodar Tcheishvili, 3 Dudu Kubriashvili, 2 Jaba Bregvadze, 1 Mikheil Nariashvili;

Suplentes: 16 Shalva Mamukashvili, 17 Zurab Zhvania, 18 Levan Chilachava, 19 Shalva Sutiashvili, 20 Beka Bitsadze, 21 Gela Aprasidze, 22 Lasha Malaghuradze, 23 Giorgi Kveseladze;

 

versus copiar

12h30 – Escócia x Fiji, em Edimburgo

Árbitro: Andrew Brace (Irlanda)

Histórico: 7 jogos, 5 vitórias da Escócia e 2 vitórias de Fiji. Último jogo: Fiji 27 x 22 Escócia, em 2017 (amistoso);

Escócia: 15 Stuart Hogg, 14 Tommy Seymour, 13 Alex Dunbar, 12 Pete Horne, 10 Finn Russell, 9 Greig Laidlaw (c), 8 Matt Fagerson, 7 Jamie Ritchie, 6 Ryan Wilson, 5 Grant Gilchrist, 4 Sam Skinner, 3 Willem Nel, 2 Fraser Brown, 1 Allan Dell;

Suplentes: 16 Stuart McInally, 17 Alex Allan, 18 Simon Berghan, 19 Jonny Gray, 20 Josh Strauss, 21 George Horne, 22 Adam Hastings, 23 Chris Harris;

Fiji: 15 Setareki Tuicuvu, 14 Metui Talebula, 13 Semi Radradra, 12 Jale Vatabua, 11 Vereniki Goneva, 10 Ben Volavola, 9 Frank Lomani, 8 Viliame Mata, 7 Peceli Yato, 6 Dominiko Waqaniburotu (c), 5 Leone Nakarawa, 4 Tevita Cavubati, 3 Manasa Saulo, 2 Sam Matavesi, 1 Campese Maafu;

Suplentes: 16 Mesulame Dolokoto, 17 Eroni Mawi, 18 Kalivate Tawake, 19 Albert Tuisue, 20 Semi Kunatani, 21 Henry Seniloli, 22 Alivereti Veitokani, 23 Eroni Vasiteri;

 

versus copiar

13h00 – Inglaterra x Nova Zelândia, em Londres – ESPN2 AO VIVO

Árbitro: Jérôme Garcès (França)

Histórico: 40 jogos, 32 vitórias da Nova Zelândia, 7 vitórias da Inglaterra e 1 empate. Último jogo: Inglaterra 21 x 24 Nova Zelândia, em 2014 (amistoso);

Inglaterra: 15 Elliot Daly, 14 Chris Ashton, 13 Henry Slade, 12 Ben Te’o, 11 Jonny May, 10 Owen Farrell (cc), 9 Ben Youngs, 8 Mark Wilson, 7 Sam Underhill, 6 Brad Shields, 5 George Kruis, 4 Maro Itoje, 3 Kyle Sinckler, 2 Dylan Hartley (cc), 1 Ben Moon;

Suplentes: 16 Jamie George, 17 Alec Hepburn, 18 Harry Williams, 19 Charlie Ewels, 20 Courtney Lawes, 21 Danny Care, 22 George Ford, 23 Jack Nowell;

Nova Zelândia: 15 Damian McKenzie, 14 Ben Smith, 13 Jack Goodhue, 12 Sonny Bill Williams, 11 Rieko Ioane, 10 Beauden Barrett, 9 Aaron Smith, 8 Kieran Read (c), 7 Ardie Savea, 6 Liam Squire, 5 Brodie Retallick, 4 Samuel Whitelock, 3 Owen Franks, 2 Codie Taylor, 1 Karl Tu’inukuafe;

Suplentes: 16 Dane Coles, 17 Ofa Tuungafasi, 18 Nepo Laulala, 19 Scott Barrett, 20 Matt Todd, 21 TJ Perenara, 22 Richie Mo’unga, 23 Ryan Crotty;

 

versus copiar

15h20 – Gales x Austrália, em Cardiff

Árbitro: Ben O’Keefe (Nova Zelândia)

Histórico: 41 jogos, 30 vitórias da Austrália, 10 vitórias de Gales e 1 empate. Último jogo: Austrália 29 x 21 Gales, em 2017 (amistoso);

Gales: 15 Leigh Halfpenny, 14 George North, 13 Jonathan Davies, 12 Hadleigh Parkes, 11 Josh Adams, 10 Gareth Anscombe, 9 Gareth Davies, 8 Ross Moriarty, 7 Justin Tipuric, 6 Dan Lydiate, 5 Alun Wyn Jones (c), 4 Adam Beard, 3 Tomas Francis, 2 Ken Owens, 1 Nicky Smith;

Suplentes: 16 Elliot Dee, 17 Rob Evans, 18 Dillon Lewis, 19 Cory Hill, 20 Ellis Jenkins, 21 Tomos Williams, 22 Dan Biggar, 23 Liam Williams;

Austrália: 15 Dane Haylett-Petty, 14 Israel Folau, 13 Samu Kerevi, 12 Kurtley Beale, 11 Sefa Naivalu, 10 Bernard Foley, 9 Will Genia, 8 David Pocock, 7 Michael Hooper (c), 6 Jack Dempsey, 5 Adam Coleman, 4 Izack Rodda, 3 Allan Alaalatoa, 2 Tolu Latu, 1 Scott Sio;

Suplentes: 16 Tatafu Polota-Nau, 17 Sekope Kepu, 18 Taniela Tupou, 19 Rob Simmons, 20 Ned Hanigan, 21 Nick Phipps, 22 Matt To’omua, 23 Jack Maddocks;

 

versus copiar

16h30 – Irlanda x Argentina, em Dublin – ESPN2 AO VIVO

Árbitro: Nic Berry (Austrália)

Histórico: 17 jogos, 11 vitórias da Irlanda e 6 vitórias da Argentina. Último jogo: Irlanda 28 x 19 Argentina, em 2017 (amistoso);

Irlanda: 15 Jordan Larmour, 14 Keith Earls, 13 Robbie Henshaw, 12 Bundee Aki, 11 Jacob Stockdale, 10 Jonathan Sexton, 9 Kieran Marmion, 8 CJ Stander, 7 Sean O’Brien, 6 Peter O’Mahony, 5 James Ryan, 4 Iain Henderson, 3 Tadhg Furlong, 2 Rory Best (c), 1 Cian Healy;

Suplentes: 16 Sean Cronin, 17 Jack McGrath, 18 Andrew Porter, 19 Devin Toner, 20 Dan Leavy, 21 Luke McGrath, 22 Joey Carbery, 23 Andrew Conway;

Argentina: 15 Emiliano Boffelli, 14 Bautista Delguy, 13 Matias Orlando, 12 Jeronimo de la Fuente, 11 Ramiro Moyano, 10 Nicholas Sanchez, 9 Tomas Cubelli, 8 Javier Ortega Desio, 7 Guido Petti, 6 Pablo Matera (c), 5 Tomas Lavanini, 4 Matias Alemanno, 3 Santiago Medrano, 2 Agustin Creevy, 1 Santiago Garcia Botta;

Suplentes: 16 Julian Montoya, 17 Juan Pablo Zeiss, 18 Lucio Sordoni, 19 Rodrgo Bruni, 20 Thomas Lezana, 21 Gonzalo Bertranou, 22 Joaquin Diaz Bonilla, 23 Matias Moroni;

 

versus copiar

18h05 – França x África do Sul, em Paris – TV5 Monde AO VIVO

Árbitro: Nigel Owens (Gales)

Histórico: 43 jogos, 26 vitórias da África do Sul, 11 vitórias da França e 6 empate. Último jogo: França 17 x 18 África do Sul, em 2017 (amistoso);

França: 15 Maxime Medard, 14 Teddy Thomas, 13 Mathieu Bastareaud, 12 Geoffrey Doumayrou, 11 Damian Penaud, 10 Camille Lopez, 9 Baptiste Serin, 8 Louis Picamoles, 7 Arthur Iturria, 6 Wenceslas Lauret, 5 Yoann Maestri, 4 Sebastien Vahaamahina, 3 Cedate Gomes Sa, 2 Guilhem Guirado (c), 1 Jefferson Poirot;

Suplentes: 16 Camille Chat, 17 Dany Priso, 18 Rabah Slimani, 19 Paul Gabrillagues, 20 Mathieu Babillot, 21 Antoine Dupont, 22 Anthony Belleau, 23 Gael Fickou;

África do Sul: 15 Willie le Roux 14 S’bu Nkosi, 13 Jesse Kriel, 12 Damian de Allende, 11 Aphiwe Dyantyi, 10 Handré Pollard, 9 Faf de Klerk, 8 Warren Whiteley, 7 Duane Vermeulen, 6 Siya Kolisi (c), 5 Franco Mostert, 4 Pieter-Steph du Toit, 3 Frans Malherbe, 2 Malcolm Marx, 1 Steven Kitshoff;

Suplentes: 16 Bongi Mbonambi, 17 Thomas du Toit, 18 Vincent Koch, 19 RG Snyman, 20 Francois Louw, 21 Embrose Papier, 22 Elton Jantjies, 23 Cheslin Kolbe;

 

versus copiar

19h00 – Brasil x Maori All Blacks, em São Paulo – SporTV2 AO VIVO

Árbitro: Federico Anselmi (Argentina)

Histórico: nunca se enfrentaram;

Brasil: 15 Daniel Sancery, 14 Lucas “Zé” Tranquez, 13 Felipe Sancery (c), 12 Moisés Duque, 11 Robert Tenório, 10 Josh Reeves, 9 Lucas “Tanque” Duque, 8 André “Buda” Arruda, 7 Devon Muller, 6 Arthur Bergo, 5 Cléber “Gelado” Dias, 4 Luiz “Monstro” Vieira, 3 Jardel Vettorato, 2 Wilton Murilo “Nelson” Rebolo, 1 Lucas Abud;

Suplentes: 16 Caique Segura, 17 Endy Willian Pinheiro, 18 Matheus “Blade” Rocha, 19 Matteo Dell’Acqua, 20 Michael “Ilha” Oliveira, 21 Douglas Rauth, 22 Jacobus De Wet Van Niekerk, 23 Stefano Giantorno;

Maori All Blacks: 15 Matty Lansdown, 14 Jonah Lowe, 13 Rob Thompson, 12 Teihorangi Walden, 11 Shaun Stevenson, 10 Otere Black, 9 Jonathan Ruru, 8 Akira Ioane, 7 Billy Harmon, 6 Reed Prinsep, 5 Pari Pari Parkinson, 4 Isaia Walker-Leawere, 3 Marcel Renata, 2 Ash Dixon (c), 1 Ben May;

Suplentes: 16 Robbie Abel, 17 Chris Eves, 18 Tyrel Lomax, 19 Jackson Hemopo, 20 Mitch Karpik, 21 Bryn Hall, 22 Josh Ioane, 23 Matt Proctor;

 

Mais partidas

Sexta-feira, dia 09 de novembro

Ulster copy copyversus copiar

16h30 – Ulster x Uruguai, em Belfast

 

Sábado, dia 10 de novembro

versus copiarnamibia logo copy copy

09h00 – Rússia x Namíbia, em Krasnodar

Árbitro: Rasta Rasivhenge (África do Sul)

Histórico: 5 jogos, 3 vitórias da Rússia e 2 vitórias da Namíbia. Último jogo: Rússia 31 x 10 Namíbia, em 2017 (Copa das Nações);

 

versus copiar

10h00 – Romênia x Portugal, em Baia Mare – Repescagem para o Rugby Europe Championship 2019

Árbitro: Ian Tempest (Inglaterra)

Histórico: 23 jogos, 20 vitórias da Romênia e 3 vitórias de Portugal. Último jogo: Romênia 39 x 14 Portugal, em 2016 (Rugby Europe Championship);

 

versus copiar

13h00 – Barbarians Franceses x Tonga, em Bordeaux

Árbitro: Dan Jones (Gales)

 

versus copiar

15h30 – Estados Unidos x Samoa, em San Sebastián (Espanha)

Árbitro: Alexandre Ruiz (França)

Histórico: 5 jogos e 5 vitórias de Samoa. Último jogo: Samoa 25 x 16 Estados Unidos, em 2015 (Copa do Mundo);

 

versus copiar

17h00 – Chile x Sudamérica XV, em Santiago

 

Eliminatórias para a Copa do Mundo

Domingo, dia 11 de novembro

versus copiar

10h00 – Canadá x Quênia, em Marselha (França) – World Rugby TV AO VIVO

Árbitro: Wayne Barnes (Inglaterra)

Histórico: nunca se enfrentaram;

 

hong kong rfu logoversus copiar

13h00 – Hong Kong x Alemanha, em Marselha (França) – World Rugby TV AO VIVO

Árbitro: Pascal Gaüzère (França)

Histórico: 2 jogos e 2 vitórias da Alemanha. Último jogo: Alemanha 34 x 13 Hong Kong, em 2010 (amistoso);

 

Amistosos feminino

Sexta-feira, dia 09 de novembro

versus copiar

17h45 – Inglaterra x Estados Unidos, em Londres

Histórico: 16 jogos, 15 vitórias da Inglaterra e 1 vitória dos Estados Unidos. Último jogo: Inglaterra 47 x 26 Estados Unidos, em 2017 (Copa do Mundo Feminina);

 

versus copiar

18h00 – França x Nova Zelândia, em Toulon

Histórico: 4 jogos e 4 vitórias da Nova Zelândia. Último jogo: Nova Zelândia 45 x 07 França, em 2010 (Copa do Mundo Feminina);

 

Sábado, dia 10 de novembro

versus copiar

09h30 – Gales x África do Sul, em Cardiff

Histórico: 6 jogos, 4 vitórias de Gales e 2 vitórias da África do Sul. Último jogo: Gales 35 x 03 África do Sul, em 2014 (Copa do Mundo Feminina);

 

Domingo, dia 11 de novembro

versus copiarhong kong rfu logo

08h30 – Espanha x Hong Kong, em Villajoyosa

Histórico: 3 jogos e 3 vitórias da Espanha. Último jogo: Espanha 31 x 07 Hong Kong, em 2017 (Copa do Mundo Feminina);