Com muito sofrimento, Springboks viram e vencem Pumas

ARTIGO COM VÍDEO – A segunda partida do Rugby Championship 2016 teve emoção e tensão até o fim com a África do Sul impedindo no apagar das luzes novo desastre ao virar o placar e derrotar a Argentina por 30 x 23 na pequena Nelspruit.

 

Tanto Springboks como Pumas foram a campo com muito a provar e produziram um jogo de muitos erros dos dois lados mas com paixão o bastante para criar um desfecho empolgante. Ainda em construção sob o comando do técnico Alister Coetzee, a África do Sul mostrou muito pouco ao longo da partida e não convenceu, mas quando foi colocada sob pressão soube corresponder e punir a Argentina pelas excessivas penalidades.

 

O jogo começou favorável aos sul-africanos. Logo aos 6′, Jantjes rompeu a defesa argentina, foi derrubado por Leguizamón, mas a reciclagem da bola foi rápida, encontrando Goosen que se infiltrou e deixou de offload para Combrinck arrancar e cravar o primeiro try do jogo, com os Boks prometendo um jogo aberto e envolvente. Mas, não foi o que ocorreu. Pouco a pouco a Argentina foi se impondo no jogo físico e, aos 16′, Sánchez reduziu o marcador para os Pumas. Logo depois, Jantjes deu o troco chutando o primeiro penal para os donos da casa e a situação parecia se virar a favor dos Boks.

 

Aos 22′, Montero recebeu amarelo, deixando os visitantes com um a menos. Porém, Mapoe entregou um penal para os argentinos e Sánchez reduziu para 10 x 6 a desvantagem – com a bola batendo na trave e no travessão antes de entrar chorada no “H”. E os Boks ainda veriam aos 26′ a Argentina encontrar seu try mesmo com 14 homens. Tuculet arrancou, rompeu a defesa, foi derrubado, mas logo a bola foi reciclada e os Pumas inverteram o jogo até Orlando receber na outra ponta e cravar o try da virada argentina, 13 x 10. E um duro golpe ao torcedor verde e ouro.

 

A África do Sul entrou em curto-circuito no restante do primeiro tempo. Goosen e Jantjes tiveram duas chances de penal para empatarem o placar para os sul-africanos mas não conseguiram acertar o alvo, deixando o marcador em 13 x 10 para os sul-americanos, que foram ao intervalo registrando 57% de posse de bola e 53% de território, além de evidente superioridade no scrum.

 

A renovação nas esperanças para a partida não ocorreu com a vinda do segundo tempo para a torcida local. Aos 45′, Habana recebeu amarelo e deixou agora a África do Sul com 14 homens, em momento já de pleno domínio dos argentinos, que emplacavam fases dentro das 22 dos anfitriões. Facundo Isa rompeu a defesa e quase chegou ao try, com os Boks se safando no limite. Aos 48′, Mapoe tirou os sul-africanos do sufoco puxando o primeiro contra-ataque perigoso. Os verdes resistiram com um homem a menos, não cederam pontos, e ainda arrancaram o empate aos 55′, com Jantjes não desperdiçando penal de longa distância. 13 x 13.

 

O troco argentino veio aos 64′, com Sánchez acertando penal, em momento que os Boks já acusavam o desgaste do atrito físico e da pressão pela vitória. Os pontos de Sánchez fizeram desabar o time sul-africano, que viu Montero romper a defesa em velocidade e potência pela ponta e Sánchez desferir um chute inteligente sobre a defesa argentina para Cordero apanhar a bola no in-goal e fazer aquele que parecia ser o try da vitória dos Pumas, abrindo 23 x 13 com pouco mais de 10 minutos pela frente.

 

Contudo, os Springboks crescerão quando a pressão de uma segunda derrota seguida veio. Aos 71′, o scrun-half Faf de Klerk, que não vinha fazendo bom jogo, desferiu uma majestoso passe reverso para Goosen disparar para o try que deixou os Boks novamente a um penal do empate. A Argentina sentiu o golpe e, aos 74′, entrou um penal para Jantjes deixar tudo igual e incendiar o Mbombela Stadium. A avalanche verde veio e os argentinos não conseguiram segurar. Após lateral, o rápido trabalho de mãos dos sul-africanos passou pro Kriel e De Jongh até o segunda linha Etzebeth servir com offload Habana, que deixou para Whiteley explodir na ponta e cravar o try da vitória dos Boks aos 79′. 30 x 23, de tirar o fôlego. E um duro golpe para a Argentina, depois de um jogo sólido até o fim.

 

As duas equipes voltarão a medir forças no próximo sábado, em Salta, no noroeste argentino.

 

springboks logo 30 X 23UAR_copy_copy.jpg

África do Sul 30 X 23 Argentina, em Nelspruit

Árbitro: Glen Jackson (Nova Zelândia) / Assistentes: Jérôme Garcès (França) e Ben O’Keefe (Nova Zelândia) / TMO: George Ayoub (Austrália)

 

África do Sul

Tries: Combrinck, Goosen e Whiteley

Conversões: Jantjes (3)

Penais: Jantjes (3)

15 Johan Goosen, 14 Ruan Combrinck, 13 Lionel Mapoe, 12 Damian de Allende, 11 Bryan Habana, 10 Elton Jantjies, 9 Faf de Klerk, 8 Warren Whiteley, 7 Teboho Mohoje, 6 Francois Louw, 5 Lood de Jager, 4 Eben Etzebeth, 3 Julian Redelinghuys, 2 Adriaan Strauss (c) , Tendai Mtawarira

Suplentes: 16 Bongi Mbonambi, 17 Steven Kitshoff, 18 Vincent Koch, 19 Pieter-Steph du Toit, 20 Jaco Kriel, 21 Rudy Paige, 22 Juan de Jongh, 23 Jesse Kriel

 

 

Argentina

Tries: Orlando e Cordero

Conversões: Sánchez (2)

Penais: Sánchez (3)

15 Joaquin Tuculet, 14 Santiago Cordero, 13  Matías Orlando, 12 Juan Martin Hernandez, 11 Manuel Montero, 10 Nicolás Sánchez, 9 Martín Landajo, 8 Facundo Isa, 7 Juan Manuel Leguizamon, 6 Pablo Matera, 5 Tomas Lavanini, 4 Matías Alemanno, 3 Ramiro Herrera, 2 Augustín Creevy (c), 1 Nahuel Tetaz Chaparro

Suplentes: 16 Julian Montoya, 17 Felipe Arregui, 18 Enrique Pieretto, 19 Guido Petti, 20 Javier Ortega Desio, 21 Tomas Cubelli, 22 Santiago Gonzalez Iglesias, 23 Ramiro Moyano.

 

 

País Apelido Jogos Pontos
Nova Zelândia All Blacks 6 30
Austrália Wallabies 6 13
África do Sul Springboks 6 10
Argentina Pumas 6 05

 

Foto: Dirk Kotze/Gallo Images

Comentários