Buenos Aires pode ganhar estádio exclusivo para o rugby

O Super Rugby 2015 já chegou ao fim e as atenções na Argentina começam lentamente a se voltarem para o Super Rugby 2016, quando o país pela primeira vez contará com uma franquia na competição.

 

A abertura da próxima edição do Super Rugby está marcada para fevereiro do próximo ano, mas os argentinos ainda não sabem nem o nome nem qual será a casa de sua equipe. Entretanto, o assunto da sede parece estar avançando. Neste mês, a União Argentina de Rugby e a prefeitura de Buenos Aires chegaram a um acordo para a construção de um estádio para rugby no Parque Sarmiento, área verde pública que conta já com um campo de futebol e uma pista de atletismo equipados com uma pequena arquibancada. De acordo com o projeto, no local da atual arquibancada seria erguida uma nova arquibancada tubular moderno, com estruturas móveis para os espectadores, que comportaria 10 mil torcedores. De acordo com os responsáveis, o estádio ficaria pronto a tempo do início do campeonato e não afetaria a área verde, tendo impacto ambiental zero, pois as obras se restringiriam ao atual espaço da arquibancada. O equipamento seria mantido pela União Argentina de Rugby, mas nos dias sem eventos de rugby o campo seria aberto à comunidade, permanecendo público.

 

A ideia parece boa no papel, mas preocupou a comunidade de moradores e frequentadores do parque, que criou um movimento na internet para impedir que o estádio seja levado adiante. Em resposta, atletas da seleção argentina fizeram nesta semana manifestação nas redes sociais em favor do estádio, entre eles Martin Landajo, Tomás Cubelli, Pablo Matera e Joaquin Tuculet.

 

Já assinaram contrato para atuarem pelo time argentino do Super Rugby vinte e oito jogadores: Agustín Creevy, Joaquín Tuculet, Nicolás Sánchez, Nahuel Tetaz Chaparro (até 2018), Martín Landajo, Tomás Cubelli, Javier Ortega Desio, Tomás Lezana, Gabriel Ascárate, Matías Orlando, Guido Petti Pagadizábal, Pablo Matera, Rodrigo Báez, Matías Alemanno, Facundo Isa, Jerónimo De la Fuente, Manuel Montero, Matías Moroni, Santiago González Iglesias, Ramiro Moyano, Lucas Noguera Paz (até 2017), Santiago Cordero, Tomás Lavanini, Ramiro Herrera, Juan Cruz Guillamaín, Bruno Postiglioni, Santiago Garcia Botta e Emiliano Boffelli, (até o fim de 2016). Santiago Iglesias Valdez, Julián Montoya e Matías Díaz têm contratos com a UAR até o fim deste ano, os quais poderão ser renovados para o Super Rugby.

 

 

Comentários