A nona rodada do Super Rugby não teve em ação o líder e o vice-líder Hurricanes e Chiefs, que, junto com o Rebels, folgaram no fim de semana. O descanso não afetou a colocação dos neozelandeses, que se beneficiarem de uma surpreendente derrota do Brumbies diante do Blues, único time que ainda não havia vencido na competição.

A jornada contou ainda com o clássico da Ilha do Sul da Nova Zelândia, com o Highlanders batendo o Crusaders fora de casa, encerrando sequência de seis derrotadas para o rival. Em outro clássico do sábado, o Lions superou o Sharks e se colocou na briga por um lugar no mata-mata, enquanto o Stormers derrotou o campeão Waratahs e entrou para o G6, dificultando ainda mais a vida dos australianos, que são uma sombra do time que brilhou em 2014. O Bulls segue em sua arrancada e venceu o atropelou o agora lanterna Reds, ao passo que o Cheetahs superou o Force.

No próximo fim de semana tem mais Super Rugby em alto nível, com o Crusaders recebendo o Chiefs, o Hurricanes recebendo o Waratahs e Sharks e Bulls fazendo tremer a África do Sul.

 

- Continua depois da publicidade -

Stormers e Bulls vencem e respiram na briga pela classificação

Conquistar o Super Rugby é difícil. Mas mais complicado ainda é se manter no topo da liga anos a finco. Waratahs e Reds sabem bem disso. Neste ano, nenhum dos dois é sombra do que foram recentemente. Melhor para Stormers e Bulls, que conquistaram importantes vitória em na busca pelo mata-mata.

O Stormers visitou o campeão Waratahs, em um dos jogos mais aguardados, e levou a melhor. A torcida de Sydney comemorou o bom início dos ‘Tahs com try de Naiyaravoro, arrancando pela ponta em contra-ataque. Contudo, os sul-africanos estavam inspirados e um passe longo de Burger deixou De Allende aberto para correr para o try da virada, após dois penais de Catrakilis. Os australianos reagiram antes do intervalo e Horne pela ponta, em outra rápida ação da linha, deu 15 x 13 para os celestes. Porém, o segundo tempo foi sul-africano. Aos 46′, uma grande arrancada em contra-ataque letal recolocou os Stormers na frente com Kobus van Wyk. O jogo se manteve “lá e cá” e Foley manteve os Waratahs no páreo com penal. A cartada final dos visitantes veio aos 70′, com De Jongh interceptando passe brilhantemente e servindo De Allende para o terceiro try. E tinha mais. Um precioso bônus foi arrancado aos 77′, com outro contra-ataque letal, finalizado por Cheslin Kobus. 32 x 18 e assombro no Allianz Stadium.

O Reds, por sua vez, já fez uma má temporada em 2014. E em 2015 a situação é pior, longe dos tempos áureos de 2011, quando o time de Queensland levantou a taça. Jogando em Pretória, os vermelhos foram presa fácil e amargaram ao final da rodada a lanterna. Os Bulls atropelaram do início ao fim, fazendo três tries no primeiros tempo, com Hougaard duas vezes e Spies. Os australianos reagiram com dois tries no início da segunda etapa, mas o quarto try dos Bulls, com Marcel van der Merwe, aos 53′, esfriou a reação dos Reds e garantiu aos sul-afrianos o bônus. Queensland voltou a ir pra cima, em jogo eletrizante, e Cotze fez também seu bônis. Mas, a aussie porta se abriu e Odendaal, aos 60′, e Van Zyl, aos 69’, fecharam a conta com mais dois tries, 43 x 22. Bulls em quarto lugar (e primeiro entre os sul-africanos).

 

Highlanders e Lions emergem vitoriosos nos clássicos

Ainda na África do Sul, o clássico nacional da vez foi entre Lions e Sharks. E a fase do time de Durban é mesmo horripilante. Os alvinegros não aguentaram os vermelhos e sofreram nova derrota, 23 x 21, caindo para o nono lugar. Já os Lions comemoraram a boa fase – que há muitos anos não era vivida no Super Rugby – subindo para o setimo lugar e – quem diria? – entrando de vez para a briga pelo mata-mata.

Os Lions largaram na frente com dois penais de Jantjes, mas os Sharks estavam bem e fizeram dois tries, com Bothma, aos 21′, e Mvovo, aos 32′, na velocidade do contra-ataque. Parecia que a vitória, enfim, viria para os Tubarões, mas, empurrados por mais de 37 mil torcedores, os Lions reduziram antes do intervalo com Mnisi, e viraram aos 44′ com o camisa 9, Faf de Klerk, passando por cima do ruck. E, aos 47′, depois do contra-ataque, Vorster cruzou o in-goal para dar boa vantagem ao time de Joanesbuergo. Os Sharks buscaram a reação, mas conseguiram um try tardio somente, aos 78′, com Thomas du Toit. Placar final, Lions 23 x 21 Sharks.

Enquanto isso, na Nova Zelândia, a Ilha do Sul viveu seu clássico com o Crusaders buscando confirmar a boa fase em casa contra o surpreendente Highlanders. E foi o time de Otago que falou mais alto, batendo o badalado rival. A peleja começou melhor para os donos da casa, que iam se impondo com tries de Dodd, aos 7′, e Taufua, aos 20′, aproveitando o amarelo recebido por Sopoaga. Mas, os rubronegros enferrujaram rápido. Apático e sem saber se impor, o Crusaders viu um espirituoso Highlanders remar rumo à virada com seu rugby envolvente. Ben Smith, aos 39′, e Waisake Naholo, aos 45′ e aos 51′, dobraram a defesa da casa e jogaram a pressão para os ‘Saders, que pressionaram no resto do segundo tempo, mas pararam na defesa de Dunedin e só pontuaram novamente com um mísero penal de Slade. Highlanders, em quinto, 25, Crusaders, agora em oitavo, 20.

 

Auckland larga a lanterna

Alívio do lado azul da Nova Zelândia, com o time da maior cidade do país, o Blues, finalmente conseguindo sua primeira vitória na temporada que, de quebra, o tirou da lanterna. Os Blues receberam o poderoso Brumbies, terceiro colocado, e se aproveitaram da pouca inspiração australiana para conquistar uma importante vitória por 16 x 14. Daniel Bowden fez o único try do jogo para os anfitriões, aos 35′, enquanto Taliauli, aos 57′, fez o try que colocava os Brumbies na frente. Mas, aos 78′, Ihaia West foi o herói da noite chutando o penal da vitória de Auckland.

E de fato o fim de semana foi péssimo para o rugby union da Austrália. O Western Force fechou um fim de semana só de derrotas para o país caindo em casa diante do fraco Cheetahs, caindo para a penúltima posição,na frente somente do compatriota Reds. O Force viu Heinrich Brüssow virar o placar para os Cheetahs aos 67′ e Joe Pietersen, com um último penal, encerrar o marcador em 24 x 15.

 

super rugby

Super Rugby – Liga da África do Sul, Austrália e Nova Zelândia

Blues 16 x 14 Brumbies, em Auckland

Crusaders 20 x 25 Highlanders, em Christchurch

Waratahs 18 x 32 Stormers, em Sydney

Force 15 x 24 Cheetahs, em Perth

Lions 23 x 21 Sharks, em Joanesburgo

Bulls 43 x 22 Reds, em Pretória

EquipePaísCidadeJogosPontos
Melhores de cada país
HurricanesNova ZelândiaWellington1666
WaratahsAustráliaSydney1652
StormersÁfrica do SulCidade do Cabo1645
Wild Cards
HighlandersNova ZelândiaDunedin1653
ChiefsNova ZelândiaHamilton1648
BrumbiesAustráliaCanberra1647
Fora da zona de classificação
CrusadersNova ZelândiaChristchurch1646
LionsÁfrica do SulJoanesburgo1642
BullsÁfrica do SulPretória1638
RebelsAustráliaMelbourne1636
SharksÁfrica do SulDurban1634
CheetahsÁfrica do SulBloemfontein1626
RedsAustráliaBrisbane1622
BluesNova ZelândiaAuckland1620
ForceAustráliaPerth1619

 

 

vodacom cup 2013 copy

Vodacom Cup – Copa da África do Sul

Welwitschias 0 x 44 Blue Bulls, em Windhoek

Boland Cavaliers 34 x 26 SWD Eagles, em Worcester

Griffons 17 x 38 Falcons, em Welkom

Pumas 16 x 24 Golden Lions, em Nelspruit

Griquas 37 x 25 Border Bulldogs, em Kimberley

Sharks XV 18 x 35 Free State XV, em Durban

Eastern Province 13 x 19 Western Province, em Porto Elizabeth

 

Foto: Blues x Brumbies, em www.superrugby.com.br