Chile vence Uruguai e conquista o Sul-Americano!

Uma zebra inesquecível. Jogando em casa, pela última rodada do Sul-Americano, o Chile derrotou o Uruguai pela primeira vez desde 2011 e se sagrou pela primeira vez na história campeão sul-americano, uma vez que a Copa CONSUR, envolvendo a Argentina e os melhores do Su-Americano, é oficialmente considerada outra competição.

 

Os uruguaios foram ao Parque Mahuida com uma equipe forte, mas com vários reservas, estando abaixo do time que jogará o Mundial na Inglaterra. Enquanto isso, o Chile não contou apenas, entre seus principais nomes, com o segunda linha Pablo Huete. E, sem dúvida alguma, os Condores fizeram seu melhor jogo do ano. O Chile podia não ter convencido ninguém em seus triunfos sobre Brasil e Paraguai, mas os vermelhos cresceram em casa, recuperaram seu orgulho e literalmente atropelaram os Teros na primeira etapa.

 

O Chile largou atrás no placar, com o Uruguai emplacando uma joga de maul, após lateral, para Joaquin Prada finalizar o primeiro try do jogo, 5 x 0 para os Teros. Contudo, depois só deu Chile. Os Condores venceram no scrum e, correndo por fora, Onetto deu o troco pouco depois, fazendo o primeiro try chileno, aos 8′, convertido por Valderrama. O mesmo Valderrama teve na sequência sua primeira chance em penal e colocou 10 x 5 no placar a favor dos Condores.

 

O Uruguai seguiu errando muito e o Chile a capitalizar com penais. Foram mais três chances para Valderrama antes do intervalo, convertendo duas. E, aos Perrotta viu o espaço após erro no manuseio uruguaio e assegurou o segundo try dos anfitriões, que colocavam inesperados 23 x 5 no marcador, contra um apático e desajustado Uruguai, que só errava. Etcheverry, antes do fim, reduziu com penal para os Teros e o placar ficou em 23 x 8 ao final do primeiro tempo.

 

A segunda etapa arrancou equilibrada, mas a força do Chile nos rucks era clara e o Uruguai, aos 54′, cedeu o try que praticamente garantiu o triunfo vermelho, com Zunino correndo após perda uruguaia no ruck, 30 x 8. Os Teros ainda esboçaram uma reação, impulsionada por dois cartões amarelos para o Chile. Com 13 em campo, os Condores não resistiram e cederam penal try aos Teros, convertido por Durán. Porém, os visitantes não conseguiram emplacar e o triunfo coube heroicamente ao Chile, renascido das cinzas do ano passado e derrotando diante de sua torcida uma seleção de Copa do Mundo. 30 x 15!

 

“O Chile fez um jogo muito bom a partir da defesa e da recuperação de bola. O Uruguai não teve argumentos no ataque e acabou perdendo bolas, que foram bem aproveitadas pelo Chile”, comentou Ricardo Cortés, ex-treinador da seleção chilena juvenil (e treinador do grande feito do país, em 1998, quando o Chile venceu a Escócia no Mundial Junio) ao Portal do Rugby.

 

chile(4)30versus copiar15uru novo copy copy

 

Chile 30 x 15 Uruguai, em Santiago

 

Chile

Tries: Onetto, Perrotta e Zunino

Conversões: Valderrama (2)

Penais: Valderrama (2)

1 Ramón Ayarza, 2 Manuel Gurruchaga (C), 3 Luis Sepúlveda; 4 Ignacio Álvarez, 5 Matías Cabrera; 6 Benjamín Soto, 7 Francisco Hurtado, 8 Javier Richard; 9 Juan Pablo Perrotta, 10 Javier Valderrama; 11 Italo Zunino, 12 Cristián Onetto, 13 Matías Nordenflycht, 14 Matías Contreras; 15 Francisco Urroz.

Suplentes: 16 Cristóbal Niedmann, 17 Claudio Zamorano, 18 José Tomás Munita, 19 Felipe Molinare, 20 Manuel Dagnino, 21 Sergio Bascuñán, 22 José Ignacio Larenas, 23 Iñaki Barturen.

 

Uruguai:

Tries: Prada e penal try

Conversões: Durán (1)

Penais: Etcheverry (1)

1 Alejo Corral, 2 Nicolas Klappenbach (C), 3 Carlos Arboleya; 4 Mathias Palomeque, 5 Jorge Zerbino; 6 Fernando Bascou, 7 Diego Magno, 8 Santiago Vilaseca; 9 Alejo Durán, 10 Manuel Blengio; 11 Santiago Gibernau, 12 Alberto Román, 13 Joaquín Prada, 14 Leandro Leivas, 15 Jerónimo Etcheverry.

Suplentes: 16 Óscar Duran, 17 Arturo Ávalo, 18 Mateo Sanguinetti, 19 Gabriel Puig, 20 Mathias Braun, 21 Agustín Alonso, 22 Federico Favaro, 23 Rodrigo Silva.

 

SeleçãoJogosPontos
Chile39
Uruguai36
Paraguai33
Brasil30

Comentários