ARTIGO COM VÍDEO – Depois de duas semanas de pausa, o Six Nations Feminino voltou à todo vapor! As seis grandes seleções entraram em campo e, nesta terceira rodada, a evolução das algumas e o declínio de outras foi evidente. Ao contrário da rodada passada que os pontos bônus pela diferença de 4 ou mais tries apareceram mais vezes, nesta, mais modesta, só a Inglaterra conquistou o feito.

 

Escócia supera jejum de 7 anos sem vitória!
A Escócia de 2017 é superior a cada jogo! Mesmo que tenha encontrado grandes dificuldades e uma grande derrota contra a França na última rodada, chegou no Torneio das Seis Nações com um placar apertado contra a atual líder, Irlanda e com vontade de sair do jejum de 7 anos. A paciência no jogo e persistência até os minutos finais da partida abriram caminho para a vitória tão esperada.

 

- Continua depois da publicidade -

Escócia e Gales prometiam uma partida bem equilibrada. No entanto, o placar aberto pelas galesas aos 20′ com um try de maul apoiado por Phillips e convertido por Snowsill e, depois, reforçado aos 35′, quando ganharam um scrum na linha dos 5m, mostrava a dificuldade escocesa mesmo que estivesse com posse de bola em grande parte do primeiro tempo. A mudança começaria aos 41′, quando Lisa Thomson finalmente marcou o try das azuis deixando para a half-scrum, Sarah Law, converter. Fim de primeiro tempo, 14 x 07.

 

No retorno, a demanda pelas substituições foi maior pelo cansaço de defesa e, depois, de ataque com a recuperação da posse de bola, mas ainda assim, o try que encostaria o placar das escocesas nas galesas foi feito pela ponta e titular Rhona Lloyd, aos 61′, depois da bola chegar ao final da linha de ataque. O que parecia já estar ganho em um acirrado 14 x 12 para o País de Gales, se tornou derrota aos 78′, com Sarah Law marcando o penal e finalizando a partida em 15 x 14, superando os 7 anos sem vitórias no Torneio das Seis Nações.

escocia logo15versus copiar14gales
Escócia 15 x 14 Gales, Cumbernauld

 
Escócia

Tries: Thomson, Lloyd

Conversão: Law

Penal: Law (1)

15 Chloe Rollie, 14 Megan Gaffney, 13 Lisa Thomson, 12 Lisa Martin (c), 11 Rhona Lloyd, 10 Helen Nelson, 9 Sarah Law; 1 Tracey Balmer, 2 Lana Skeldon, 3 Lindsey Smith, 4 Emma Wassell, 5 Deborah McCormack, 6 Jemma Forsyth, 7 Louise McMillan, 8 Jade Konkel;

Suplentes: 16 Lucy Park, 17 Heather Lockhart, 18 Katie Dougan, 19 Sarah Bonar, 20 Lyndsay O’Donnell, 21 Jenny Maxwell, 22 Eilidh Sinclair, 23 Lauren Harris;

 

Gales:

Tries: Phillips

Conversões: Snowsill (2)

15 Dyddgu Hywel, 14 Jasmine Joyce, 13 Kerin Lake, 12 Rebecca de Filippo, 11 Elen Evans, 10 Elinor Snowsill, 9 Rhiannon Parker, 1 Cerys Hale, 2 Carys Phillips (c), 3 Amy Evans, 4 Rebecca Rowe, 5 Mel Clay, 6 Alisha Butchers, 7 Rachel Taylor, 8 Sioned Harries;

Suplentes: 16 Lowri Harries, 17 Gwenllian Pyrs, 18 Caryl Thomas, 19 Siwan Lillicrap, 20 Nia Elen Davies, 21 Sian Moore, 22 Robyn Wilkins, 23 Gemma Rowland;

 
Em jogo acalorado, Irlanda supera França e se mantém no topo da tabela
A França já passou por duas derrotas e a dificilmente repetirá o feito de campeã como fez em 2016 – também abrindo espaço para sérias reflexões antes da Copa do Mundo, já que a esperança era de disputar o título com a rival, Inglaterra. A Irlanda, vem vencendo as partidas, talvez não com placares tão elásticos como a Inglaterra, mas fazendo seu trabalho.

 
O primeiro tempo foi digno da partida que se esperava e só acabou em 03 x 00 para a Irlanda porque Stapleton acertou o penal aos 12′. Aos 38′, a irlandesa Fitzpatrick, ao levar o cartão amarelo, deu esperanças para a as francesas conquistarem o try antes do fim do primeiro tempo. A chegada francesa ao in-goal só aconteceu no início do segundo, aos 43′ com a scrum-half Le Pesq conseguindo a bola no ruck e Ladagnous alcançando velocidade pelas pontas, Tremouliere converteu e deixou o placar em 07 x 03. Aos 50′, as verdes chegaram ao in-goal com um maul e Lyons apoiou com Stapleton convertendo, 10 x 07.

 
Os tries da partida chegavam ao fim e os penais que decidiram a sequência dos pontos. Aos 63′, Stapleton, de novo, acertou e deixou em 13 x 07. Nos 66′, Tremouliere ainda marcou a penalidade para as francesas, no entanto, sem outros pontos, o jogo chegou ao fim com vitória das verdes por 13 x 10.

irlanda logo novo(1)13versus copiar10França vermelho

Irlanda 13 x 10 França, em Dublin

 

Irlanda

Try: Lyons

Conversão: Stapleton

Penais: Stapleton (2)

1 Lindsay Peat, 2 Leah Lyons, 3 Ailis Egan, 4 Sophie Spence, 5 Marie-Louise Reilly, 6 Ciara Griffin, 7 Claire Molloy, 8 Paula Fitzpatrick (c), 9 Mary Healy, 10 Nora Stapleton, 11 Eimear Considine, 12 Claire Mc Laughlin, 13 Jenny Murphy, 14 Kim Flood, 15 Mairead Coyne;

Suplentes: 16 Ciara O Connor, 17 Ilse Van Staden, 18 Ruth O’Reilly, 19 Ciara Cooney, 20 Nichola Fryday, 21 Larissa Muldoon, 22 Nikki Caughey, 23 Louise Galvin;

 

França

Try: Ladagnous
Conversão: Tremouliere
Penal:Tremouliere

15 Trémoulière, 14 Grassineau, 13 Ladagnous, 12 Poublan, 11 Izar , 10 Cabalou, 9 Le Pesq, 8 N’Diaye, 7 Menager, 6 Mayans, 5 Forlani, 4 Corson, 3 Duval, 2 Mignot, 1 Arricastre;

Suplentes: 16 Thomas, 17 Deshayes, 18 Ferer, 19 Grand, 20 Rivoalen, 21 Godiveau, 22 M. Ménager, 23 Carricaburu;

 
Itália abre o placar mas Inglaterra leva a melhor
Embora a Itália esteja no difícil último lugar e esteja com grandes chances de ficar com a colher de pau, na partida contra a Inglaterra, se os espectadores esperavam um placar elástico e merecedor do título “de levada” se enganaram. Na capital inglesa, quem abriu o placar foram as Azzuri logo nos 03′, depois de uma bola que chegou nas mãos de Sofia Stefan.
 
A resposta das Red Roses chegou aos 14′, depois de Scarratt acertar o passe no alvo certeiro e Kay Wilson cruzar o in-goal. Wilson-Hardy, a estrela das partidas inglesas, não ficou da linha do try, marcando aos 17′. Nos 25′, nos 31′ e 44′ não teve jeito, as atuais campeãs do mundo se sobrepuseram na força e a hooker Vicky Fleetwood anotou três tries de maul.
 
As Azzurre buscavam o ponto bônus pela diferença de sete ou menos pontos, com a velocidade de Furlan aos 55′, que deixou a bola sobrar, num belo lance, para Barattin, 29 x 10. Sem mais pontos para a Inglaterra, a Itália tentava ainda aproximar o placar que acabou em 29 x 15 com o último try da veloz Furlan.

rfu-logo(1)29versus copiar15italia copy copy

Inglaterra 29 x 15 Itália, em Londres

 
Inglaterra

Tries: Fleetwood (3), Wilson, Wilson-Hardy
Conversões: Scarratt (2)

15 Sarah McKenna, 14 Amy Wilson Hardy, 13 Emily Scarratt, 12 Rachael Burford, 11 Kay Wilson, 10 Emily Scott, 9 La Toya Mason, 1 Justine Lucas, 2 Vicky Fleetwood, 3 Laura Keates, 4 Harriet Millar-Mills, 5 Tamara Taylor, 6 Alex Matthews, 7 Marlie Packer , 8 Sarah Hunter (c);

Suplentes: 16 Amy Cokayne, 17 Rochelle Clark, 18 Sarah Bern, 19 Poppy Cleall, 20 Izzy Noel-Smith, 21 Natasha Hunt, 22 Katy Mclean, 23 Amber Reed;

 

Itália:

Tries: Barattin, Furlan, Stefan

15 Manuela Furlan, 14 Sofia Stefan, 13 Michela Sillari, 12 Paola Zangirolami, 11 Maria Magatti, 10 Beatrice Rigoni, 9 Sara Barattin (c) 8 Elisa Giordano, 7 Isabellla Locatelli, 6 Lucia Cammarano, 5 Alice Trevisan, 4 Elisa Pillotti, 3 Lucia Gai, 2 Melissa Bettoni, 1 Marta Ferrari;

Suplentes:16 Elisa Cucchiella, 17 Gaia Giacomoli, 18 Valentina Ruzza, 19 Michela Este, 20 Valeria Fedrighi, 21 Ilaria Arrighetti, 22 Veronica Madia, 23 Elisa Bonaldo;

 

SeleçãoJogosPontos
Inglaterra527
Irlanda518
França516
Escócia59
Gales56
Itália51
- Grand Slam = 3 pontos;
- Vitória = 4 pontos;
- Empate = 2 pontos;
- Derrota = 0 pontos;
- Anotar 4 ou mais tries = 1 ponto extra;
- Perder por diferença de 7 pontos ou menos = 1 ponto extra;

 
Foto retirada de: RBS 6 Nations