Foto: All Blacks

Decisão de título no Rugby Championship! Nesse sábado a grande competição do Hemisfério Sul terá simplesmente 2 jogos decisivos rolando em águas do Atlânticos pela penúltima rodada. Primeiro, em Port Elizabeth, a África do Sul receberá a Austrália, que vive em crise, e terá a obrigação de vencer para seguir com chances de título. Depois, de noite, a Argentina, em alta, receberá a Nova Zelândia, que poderá erguer a taça de forma antecipada se vencer os argentinos.

 

Springboks querem decolar contra os Wallabies

Depois de uma épica vitória sobre os All Blacks, os Springboks voltarão a campo nesse sábado jogando em casa contra os Wallabies, que perderam na Austrália para os argentinos e chegam em crise.

- Continua depois da publicidade -

A África do Sul jogará as suas chances de título nesse jogo, já que uma derrota sul-africana significará título antecipado para os All Blacks. O técnico Rassie Erasmus fez 4 trocas em seu elenco, com Cheslin Kolbe entrando na ponta e com dupla de centros modificada por conta de lesões de Am e De Allende, que deram lugar a Jesse Kriel e Andre Esterhuizen. No pack, a novidade é o oitavo ikhumbuzo Notshe, no posto do lesionado Whiteley, que fará falta na batalha do breakdown.

A Austrália, por sua vez, não terá Michael Hooper (lesionado) na terceira linha, mas terá a volta de David Pocock e de Ned Hanigan. A situação dos Wallabies no setor é delicada sem nenhum reserva. Na segunda linha, Adam Coleman é o retorno. Michael Cheika manteve sua linha inalterada, o que significa que com a bola em mãos – sem erros de tomada de decisão – os australianos podem levar problemas aos sul-africanos. Porém, nos homens de frente a vantagem é dos Boks, em especial por conta de suas peças de reposição no banco. Para os Wallabies, o jogo de contato só é interessante nos scrums, pela força que o time vem demonstrando na formação fixa e com a entrada de Taniela Tupou, a quarta novidade no time titular. Mas mesmo assim os Boks pode ter confiança.

No papel, o momento é da África do Sul. É o jogo que os comandados de Erasmus precisam para ser firmarem como uma potência renascida. E, do lado australiano, a corda bamba está balançando e a hora de reagir já está passando.

 

Pumas tenta fazer história impedindo título dos All Blacks

Buenos Aires irá ferver na noite de sábado com os Pumas, em alta após vitória sobre os Wallabies, buscando sua primeira vitória na história sobre os All Blacks. Porém, os holofotes estarão mesmo sobre os neozelandeses, que precisarão de simples vitória para serem campeões de forma antecipada – caso não entrem em campo já campeões (o que pode ocorrer se os Wallabies tiverem vencido os Springboks mais cedo).

Os Pumas terão somente 2 novidades em seu time titular: Ramiro Herrera volta a ser o pilar e Bautista Ezcurra entra na ponta (na vaga do lesionado Ramiro Moyano).

Já os All Blacks efetuaram muitas trocas em seu time titular. Ofa Tuungafasi entra na primeira linha, ao passo que a terceira linha terá duas novidades, com as entradas de Luke Whitelock de oitavo e Shannon Frizell de asa, com Kieran Read ficando de fora. Atrás, Beauden Barrett foi assegurado como abertura, mas o camisa 9 será TJ Perenara, deixando Aaron Smith no banco. Sonny Bill Williams estará de volta ao centro atuando com Ryan Crotty, ao passo que Waikale Naholo jogará na ponta movendo Ben Smith de volta para fullback.

O fato do técnico Steve Hansen manter Beauden Barrett no time principal é a chancela de que de fato o camisa 10 não deve ser entendido como o nome da derrota para os Boks. Porém, as trocas na terceira linha, no fullback e no scrum-half revelam que Hansen busca caminhos alternativos para devolver o melhor rendimento a seu time, explorando a profundidade do grupo.

Por sua vez, na Argentina, a confiança de Mario Ledesma em seu time está clara com a confirmação da base do grupo vencedor contra os Wallabies. Qualquer chance de vitória dos Pumas passa por um jogo perfeito. Será que ocorrerá? A última vez que a Nova Zelândia perdeu 2 jogos seguidos foi em 2011…

 

*Horários de Brasília

Sábado, dia 29 de setembro

versus copiar

12h00 – África do Sul x Austrália, em Porto Elizabeth – ESPN Extra/Watch ESPN AO VIVO

Árbitro: Jérôme Garcès (França)

Histórico: 86 jogos, 46 vitórias da África do Sul, 37 vitórias da Austrália e 3 empates. Último jogo: Austrália 23 x 18 África do Sul, em 2018 (The Rugby Championship);

África do Sul: 15 Willie le Roux, 14 Cheslin Kolbe, 13 Jesse Kriel, 12 André Esterhuizen, 11 Aphiwe Dyantyi, 10 Handré Pollard, 9 Faf de Klerk, 8 Sikhumbuzo Notshe, 7 Pieter-Steph du Toit, 6 Siya Kolisi (c), 5 Franco Mostert, 4 Eben Etzebeth, 3 Frans Malherbe, 2 Malcolm Marx, 1 Tendai Mtawarira;

Suplentes: 16 Bongi Mbonambi, 17 Steven Kitshoff, 18 Wilco Louw, 19 RG Snyman, 20 Marco van Staden, 21 Embrose Papier, 22 Elton Jantjies, 23 Damian Willemse;

Austrália: 15 Dane Haylett-Petty, 14 Israel Folau, 13 Reece Hodge, 12 Matt Toomua, 11 Marika Koroibete, 10 Kurtley Beale, 9 Will Genia, 8 David Pocock, 7 Michael Hooper (c), 6 Ned Hanigan, 5 Izack Rodda, 4 Adam Coleman, 3 Taniela Tupou, 2 Tatafu Polota-Nau, 1 Scott Sio;

Suplentes: 16 Folau Faingaa, 17 Sekope Kepu, 18 Allan Alaalatoa, 19 Rory Arnold, 20 Rob Simmons, 21 Nick Phipps, 22 Bernard Foley, 23 Jack Maddocks;

 

versus copiar

19h30 – Argentina x Nova Zelândia, em Buenos Aires – ESPN AO VIVO

Árbitro: Mathieu Raynal (França)

Histórico: 27 jogos, 26 vitórias da Nova Zelândia e 1 empate. Último jogo: Nova Zelândia 46 x 24 Argentina, em 2018 (The Rugby Championship);

Argentina: 15 Emiliano Boffelli, 14 Bautista Delguy, 13 Jeronimo De La Fuente, 12 Bautista Ezcurra, 11 Matias Moroni, 10 Nicolas Sanchez, 9 Gonzalo Bertranou, 8 Javier Ortega Desio, 7 Marcos Kremer, 6 Pablo Matera, 5 Tomas Lavanini, 4 Guido Petti, 3 Ramiro Herrera, 2 Agustin Creevy, 1 Nahuel Tetaz Chaparro;

Suplentes: 16 Julian Montoya, 17 Juan Pablo Zeiss, 18 Santiago Medrano, 19 Matias Alemanno, 20 Juan Manuel Leguizamon, 21 Tomas Cubelli, 22 Matias Orlando, 23 Sebastian Cancelliere;

Nova Zelândia: 15 Ben Smith, 14 Waisake Naholo, 13 Ryan Crotty, 12 Sonny Bill Williams, 11 Rieko Ioane, 10 Beauden Barrett, 9 TJ Perenara, 8 Luke Whitelock, 7 Sam Cane, 6 Shannon Frizell, 5 Scott Barrett, 4 Samuel Whitelock (c), 3 Ofa Tuungafasi, 2 Codie Taylor, 1 Karl Tu’inukuafe;

Suplentes: 16 Nathan Harris, 17 Tim Perry, 18 Angus Ta’avao, 19 Patrick Tuipulotu, 20 Ardie Savea, 21 Aaron Smith, 22 Richie Mo’unga, 23 Anton Lienert-Brown;

 

PaísApelidoJogosPontos
Nova ZelândiaAll Blacks525
África do SulSpringboks515
AustráliaWallabies59
ArgentinaLos Pumas58