O Rugby Championship volta neste fim de semana com tudo, iniciando sua perna atlântica. Isso porque Nova Zelândia e Austrália estarão em ação na Argentina e na África do Sul respectivamente nessa que será a penúltima rodada da competição.

O campeão poderá ser conhecido já no sábado, com a Nova Zelândia com uma mão na taça. Os All Blacks precisarão apenas de uma simples vitória sobre os Pumas em Buenos Aires para abocanharem o troféu – que seria sua quarta conquista do Rugby Championship em cinco edições desde a entrada da Argentina na competição. O único ano que não deu All Blacks foi em 2015, quando os Wallabies ergueram a taça em uma edição reduzida do Championship, com apenas 3 rodadas. Com 6 rodadas, em turno e returno, ninguém jamais tirou o título dos neozelandeses.

Para o jogo contra os Pumas, Steve Hansen fez uma porção de trocas em seu elenco. Entre os XV, Lienert-Brown e voltará ao centro e terá a companhia na ponta de Waisake Naholo, enquanto o pack teve quatro trocas: na terceira linha, Matt Todd e o impactante Vaea Fifita jogarão ao lado do capitão Kieran Read, ao passo que a segunda linha será toda nova, com Scott Barrett e Luke Romano.

Os Pumas jamais venceram os All Blacks na história e a fase dos argentinos não anima, com o time ocupando a lanterna da competição. Daniel Hourcade mexeu em quatro nomes do time titular, contando com o retorno do aguardado Juan Manuel Leguizamón. Tomás Lavanini (por Matías Alemanno), Tomás Cubelli (Landajo) e Ramiro Moyano (no lugar de Moyano) são os outros retornos para a tentativa dos Pumas operarem uma inesperada vitória. Juan Martín “El Mago” Hernández segue no banco.

- Continua depois da publicidade -

No outro duelo, África do Sul e Austrália jogarão em Bloemfontein pelo segundo lugar geral. Os Springboks ainda têm chances de serem campeões caso os Pumas vençam os All Blacks. Como o jogo dos sul-africanos ocorrerá antes, o foco dos verde e ouros é total. A África do Sul passou por uma fase terrível no ano passado, mas vinha se reencontrando neste ano, até sofrer a maior derrota de sua história na rodada passada, caindo por 57 x 00 contra os kiwis. A missão agora do técnico Allister Coetzee é reergueu o moral de suas tropas para voltar a vencer – e não entrar novamente em crise.

Coetzee confirmou de scrum-half Ross Cronjé, apesar das dúvidas, com apenas duas mudanças no XV: François Louw ganhou seu lugar na asa e Dillyn Leyds finalmente começará uma partida como titular, entrando com a 14. Já Michael Cheika foi mais ousado e colocou nada menos que três jogadores que nunca começam um jogo pelos Wallabies no time inicial. Entraram o ponta Koroibete, o asa Jack Dempsey e o segunda linha Izack Rodda. Stephen Moore estará de volta aos 23, na outra novidade australiana, já próximo de sua aposentadoria com a seleção.

Os australianos têm hoje um ataque superior ao sul-africanos no números, apesar dos Springboks terem rompido mais linhas. Ironicamente, os Wallabies levam também vantagem nas formações, tendo aproveitamento superior nos scrum e rucks. Se o favoritismo parece recair sobre os Boks pelo quadro geral do ano, os números produzidos pela rodada passada jogam o peso a favor dos aussies. O mando de jogo, no entanto, é Bokke e isso pode pesar. Jogo emblemático para a sequência do trabalho das duas seleções, que estão sob pressão e críticas e precisam entrar em 2018 voando se ainda quiserem ter uma preparação positiva para o Mundial de 2019.

 

versus copiar

12h05 – África do Sul x Austrália, em Bloemfontein – Watch ESPN AO VIVO / VT domingo às 19h00

Árbitro: Ben O’Keefe (Nova Zelândia)

África do Sul: 15 Andries Coetzee, 14 Dillyn Leyds, 13 Jesse Kriel, 12 Jan Serfontein, 11 Courtnall Skosan, 10 Elton Jantjies, 9 Ross Cronje, 8 Uzair Cassiem, 7 Francois Louw, 6 Siya Kolisi, 5 Franco Mostert, 4 Eben Etzebeth (c), 3 Ruan Dreyer, 2 Malcolm Marx, 1 Tendai Mtawarira;

Suplentes: 16 Chiliboy Ralepelle, 17 Steven Kitshoff, 18 Trevor Nyakane, 19 Pieter-Steph du Toit, 20 Jean-Luc du Preez, 21 Rudy Paige, 22 Handré Pollard, 23 Damian de Allende;

Austrália: 15 Israel Folau, 14 Marika Koroibete, 13 Tevita Kuridrani, 12 Kurtley Beale, 11 Reece Hodge, 10 Bernard Foley, 9 Will Genia, 8 Sean McMahon, 7 Michael Hooper (c), 6 Jack Dempsey, 5 Adam Coleman, 4 Izack Rodda, 3 Sekope Kepu, 2 Tatafu Polota-Nau, 1 Scott Sio;

Suplentes: 16 Stephen Moore, 17 Tom Robertson, 18 Allan Alaalatoa, 19 Rob Simmons, 20 Lukhan Tui, 21 Ned Hanigan, 22 Nick Phipps, 23 Samu Kerevi, 24 Henry Speight;

Histórico: 84 jogos, 46 vitórias da África do Sul, 36 vitórias da Austrália e 2 empates. Último jogo: África do Sul, em 2017 (The Rugby Championship);

 

versus copiar

19h30 – Argentina x Nova Zelândia, em Buenos Aires – ESPN AO VIVO

Árbitro: Jaco Peyper (África do Sul)

Argentina: 1 Lucas Noguera, 2 Agustín Creevy, 3 Nahuel Tetaz Chaparro, 4 Guido Petti, 5 Tomás Lavanini, 6 Pablo Matera, 7 Tomás Lezana, 8 Juan Manuel Leguizamón, 9 Tomás Cubelli, 10 Nicolás Sánchez, 11 Emiliano Boffelli, 12 Jerónimo de la Fuente, 13 Matías Orlando, 14 Matías Moroni, 15 Joaquín Tuculet;

Suplentes: 16 Julián Montoya, 17 Santiago García Botta, 18 Ramiro Herrera, 19 Marcos Kremer, 20 Javier Ortega Desio, 21 Martín Landajo, 22 Juan Martín Hernández, 23 Santiago Cordero.

Nova Zelândia: 15 Damian McKenzie, 14 Waisake Naholo, 13 Anton Lienert-Brown, 12 Sonny Bill Williams, 11 Rieko Ioane, 10 Beauden Barrett, 9 Aaron Smith, 8 Kieran Read (c), 7 Matt Todd, 6 Vaea Fifita, 5 Scott Barrett, 4 Luke Romano, 3 Nepo Laulala, 2 Dane Coles, 1 Kane Hames;

Suplentes: 16 Codie Taylor, 17 Wyatt Crockett, 18 Ofa Tu’ungafasi, 19 Patrick Tuipulotu, 20 Ardie Savea, 21 TJ Perenara, 22 Ngani Laumape, 23 David Havili;

Histórico: 25 jogos, 24 vitórias da Nova Zelândia e 1 empate. Último jogo: Nova Zelândia, em 2017 (The Rugby Championship);

 

PaísApelidoJogosPontos
Nova ZelândiaAll Blacks628
AustráliaWallabies615
África do SulSpringboks614
ArgentinaLos Pumas60

Foto: AFP PHOTO / Greg Wood