Inglaterra venceu tanto no feminino como no masculino os Barbarians. Foto: RFU

ARTIGO COM VÍDEOS – Como é tradição, no domingo seguinte à final da Premiership, o estádio de Twickenham, em Londres, foi palco para o duelo anual entre Barbarians – o famoso time que forma verdadeiras seleções mundiais para jogos festivos – e a seleção da Inglaterra. Neste ano, o time masculino da Inglaterra teve como foco dar experiência a novos atletas, ao passo que a grande novidade do evento foi a realização de um jogo feminino entre a seleção principal da Inglaterra e as Barbarians. Foram 17 mil pessoas para assistirem ao jogo feminino e 40 mil para o jogo masculino.

O jogo feminino mostrou a diferença entre um selecionado profissional e um combinado ainda de jovem existência. As inglesas não tiveram problemas para se imporem com um 40 x 14, mesmo com atletas de renome estando do lados das Barbarians, como as veteranos inglesas, Clark e Waterman, e neozelandesas, Itunu e Fa’amausili, por exemplo. As Red Roses prevaleceram sobretudo no jogo de contato e tiveram a hooker Lark Davies completando um hat-trick (3 tries). Ícone das Black Ferns, Fa’amausili se despediu do rugby internacional marcando seu try pelas Barbarians.

- Continua depois da publicidade -

Já entre os homens a partida foi eletrizante do início ao fim, como prega a tradição dos Barbarians, de jogos ofensivos e abertos, pensados no espectador e na diversão. Os Barbarians, recheados de estrelas, fizeram 7 tries, contra 6 dos ingleses, mas perderam por conta de mais 3 penais que o abertura Marcus Smith chutou – em um total de 26 pontos individuais para ele.

Entre os destaques mais inusitados do jogo esteve uma jogada ao estilo NFL dos Barbarians:

 

14versus copiar40

Barbarians 14 x 40 Inglaterra, em Londres – Feminino

Barbarians

Tries: Wood e Fa’amausili

Conversões: Snowsill (2)

15 Danielle Waterman (Inglaterra), 14 Jasmine Joyce (Gales), 13 Emily Wood (Inglaterra), 12 Sene Naoupu (Irlanda), 11 Tova Derk (Inglaterra*), 10 Elinor Snowsill (Gales), 9 Kristina Sue (Nova Zelândia), 8 Linda Itunu (Nova Zelândia) (c), 7 Claire Molloy (Irlanda), 6 Justine Lavea (Nova Zelândia), 5 Dalena Dennison (Austrália), 4 Carmen Farmer (EUA), 3 Steph Te Ohaere-Fox (Nova Zelândia), 2 Fia’o Fa’amausili (Nova Zelândia), 1 Rochelle Clark (Inglaterra);

Suplentes: 16 Heather Kerr, (Inglaterra) 17 Laura Keates (Inglaterra), 18 Gaëlle Mignot (França), 19 Tamara Taylor (Inglaterra), 20 Georgina Gulliver (Inglaterra), 21 Hannah Casey (Irlanda), 22 Cari Large (Inglaterra), 23 Kayla Ahki (Nova Zelândia*);

Inglaterra

Tries: Davies 3, Botterman, Cleall e Smith

Conversões: Harrison (4) e Reed (1)

15 Sarah McKenna, 14 Lydia Thompson, 13 Lagi Tuima, 12 Amber Reed, 11 Kelly Smith, 10 Zoe Harrison, 9 Leanne Riley, 8 Sarah Hunter (c), 7 Jo Brown, 6 Poppy Cleall, 5 Abbie Scott, 4 Zoe Aldcroft, 3 Sarah Bern, 2 Lark Davies. 1 Hannah Botterman;

Suplentes: 16 Clara Nielson, 17 Ellena Perry, 18 Chloe Edwards, 19 Rosie Galligan, 20 Rowena Burnfield, 21 Natasha Hunt, 22 Tatyana Heard, 23 Carys Williams;

 

43versus copiar51

Barbarians 43 x 51 Inglaterra XV, em Londres – Masculino

Barbarians

Tries: Atkinson (2), Horwill, Lowe, Williams, Heffernan e Naiyaravoro

Conversões: Slade (3) e James (1)

15 Charles Piutau (Nova Zelândia), 14 Niyi Adeolokun (Irlanda), 13 Malakai Fekitoa (Nova Zelândia), 12 Mark Atkinson (Inglaterra*), 11 Taqele Naiyaravoro (Austrália), 10 Colin Slade (Nova Zelândia), 9 Rhys Webb (Gales), 8 Viliame Mata (Fiji), 7 François Louw (África do Sul), 6 Steven Luatua (Nova Zelândia), 5 Chris Vui (Samoa), 4 James Horwill (Austrália) (c), 3 John Afoa (Nova Zelândia), 2 Richard Hibbard (Gales), 1 Joe Marler (Inglaterra);

Suplentes: 16 David Heffernan (Irlanda), 17 Piere Schoeman (África do Sul8*), 18 Finlay Bealham (Irlanda), 19 Facundo Isa (Argentina), 20 Liam Messam (Nova Zelândia), 21 Rhodri Williams (Gales), 22 Brock James (Austrália*), 23 Filipo Nakosi (Fiji*);

Inglaterra XV

Tries: Dombrandt (2), Bassett, Hammersley, Smith e Williams

Conversões: Smith (6)

Penais: Smith (3)

15 Simon Hammersley, 14 Piers O’Conor, 13 Joe Marchant, 12 Johnny Williams, 11 Josh Bassett, 10 Marcus Smith, 9 Alex Mitchell, 8 Teimana Harrison, 7 Ben Curry, 6 Alex Dombrandt, 5 Josh Beaumont (c), 4 Elliott Stooke, 3 Ehren Painter, 2 Tom Dunn, 1 Ross Harrison;

Suplentes: 16 Tommy Taylor, 17 Beno Obano, 18 Paul Hill, 19 Will Spencer, 20 Tom Ellis, 21 Ben White, 22 Callum Sheedy, 23 Ben Loader;

 

Filipinas vence a 2ª divisão asiática

O fim de semana ainda teve em Taiwan as decisões da 2ª divisão do Campeonato Asiático e quem levou a melhor foram as Filipinas, que derrotaram Singapura na decisão do título por duros 29 x 21, valendo-se de um time recheado de atletas nascidos fora do país. Já na decisão do rebaixamento o time da casa só teve a lamentar, perdendo por avassaladores 72 x 17 para o Sri Lanka.

 

Asia Rugby Championship – Division 1 – em Taipé, Taiwan

Sri Lanka 72 x 17 Taiwan – Decisão de 3º lugar

Filipinas 29 x 21 Singapura – Final

 

Finlândia encerra Conference 2

Na Europa, um último jogo fechou as disputas da Rugby Europe Conference 2, a 4ª divisão da Rugby Europe (5ª divisão europeia, contando-se o Six Nations). A Finlândia fechou o Grupo Norte com o vice campeonato ao fazer em casa 34 x 22 sobre a Noruega, em duelo nórdico.

Agora a Rugby Europe terá apenas pela frente os jogos de repescagens.

 

rugby europe

Rugby Europe Conference 2 – 4ª divisão da Rugby Europe / 5ª divisão da Europa

Grupo Norte

Finlândia 34 x 22 Noruega, em Helsinque

 SeleçãoJogosPontos
Letõnia418
Finlândia412
Dinamarca411
Noruega44
Áustria43